domingo, 5 de novembro de 2006

Férias!, Marian Keyes

Ultimamente ando lendo bastante.

Sempre gostei de ler, mas tenho lido com a finalidade de "fugir da realidade" e entrar em mundo completamente diferente, com pessoas diferentes, ocasiões diferentes, e até lugares diferentes e isso tem me feito muito bem.

Alguns poderiam classificar os livros que ando lendo como "livros de mulherzinha", e de fato são de mulher. Feitos por mulheres(os que tenho lido, mas alguns foram feitos por homens como Luca Biancchini) e para mulheres, afim de mostar a realidade feminina.

Algumas vezes de forma hilária, outras em forma de suspense e outras abordam assuntos sérios.

Afinal, diferente do que alguns homens pensam, nós mulheres, não vivemos loucamente a procura de um príncipe encantado. Claro, seria bom se ele aparecesse, mas não vivemos 24 horas por dia pensando em quando isso acontecerá.

Me prolonguei um pouco, mas estou aqui para falar especificamente sobre um dos livros, o livro Férias! de Marian Keyes.

O livro conta a história de Rachel, uma jovem com um emprego, um namorado, e uma liberdade invejável, fora pelo fato de ser uma toxocômana.

Caramba, confesso que aprendi muito com esse livro e de agora em diante(ou melhor, desde ontem a noite, quando acabei de ler o livro) não vou mais julgar as pessoas apenas pelo que vejo ou por algumas de suas atitudes.

O livro mostra que alguém não se torna um toxocâmano apenas por querer ser toxocômano e não pega drogas apenas para se drogar.

Tudo têm um antes.

É impressionante o desenrolar da história. O livro mostra que tudo começa do começo.

Deixe-me explicar.

Uma pessoa não começa a se drogar do nada e não se torna um viciado por acaso. Alguns fatos que marcaram a sua infância podem ser os grandes causadores da sua dependência e o quando a ressaca chega, a pessoa se droga para não sentir a ressaca.

E assim vive em um ciclo sem fim...

Descobri que as pessoas se drogam por não quererem enfrentar a realidade.

A droga é apenas um refúgio. Refúgio esse que pode destruir toda uma vida.

Sei que era apenas um livro, mas sei que a história de Rachel é igual a de muita gente.

Não estou dizendo que os apoio, apenas agora compreendo o que os leva aonde quer que pensem que estão indo.

Antes eu apenas ouvia falar sobre as drogas, de longe, mas após ler o livro, pude, de certa forma, estar perto de uma dependente e pude ver o seu ponto de vista.

Não sei se falei coisas sem sentido, mas o que eu queria dizer é que o livro é bom e faz você compreender um outro cotidiano e também ajuda a acabar com o preconceito com os dependentes químcos.

Enfim... me prolonguei demais, mas espero que o recado tenha sido passado, seja ele qual for... hehehehe

Kari Mendonça

4 comentários:

O que é, é" disse...

realmente Kari, por trá ou dentro como queira, de toda Historia tem um contesto, tem muita gente que se droga por fuga, comon tbm tem muita gente que se droga não só com intorpecentes, quimico, porém com drogas legais, no seu caso, um bom livro, tem gente que a sua droa é estudar, praticar algum esporte, trabalhar, religiões e ate nada fazer, e dessas coisas ja me droguei de muitas formas, o surf, as competições, os livro, mas nunca sem saber que estava ali ou fazendo aquilo por escolha, e vontade de fujir da realidade. Qual tem sido o seu contesto? Abração Manééé.

Anônimo disse...

Kari,

Gostei do artigo! A fuga não é uma coisa má por definição. A fuga que destroi - essa sim é má. As vezes é preciso fugir, buscar refugio para descansar e aprender novos conceitos, para poder voltar a encarar a realidade com novos recursos e com força renovada. Um grande segredo - Deus é o refugio total, fonte da vida, renovo de força para poder enfrentar um mundo tão difícil. Quando se descobre esse segredo, as coisas não ficam mais faceis, mas a vitoria pode ser alcançada e todo obstaculo vencido.

Gostei da nova foto e da explicação em baixo. Melhor do que o anterior.

Abraço - DV

elainep disse...

Também li o livro Férias e amei! As sessões são tão reais que acabamos também fazendo nossa análise pessoal. Me senti sendo submetida a terapia. Não uso drogas, mas alguns problemas abordados no livro são muito semelhantes aos que enfrentamos em nossas vidas...

O Pequeno Diabo disse...

tb li o livro férias

adorei

chorei nas últimas páginas e me emocionei muito com o crescimento da personagem

lindo
xx