terça-feira, 27 de junho de 2006

Globo não, Mídia

Sempre que se fala em mídia, a primeira que coisa que vem a mente é a Rede Globo (não só como rede de televisão, mas também com suas revistas e tudo financiado pela mesma). É sempre nela que pensamos quando falamos de uma mídia manipuladora, mas afinal, o que é manipulador, a mídia ou a Globo???

Mídia, “ todo suporte de difusão da informação que constitui um meio intermediário de expressão capaz de transmitir mensagens; meios de comunicação social de massas não diretamente interpessoais”, no caso, a mídia brasileira, é formada por inúmeros meios, como a televisão (formada pela Rede Globo, o SBT, a Rede Tv, a Rede Record, a Band, a Tv Gazeta, a Rede Mulher, a Tv Cultura, a Mtv, a Tv Senado e algumas outras redes de televisão), internet, jornais (inúmeros em todo o Brasil), revistas (também inúmeras), cinemas e também inúmeras outras coisas.
Ai eu tenho uma dúvida, ou melhor algumas...

Por que sempre que a gente pensa em programa humorístico, pensamos logo no Casseta e Planeta? Existem alguns outros, e bons, como o Show do Tom, na Rede Record ou o Pânico na Tv, na Rede Tv.
Por que sempre que pensamos em jornal á noite, lembramos do Jornal Nacional? Existem outros, sabia? Como o SBT Brasil, com Ana Paula Padrão, no Sbt ou o Brasil Urgente, com José Luiz Datena na Band e alguns outros, que se eu for ficar sitando não acabo mais.
Por que sempre que pensamos em programa culinário, só lembramos do Mais Você, com Ana Maria Braga? Existe o Mulheres com Cátia Fonseca na Tv Gazeta, ou o Pra Valer com Claudete Troiano na Band, entre outros.
Ou por que quando pensamos em programa de auditório só pensamos no Caldeirão do Huck ou Faustão, quando existe o Programa do Raul ou o Sabadão com Gilberto Barros?
Ah, também tem as novelas, por que as da rede globo são sempre as melhores? Algumas do SBT são legais, ou das da Rede Record e também da Band.
E por que sempre que pensamos em revista informativas, só se fala em Veja, Istoé ou Época? Existe a Carta Capital, sabia? Ou a Super interessante ou tantas outras.

É parece que quem manipula é a Globo, não a mídia em geral, afinal, quando pensamos em programa para jovens, por exemplo, só pensamos em Malhação, oxente... mas existe o RBD também (não sei se é legal, confesso que nunca vi, mas tenho que confessar também que malhação já perdeu a graça de tão repetitiva) ou Floribela, mas não, parece que só presta o que é da Globo. Talvez por isso achamos esses programas durante a tarde, esses que falam da vida de pessoas, tão chatos, porque não existe um desses na globo, porque eu aposto que se existisse todos assistiriam e achariam o máximo, como tudo o que ela apresenta (pois fiquei você sabendo que já aprendi muito nesses programas, como por exemplo, sobre problemas cardíacos, ou problemas de pulmão, entre tantos outros, e sim, todos em programas a tarde e de fofoca...).

Nunca entendi esse poder tão grande que existe nas mãos dessa grande empresa, isso é por causa de dinheiro? Pois é, deve ser. O que é uma pena, pois aí, a manipulação fica maior já que existe todo esse domínio representado tanto na televisão quanto em revistas (editora globo), filmes ou sei lá o que.

Mas por que ninguém se impõe? Por que ninguém resolve boicotar a Globo? Ora droga, temos que acordar e ver que a mídia brasileira possui muitas maravilhas, com ótimos repórteres, jornalistas, editores, ótimos atores, diretores de novelas e humoristas (uma coisa engraçada é que muitos saem da Globo para outras emissoras e acabam perdendo seu “ibope”, mas como se eles eram tão adorados quando estavam lá? Vai entender a mente do brasileiro, viu?).

