sábado, 11 de novembro de 2006

O medo do desconhecido

Ontem recebi uma notícia que mudou a minha vida, ou mudará a partir de agora.

Passei no vestibular, pois é, nem acabei o terceiro ano e já tenho certeza de que estarei na faculdade no ano que vem.

Ainda não me permitir me alegrar com a notícia, visto que muitas coisas estão acontecendo, então, pensei que não seria justo me alegrar quando pessoas que tanto amo estão em momentos tão difíceis.

Pra falar a verdade, ainda não consegui "absorver" a notícia, mas penso que foi bem recebida, pelo que percebi através da alegria de meus pais e alguns mais próximos.

Mesmo sem "digerir" o assunto, tive um pouco de medo. O medo do desconhecido.

Não sei como será daqui pra frente.

Se tenho certeza se fiz a escolha certa? Tenho sim.

Jornalismo sempre foi a minha paixão. Devem ter percebido que gosto de escrever, mesmo escrevendo coisas sem sentido ás vezes.

Gosto de pesquisar, sou curiosa e procuro sempre estar bem informada, percebo pequenos detalhes pois sou bastante observadora.

Não sei se isso poderá me ajudar.

Não sei como serão as minhas aulas, nem as pessoas.

Mas uma certeza eu tenho: estou andando no caminho certo.

Mesmo sem tanta certeza de para onde estou indo, sei que estou seguindo os meus intintos e quero ver até onde eles me levarão.

Antes de saber o resultado, ficava imaginando como seria quando as aulas começassem e agora fico com um frio na barriga só de pensar. Mas estou louca pra que começem logo.

Não vejo a hora de começar a estudar coisas que sempre gostei.

Não vejo a hora de abolir a química, a física e a matemática da minha vida(que os químicos, físicos e matemáticos me perdoem, mas essas matérias não são pra mim...).

Talvez, se você já faz faculdade ou já acabou, pense que estou falando bobagens.

Bom, talvez eu esteja.

Mas falo o que sinto e "se pra os outros já não faz sentido" não tenho culpa nenhuma quanto a isso.

-Abraços

Kari Mendonça

Um comentário:

Anônimo disse...

Kari,

Meus parabens pelo vestibular! Curta a felicidade do momento, é importante, mesmo se existem outras circumstâncias tristes. Chore com a tristeza, mas também se alegre com as vitórias.

Abraço,

- DV