sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

Sem tema central

Desculpem-me a ausência. Andei viajando. Precisava ir pro meio do nada pra não pensar em mais nada. Não que eu tenha conseguido não pensar em nada, mas isso não vem ao caso.

Enfim, não escreverei sobre isso, então vamos em frente...

Hoje fui ao cinema. Adoro assistir filmes e quando os vejo no cinema é ainda melhor.

Gosto da maioria de tipos de filme.

Não gosto dos tipos pornô ou ficção científica demais (ou seja, só gosto de alguns).

Os meus preferidos são romance, drama, comédia, ação, suspense e terror (caso tenha notado, todos os outros tipos não citados no parágrafo acima...).

Um dos motivos que mais gosto de ir ao cinema é porque lá é quando eu consigo fugir do “mundo real”, digamos assim.

O cinema é a minha fuga, onde eu consigo esquecer de tudo e de todos e me concentrar no filme, só nele e por mais triste que o filme seja, me deixa feliz esquecer da minha vida, por um curto período de tempo.

O único fato que me deixa triste ao sair do cinema é que percebo que a vida não é nem um pouco parecida com o que vemos na “telona”.

Nos filmes, tudo parece tão fácil por mais difícil que seja. Deu pra entender?

Eu vejo tanto filme (ou talvez sejam todos iguais, não sei dizer) que já consigo saber quando o cara certo para cada personagem aparece, mesmo que muito rápido.

Eles são sempre encantadores, carinhosos, charmosos, elegantes e desleixados, enfim, eles são perfeitos, afinal eles não são de verdade, não é?

Mas não paro de me perguntar se existe um cara desses. Mas e se ele fosse real? Eu sei que não é, mas e se fosse, não seria legal?

Não gosto de novelas, pois elas são sempre previsíveis, quer ver?

Eles se conhecem no primeiro capítulo e se apaixonam, ficam juntos, mas alguém quer ficar com ela e alguém com ele, então eles são separados e cada um arranja um novo par, e aí depois de muito sofrer sem o outro, eles finalmente terminam juntos.

Não é sempre assim? Nos filmes pelo menos, mesmo quando terminam juntos, tem toda uma história legal e acaba em menos de três horas.

Perdi-me no assunto? Deixe-me ler. Volto já...

...após algumas modificações estou de volta, mas ainda não sei se me perdi, então, deixe-me continuar até concluir.

Enfim, o que estou querendo dizer é que ás vezes gostaria que minha vida fosse um filme, mas aí eu lembro que o filme acabou em menos de três horas e fico pensando no que teria acontecido se aquela história tivesse seguido por mais algum tempo.

Poxa, será que o cara certo pra cada personagem só aparece nos filmes?

Talvez eu esteja sendo um pouco melancólica, mas veja o meu lado antes de me criticar.

Nunca tive sorte no lado “amoroso” da vida.

Os caras que conheci sempre foram os errados e todos uns babacas.

Apaixonar-me? Apaixonei-me sim, mas só pelos que não queriam nada sério, ou seja, eu sempre me apaixonava pelo cara errado na hora errada.

Nas na época eu ainda pensava: “é apenas o cara certo na hora errada”.

Ingênua, não? Mas as coisas mudaram.

Talvez os filmes tenham me ajudado a perceber que não eram os certos, mas os errados em todos os sentidos e por isso estou à espera do certo.

Estar à espera, mas não quer dizer que esteja apenas esperando. Compreendeu?

Acho que acabei me perdendo no tema central, se é que temos algum tema central por aqui, né?

Enfim, devo ter falado muito e não dito nada, né? Mas pelo menos eu falei, precisava falar e pronto. Agora vou indo...

-Até a próxima
Kari Mendonça

8 comentários:

Jackie disse...

Oi Kari!!!

Existem momentos na vida da gente em que tudo o que queremos é uma não existência voluntária, ou um imenso simbolo de não pertence!!!
E é justamente nesses momentos em reverberamos a mente e encontramos lá no fundo da alma alguma razão pra seguir!!!

Beijo

/fansdonetto disse...

Oiee
entendi perfeitamente o que vc quis dizer!
vc falou mta coisa sim..não se perdeu..pelo menos pra mim
sou apaixonada por cinema e tbm nao curto mto novelas pelo ms motivo..sempre a msm coisa!
ms sei la...sou uma defensora da ideia de destino...
qnd for pra vc encontrar o cara certo, vc vai!
Eh pessimo ouvir isso (eu sei q ja ouvi mto) ms na minha opiniao eh a vdd...
O duro eh esperar ele aparecer...
=/
amei seu texto!!
bjs
fer*

O que é, é" disse...

esse texto eu tbm gostaria de ter escrito, igual a musica de lenine, que ele me poupo o trabalho, nai fica assim, esperemos. falow Kari.

Reticências disse...

Consfuso ou não, endosso o que os os comentários disseram, entendi...

Sou uma apaixonada por cinema, portanto bastante suspeita para falar sobre o assunto. E o engraçado é que nem mesmo depois de ter trabalhado produzindo alguns (Esqueça produções hollywoodianas, ok?) e vendo tudo o que fica por trás das películas, não consigo deixar de ver essa arte com encantamento. Quem é que nunca pensou em ser personagem de uma grande história. Mocinha, vilã, amante... a chance de naquelas três horas ter sua vida resolvida.

Mas e depois do viveram felizes para sempre? Já reparou que com raríssimas exceções as continuações não são tão interessantes?

Sobre os relacionamentos também não sou a mais indicada a aconselhar, mas sabe o que acontece com a idealização? Não conseguimos viver o agora, entende? É sempre pensando no que poderia ter sido se tivesse encontrado o tal cara em outra hora, ou se você tivesse reparado no outro caeinha antes... Acho que o mais sensato (nem sempre o mais fácil) é tentar encontrar alguém sem grandes expectativas, deixando claro quem você é e esperando reciprocidade. Livre das pretensões de encontrar o homem da sua vida. Quando estiver com ele, vai perceber. Não nas grandes manifestações de amor, mas nos gestos mais simples de carinho.

Uma ótima semana pra vc...

E a propósito, qual o nome do filme que te trouxe tantos pensamentos?

Jana disse...

Menina linda, seu texto foi de uma simplicidade e ao mesmo tempo tão complexo.... rs
No fim, somos todas iguais mesmo...
Espero o carinha "certo", também... mas me pergunto se serei "certa" algum dia para algum carinha...

Entendeu? rs... Ah deixa pra lá...

Seu blog ta 10!!!
Mil bjos

Silviane disse...

Talvez fossem os errados por causa do que você procurava, mas com certeza foram os certos para que você amadurecesse, ganhasse mais experiência... Qunado o certo chegar, você saberá, tudo se encaixará perfeitamente...
xêro p ti!

Lua disse...

Eu entendi o que você quis dizer.
...

Eu pelo menos, gostaria de fazer da minha vida uma música ou filme. Daqueles,perfeitos. Em que tudo é certo. Porém... complexos.

Mas enquanto não encontro meu filme, minha música...
Contento-me em ver e ouvir o filme e a música dos outros.

Abraço.

Anônimo disse...

Olá Kari...
Estou de volta!

Sabe... Andei lendo novamente e pensando. Não posso me contentar em ver os filmes dos outros!

Vou fazer os meus!
Ver até onde posso ir... Até onde minha vontade e minha competência me levará.

E você assim como eu, pode fazer tal!


Abraços Kari!

=]