Aí você deve ta pensando que eu to falando tudo isso, mas devo assistir sempre a globo, né? Pra falar a verdade, a muito tempo que não assisto, ou melhor, a muito não assisto televisão em geral porque estou sempre aqui pela internet ou fuçando o meu computador. Mas não pense que eu sou uma alienada que não sabe de nada, eu vivo em sites de noticias, tenho um ótimo provedor que me dá acesso aos melhor jornais de todo o mundo e eu estou sempre me informando (não vou dizer qual o provedor não, porque não to ganhando nada pela propaganda...hehehe), mas só quero mostrar que você pode se informar por vários outros meio que não o só pelo Jornal Nacional ou o Jornal Hoje, pela Veja ou pela Época, você deve procurar outros meios, outras editoras, talvez até você mude sua opinião sobre algumas coisas .

Acabei me prolongando demais, mas espero ter deixado claro que mídia não se resume a Rede Globo e que, portanto, sempre que você ouvir falar em mídia, que você pense em todos os meios de informação, todos, sem nenhuma exceção.

Karina Mendonça

segunda-feira, 26 de junho de 2006

Se cuide, viu?

Algumas vezes, quando me despeço (no sentido de despedir, é que tô com preguiça de ver como escreve, mas isso é um desabafo e não uma redação de vestibular, então...) de algumas pessoas elas dizem: se cuida, tá?

Algumas, talvez muitas pessoas já me disseram isso, mas só um, só um "se cuide, viu?", eu não consegui esquecer. Por que? Não sei, mas não sai da minha mente aquelas palavras chegando a mim, talvez pelo fato de eu não ter conseguido me cuidar, ou melhor, de eu não estar conseguindo.

Engraçado como lembro de tudo naquele dia, lembro de onde estávamos, lembro do que fizemos, lembro do que comemos e lembro até do que você vestia(engraçado, num sei porque tô "falando" pra 3ªpessoas, mas vai ficar assim mesmo) e lembro exatamente quando você (???) me abraçou e finalmente saiu o "se cuida, viu?".

Essa frase me marcou, talvez porque eu estivesse me despedindo numa ocasião um pouco diferente da normal (eu estava indo morar em outro estado, por isso foi uma despedida de verdade) e o que foi dito, foi que onde eu estivesse, eu deveria me cuidar. Mas me cuidar como? Ainda fico tentando entender, mas acho que independente disso, eu não estou conseguindo, a saudade é muito grande, eu não consigo me acostumar e achar tudo normal, mas eu tento, eu juro que tento me cuidar nem que seja um pouquinho, mas é complicado, sabe?

É complicado pra mim, não posso me cuidar sozinha, talvez precise de ajuda, mas também não posso ser tão egoíste e achar que o mundo só tem os meus problemas e as minhas faltas de cuidado, porque as coisas não são assim de forma alguma. Vivemos em um grande país, com grandes problemas e tenho ás vezes, que esquecer os meus problemas e pensar nos problemas gerais da nação (ficou bonito isso, num foi??).

"Se cuida, viu?", poderíamos dizer isso pra o Brasil, acho que ele tá precisando se cuidar, mas ele não se cuida sozinho, ele tem quem cuide dele. Mas parece que não estão cuidando muito direitinho não, né? Então, a gente tem que ir cuidando aos pouquinhos, assim ô, cada um vai cuidando de um pedaçinho e assim, um dia, estaremos todos cuidando desse pedação tão grande que é o Brasil.

Pronto. Já disse tudo que eu tinha pra dizer por hoje. Espero que o recado esteja dado.

Se cuida, tá?
Karina Mendonça

quarta-feira, 21 de junho de 2006

Por que as pessoas morrem???

A morte é um assunto que tá muito na minha cabeça ultimamente. Um dos motivos é que grandes pessoas estão morrendo em um curto período de tempo e mesmo não estando no meu dia a dia, mesmo não fazendo nenhuma diferença na minha vida a ausência delas, eu sei que fará na vida de muitos, e sei disso pois já perdi algumas pessoas e sei como essa perda é difícil.

Não vou dizer que superei a morte de todos que perdi, não, algumas não superei até hoje, outras não acredito(ainda não) que se foram, outros eu via com tão pouca freqüência que ainda acho que vou encontrá-los, quando vou em suas casas fico esperando que saiam do quarto e venham me cumprimentar, espero ver seus rostos uma última vez, mas eles nunca saem e isso é o que mais me dói.

