quinta-feira, 6 de julho de 2006

Sem sentido (talvez)

Hoje eu num tô afim de falar dos problemas que cercam esse mundo. Quero falar sobre a vida, a minha, talvez, mas não quero falar da vida em si, enfim, não sei sobre o que especificamente quero falar, só estou afim de escrever algumas coisas que estou pensando e talvez sentindo e pronto. Só quero tirar de mim e botar no "papel".

Ando pensando muito na vida, e cheguei a conclusão de que é impossível concluir alguma coisa a esse respeito.

A vida é algo estranho, engraçado, trágico, feliz, triste, enfim, é algo que envolve muitas coisas, muitos sentimentos, muitas pessoas e consequentimente (sem trema, porque eu não consegui achar nesse teclado, mas não estamos numa aula de redação, certo? Então, continuemos...) muitas vidas.

Cada acontecimento em uma vida, envolve tantas outras que fica difícil diferenciar essas tantas vidas que muitas vezes tornam-se apenas uma (compliquei, né? Deixa eu ver se consigo me explicar melhor. Algumas vezes uma vida vai de encontro com a outra e ambas terminam tornando-se apenas uma e assim, quando uma é abalada, consequentemente -sem trema também- a outra sofre com o abalo).

Não sei se estou falando muitas besteiras e nem se você conseguirá me entender, na verdade nem sei se estou me entendendo nesse exato momento, mas tudo que sei é que tô sentindo um monte de coisa ao mesmo tempo e isso esta começando a me deixar meio nervosa (quem me conheçe, sabe que eu nunca fui muito calma, mas é que é coisa demais pra uma cabeçinha só, sabe?).

Vou tentar ser um pouco mais clara. Nesse momento estou tensa, espero por uma resposta que nunca chega e não consigo parar de pensar a respeito, também não sei se estou amando (como alguém não sabe o que sente? Mas de uma coisa eu estou certa, não amo mais alguém que amei por tempo até demais) e nem sei se fico feliz ou não com isso, não sei como agir a respeito de algumas coisas e nem ao menos sei se devo legar outras coisas em conta, simplismente me sinto perdida, no meio de um deserto, procurando desesperadamente um oasis.

Falei muito e acho que não conclui quase nada, né? Me desculpa então, mas é que esse espaço é meu, sabe? Então, eu posso usá-lo só pra desabafar e você não tem nenhuma obrigação de ler, no entanto, se leu, muito obrigada.

Karina Mendonça

Um comentário:

>>>Pittynauta disse...

"Ando pensando muito na vida, e cheguei a conclusão de que é impossível concluir alguma coisa a esse respeito."
Meu deus, guria! como eu to adorando esse teu blog!

Eu li tudo, viu?!?! heuehue.. E tbm entendi (eu acho).. rss
Sabe.. as vezes tbm me sinto assim.. é estranho.. parece q estamos lotadas até o topo de sentimentos estranhos.. e, ao mesmo tempo, sentimos um imenso vazio.. =/
Sei lá.. eu sou estranha.. rsss
[pq será q eu coloquei tudo em 1ªpessoa do plural, se eu estou falando é de mim?!?! eheue.. ô lesuraaa! rs]

=]

bjos!