segunda-feira, 19 de março de 2007

O meu mundo...

Não tenho muito a dizer.

Não tenho conseguido muita concentração para escrever algo.

Mas queria apenas contar aos meus poucos leitores, que o meu mundo se reestaurou.

É, as coisas ficaram bem.

O problema foi resolvido e tudo parece estar melhor do que antes.

Fico feliz, e espero que fiquem comigo!!!

-Beijos
Kari Mendonça

quarta-feira, 14 de março de 2007

O meu mundo caiu...

Quando você saiu e disse que as coisas poderiam não ser como antes, eu já sabia que elas jamais seriam...

Mas o meu mundo não caiu do dia para a noite.

Começou a cair aos poucos, talvez até por pura paranóia minha, mas se era paranóia, por que caiu então?

Sabe quando o seu pior pesado torna-se real?

O meu se concretizou. E quer sabe? É horrível e dói muito mais do que eu imaginava.

Uma vez ouvi dizer que os artistas sentem de forma diferente, e demonstram isso de forma não muito convencional.

Desde então passei a me considerar uma artista.

Não, não quero me vangloriar, mas eu sinto de forma diferente dos outros.

As coisas parecem doer de uma forma extremamente dolorosa (sim, assim mesmo).

E agora? Eu me pergunto como será daqui pra frente.

Não tenho respostas, assim como não posso saber o motivo de todo esse rebuliço.

Pois é, parece que a vida me pregou mais uma peça.

Só que essa é uma das mais dolorosas, pois não tem culpado e eu não posso culpar ninguém.

Pronto. É isso. Talvez não tenha tido nenhum sentido, mas foi apenas pra “botar pra fora” mesmo.

-Beijos
Kari Mendonça

quinta-feira, 8 de março de 2007

Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher foi criado em 1910, numa conferência realizada na Dinamarca.

A escolha do dia 8 de março foi sugerida para homenagear as quase 130 mulheres e operárias que morreram queimadas em uma fábrica em Nova Iorque no ano 1857.

Tudo o que essas mulheres queriam era a redução da carga horário do trabalho, de 16 para 10 horas e um aumento no salário, que na época, era um terço do salário pago aos homens.

Claro que o incêndio não coincidiu com a greve, mas talvez a greve tenha sido a causa do incêndio.

Ou seja, o Dia Internacional da Mulher, foi criado para mostrar piedade às mulheres que foram mortas e para mostrar ao mundo que a mulher existe e que merece ser notada.

Oras, a mulher existiu sempre, e merece ser notada todos os dias de sua vida.

A mulher é quem tem o primeiro contato com o seu filho. O homem só o vê nove meses depois.

A mulher é quem dá a luz, ela que cuida do filho nos primeiros momentos, afinal, se ela não se cuidar durante a gravidez, não há nada que um homem possa fazer.

Por mais independente que um homem seja sempre existirá uma mulher em sua vida para apóiá-lo ou segura-lo, seja a mãe ou a esposa.

Se a mulher é tão importante a ponto de merecer um dia só dela, porque a “violência é o que mais mata mulheres em Recife”?

Entre 1997 e 2004 foram mortas 5.165 mulheres nessa cidade, o dobro da média nacional.

E aí eu pergunto, onde está o respeito à mulher dentro de casa?

Onde está o respeito à mulher na folha de pagamentos?

Pois apesar de ter melhorado bastante, o salário feminino continua inferior ao masculino em todos os países do mundo.

No Brasil, a mulher ganha, em média, 76% do salário de um homem.

E penso que a mulher trabalha muito mais que qualquer homem, pois além de funcionária, a mulher tem que ser mãe, esposa e dona de casa.

Ser mulher não é fácil, pois além de ter que ser tudo isso, a sociedade ainda exige que sejamos bonitas e bem arrumadas.

Assim como escrevi no post do dia 20 de novembro de 2006 (http://botandopra-fora.blogspot.com/2006_11_01_archive.html), as datas comemorativas são criadas apenas aqueles a quem se tem preconceito.

Existe o Dia Internacional da Mulher, o Dia da Consciência Negra, o Dia do Índio e assim por diante.

E cadê o dia do homem? Por que não “homenageá-lo”? Talvez porque não seja necessário devido a sua superioridade, não é?

É por isso que sou contra essas datas.

Por isso, parabéns as mulheres é um cacete!

Mulher é mulher todo dia e merece respeito o ano todo!


PS.: Pesquisei em alguns sites:
http://www.eselx.ipl.pt/ciencias-sociais/Temas/direitos_mulher
http://www2.uol.com.br/prevler/Artigos/mulheres_fantsama.htm
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2007/02/11/294529842.asp


-Abraços
Kari Mendonça

sábado, 3 de março de 2007

Eu amo, tu amas?

Já amou?

Não falo de amor apenas entre pessoas de sexos diferentes, falo no sentido geral da palavra.

Como assim?

Não sei bem, mas tentarei explicar.

Amar é algo complexo e difícil pra caramba de explicar.

Como se sabe que está amando?

Na verdade, eu não sei, mas é algo que não acontece do dia pra noite e nem se sente da mesma forma.

Você começa a notar a pessoa de uma forma nunca notada antes.

As qualidades parecem tão grandes e explícitas e os defeitos não chamam mais tanta atenção.

Você sente saudade quando não está junto.

Tem vontade de dar um abraço bem forte e quando isso acontece te dá uma satisfação enorme.

Sempre no meio de alguma conversa você lembra da pessoa, mesmo que não demonstre aos demais presentes.

Quando acontece um encontro casual é uma tremenda festa.

Você sente vontade de saber se a pessoa está bem, e vê-la triste é uma dor enorme.

Quando te acontece algo de bom, a primeira coisa que você quer fazer é contar aos seus amados.

E tantas outras coisas são sentidas e feitas quando se está amando, que duraria a madrugada inteira tentando enumera-las.

Ah... parece que quando amamos, as pessoas ficam mais divertidas do que quando as odiamos.

Enfim... nada haver esse post, né? Mas deu vontade de escrever e só pra lembrar, esse espaço aqui é meu, tá?

-Beijos
Kari Mendonça