Como eu já disse aqui, sei que a morte faz parte do ciclo da vida, e desta vez, não estou aqui questionando as causas dela, mas estou apenas falando dela, falando o quanto ela é difícil pra quem fica.

Ás vezes, ainda hoje, acordo no meio da noite e me lembro que perdi alguém, tenho que ficar repetindo pra mim por algum tempo que aquilo realmente aconteceu, porque ás vezes é tão difícil acreditar.

Fico triste, quando me lembro de alguém, pelo fato de não me lembrar tão bem, eles foram muito cedo, eu ainda era muito pequena e não tive tempo de separar algumas lembranças, mas outros, aprendi que por serem velhos, eu sabia que iriam um pouco mais cedo e por isso fiz questão de curti cada momento ao seu lado e de marcar alguns momentos para ficarem registrados pra sempre, e funcionou muito bem, já outros, foram tão de repente que não tive tempo de me preperar psicologicamente para sua perda.

Tenho uma fita do aniversário de quatro anos da minha irmã, era uma fita que eu sempre gostei de ver, até que começei a sentir falta de algumas pessoas que estavam nela e com o tempo esse número foi crescendo, tanto que parei de ver, começou a me causar muita dor.

Mas gosto de fotos, sempre gostei, fotos nos trazem lembranças, nos levam a momentos, aí você pergunta como eu gosto da foto e não do vídeo, mas é porque o vídeo é real demais, é como se eles ainda estivessem vivos, e a foto não, a foto nos mostra um determinado momento, uma determinada pose, e o resto, fica pela lembrança.

De todas as fotos, tenho uma que acho muito especial, nela estou abraçando alguém que já se foi, que não tive muito tempo pra dizer como era boa pra mim, mas que me faz falta, e na foto estamos num momento tão bonito que sempre que olho custo a acreditar.

Ás vezes sonho com eles, e não quero acordar pra não perdê-los de vista, e quando acordo fico lembrando de todos os detalhes do sonho e começo a ver como fazem falta pra mim, mesmo que não tão freqüentemente.

Quando eu era pequena, queria morrer antes de todos que conhecia, só pra não ter que passar pela dor de perder alguém, mas com o tempo, vi que era muito difícil e que eu teria que me "acostumar" a sentir isso, mas confesso que não é nada agradável.

Morrer, todos nós vamos um dia, deixaremos saudades, dor, tristeza, mas temos que lembrar que também deixaremos lembranças, essas são as únicas que nunca vão morrer é por isso que tento valorizar todo momento que tenho junto das pessoas que amo, pra que, quando eu for (de repente ou não) todos eles saibam o quanto foram amados e importantes por mim.

Beijos a todos
Karina Mendonça

domingo, 18 de junho de 2006

Egoísta, eu???

Vivemos numa sociedade completamente egoísta, é, egoísta sim.
Sempre que vamos fazer algo, seja o que for, pensamos primeiro na gente. Se vamos comprar algo, pensamos se vamos gostar, se vamos a algum lugar pensamos se nos sentiremos bem, se abrimos a boca pra falar algo, pensamos se concordados ou não, e por isso muitas vezes, acabamos comprando o errado, indo pra lugares péssimos e falando coisas super desagradáveis.

Vou meu explicar melhor.
Essa semana recebi um e-mail que contava uma historinha mais ou menos assim:

O menino foi comprar droga e o traficante que disse amanhã iram invadir o morro, e o menino disse: invade mermo, e mete bala.
No dia seguinte, quando acordado pela mãe, o menino ainda drogado, mandou a mãe embora e esta foi para o trabalho. Algum tempo depois, quando estava saindo de casa, o menino percebeu uma movimentação na rua e foi olhar o que havia acontecido, então ele gritou: mãããããããããããããããe. E quando perguntou ao policial o que havia acontecido, este disse que foram alguns traficantes que tentavam invadir o morro.

Essa foi a história bem resumidinha, mas dá pra perceber que o menino quando comprou a droga só pensou nele, em como se sentiria com aquilo, mas tenho certeza que depois que aquela sua compra matou a sua mãe, ele deve ter se sentido bastante culpado, talvez se ele tivesse sido um pouco menos egoísta, e pensado um pouco em como aquele droga chegou aos traficantes e a quem ele estaria financiando, talvez ele não tivesse comprado-a.

Às vezes, no calor da raiva, e da discussão, falamos coisas que nunca desejaríamos ouvir, falamos verdadeiros absurdos, e depois quando nos damos conta, quando nos damos, é um pouco tarde, porque como diz um ditado, a palavra falada não volta atrás, por mais que o perdão seja pedido e “aprovado”, haverá sempre aquela marquinha, sabe? Que mesmo sem querer, vai sempre latejar na sua cabeça.

Talvez se pensássemos um pouco nos outros, talvez se nos esquecêssemos por algum tempo e dedicássemos todas as nossas atitudes aos outros, o mundo seria bem melhor, quando falei de lugares ali em cima (ir pra lugares péssimos), quis dizer que, de vez em quando, podemos deixar de ir aonde tanto queremos, e deixar que alguém escolha um bom lugar para nós, afinal, que custa um pouco de sacrifício, né não?

Talvez, se falássemos apenas o que gostaríamos de ouvir ou sei fizéssemos apenas o que gostariam que fosse feito por nós, talvez assim, viveríamos um pouco melhor, mas parece que é tudo tão difícil, né? Somos egoístas demais pra tal sacrifício...

Karina Mendonça

sexta-feira, 16 de junho de 2006

Até quando???

O Caso Serrambi (pra quem não é pernambucano, foi o caso mostrado no dia 15/06 no Linha Direta), é mais um caso sem solução no país.
Vendo-o hoje no programa, mais uma vez, fiquei chocada com tudo aquilo, talvez se você não for pernambucano não me entenda, talvez tenha sido só mais um caso que aparece no programa, mas nós pernambucanos, mesmo os que não conheciam as duas adolescentes, acompanhamos o caso de perto e desde o início.

Não se sabe como elas morreram, e talvez nunca se tenha a resposta, assim como nunca se saberá se existe um culpado ou não.

Mas se os corpos delas foram achados no meio do canavial, alguém os colocou ali, certo? E esse alguém também nunca se saberá quem foi, talvez porque tenha muito dinheiro, ou talvez porque nunca se tenha realmente nenhum prova sobre nada.

Duas adolescentes, que tinham uma vida pela frente, assim como tantos outros que se vão. Não falo da morte em si ser injusta, não, é apenas uma parte do ciclo da vida, a parte final, eu sei, mas apenas uma parte, o que acho injusto é como algumas pessoas são levadas até ela.

Todos os familiares que perdi, morrem de morte “natural”, doença, essas coisas, nunca tive um familiar, amigo ou conhecido que tenha sido assassinado.

Mas eu vivo num mundo muito grande, e não é porque as coisas não acontecem diretamente comigo que elas não abalam.

Não sei se ainda existem pessoas “sensíveis” como eu, mas sempre que sei de alguma notícia ruim, fico tremendamente abalada. Sempre que vejo uma nova morte na televisão, fico triste, pois penso em tudo o que rodeia aquela pessoa que morreu, afinal, existem familiares, amigos, conhecidos, filhos talvez, e fico pensando em como eles devem estar tristes, em como estão abalados, loucos por justiça e pensando porque tudo foi acontecer logo com eles.

Não é porque moro num país violento que passei a achar normal as pessoas serem assassinadas a todo o momento, não é porque vivo no planeta que vou achar normal pessoas morrerem por causa de brigas por territórios ou qualquer coisa.

Não é porque as coisas vivem acontecendo que eu vou acha-las natural, não, pelo contrário, o fato de elas acontecerem repetidamente é o que me deixa mais chocada, e o fato de ninguém tentar fazer nada me deixa mais chocada ainda, e triste também.

Se tantas pessoas são assassinadas todos os dias no país, por que nenhuma providência é feita em relação a isso? Por que essas mortes nunca têm um culpado e tornam-se apenas mais um caso sem solução no meio da gaveta?

É necessário que muita coisa seja feita para que se possa consertar essa bagunça, seriam necessárias várias medidas e várias precauções, mas sabe por que ninguém se interessa em fazer essa tal “faxina”?

Porque muitos lucram com tanta desordem, porque precisariam ser gastos milhões de reais para construírem prisões com boas instalações para suportar tantos delinqüentes , e o país não poderia gastar tanto assim, afinal, tem que pagar a copa do mundo (uns 22milhões, como já li por aí), ou talvez uns dez milhões para conhecer o espaço ou pagar aos políticos, claro.

Precisaríamos também de bons policias, policias que na hora em que fossem coagidos pudessem atirar, é, porque os “direitos humanos” parecem que não serve para os humanos direitos.

Até quando morrerão pessoas de forma tão bruta? Até quando serão só mais um caso? Até quando não haverá a justiça?

Sinceramente espero que um dia, haja justiça, espero que tantas mortes, um dia tenham tantos culpados e que todos eles paguem pelo que fizeram. Sei que independente de como paguem, a vida dos que foram mortos não será devolvida, mas pelo menos, terá havido justiça.


Esse foi só mais um desabafo de uma jovem inconformada.


Karina Mendonça

quarta-feira, 14 de junho de 2006

Sonhar

Sonhar não é apenas uma palavra,
não é só um verbo.
É um sentimento,
o pior dos sentimentos.
Ruim, pois quem sonha um dia acorda,
quem sonha se ilude,
quem sonha sofre,
quem sonha chora, pois um dia percebe
que tudo não passou de um simples sonho.
Mas o pior de tudo é que ninguém
vive sem sonhar,
ninguém vive apenas da realidade.
E no final,
todos sonham,
todos acordam,
todos se iludem,
todos sofrem,
todos choram
e todos voltam a sonhar.

Karina Mendonça

terça-feira, 13 de junho de 2006

De luto pelo meu Brasil


Algumas pessoas, ao primeiro sinal de decepção tornam-se apáticas, desiludidos, dizem que odeiam o Brasil e que sonham em ir embora. Confesso que um convite para ir embora, dependendo do destino, seria bastante atraente, mas por que abandonar os meus problemas e me envolver com o dos outros???

Porém, essas pessoas que dizem odiar o Brasil, esquecem de todos os pontos negativos e até do seu “ódio”, param todas as suas atividades para assistir aos jogos da copa. A partir do próximo dia 13, o país todo vai parar para assistir ao jogo, ninguém lembrará de quem foi morto nesses últimos dias, de toda a corrupção e das desigualdades sociais.

Aí eu te pergunto, por que??? Por que essa busca pelo hexa??? De que vale o hexa, se não para um felicidade que acabará antes do fim do ano?

O hexa não vai acabar com a corrupção, ou com a fome, com a violência ou com a desigualdade social. De que vale ser o “país do futebol”, se a miséria é tão grande? Isso me faz lembrar de uma música de Renato Russo, Que país é esse?

Aí eu pergunto,
Que país é esse, onde todos os jornais do domingo mostram apenas a cidade na qual a seleção se hospedará primeiramente?
Que país é esse, onde vivem inúmero alienados, que param todas as suas atividades para assistirem a jogos de futebol?
Que país é esse, que possui uma das maiores belezas naturais do mundo e não tem a autonomia para explorá-la?
Que país é esse, onde a corrupção só faz crescer em todos os governos?
Que país é esse, onde uma cidade inteira para por causa de bandidos que encontram-se presos?
Que país é esse, onde uma cidade é totalmente controlada por traficantes?
Que país é esse, onde o salário mínimo não sustenta ninguém?
Que país é esse, onde é necessário pagar aos pais, para que seus filhos estejam nas escolas?
Que país é esse, onde sair de casa, ou até mesmo ficar nela, tornou-se perigoso?
Que país é esse? Não é o que eu quero pra mim.

É por isso que me encontro de luto, pela decepção que o meu país, que eu tanto amo, vem me dando.

Temos que sair do comodismo e tentar mudar os inúmeros erros que nos cercam. De que adianta mudar de país e tentar fazer algo em um país “alheio”, se o seu país, a sua verdadeira pátria, encontra-se uma bagunça? Temos que primeiro, mudar a nossa casa, para só então, podermos mudar o resto!

Bom, esse foi só o primeiro dos meus desabafos....

Karina Mendonça