segunda-feira, 28 de maio de 2007

*Sem idéia para um título*

* Se você está sem paciência para melancolia, aconselho que volte no próximo post. *
(foi só uma dica)

Passeando pelo locadora, a alguns messes atrás, percebi a falta de filmes bons.
Talvez porque eu já os tenha assitido muitas vezes ou talvez porque eles estão em falta.
O fato é que gosto de vários tipos de filme, mas confesso que prefiro os que me fazem sonhar.
Sonhar como? Deixa eu explicar pra que não sobre nenhuma dúvida.
Gosto daquele filme em que de repente o cara encontra a garota, mas nada dá certo entre os dois, mas depois de momentos engraçados, chatos, tristes, e feliz eles finalmente ficam juntos.
Mas também gosto muito daquele tipo de filme em que eles já começam juntos ou não, mas que por algum motivo eles aproveitam cada momento e o filme é simplesmente cheio me cenas de dar injeva a qualquer garota, mas no final, um dos dois acaba morrendo.
Talvez você pense que é um pouco estranho gostar de um filme de "amor" onde no fim, um deles morre, mas a moral da história é que eles viveram o tal amor da forma mais intensa e mais bonita possível.
Tá, eu sei que tudo não passa de roteiros e produções Hollywoodianas, mas eu não paro de me questionar se existe um amor tão lindo assim e se ele seria possível de acontecer comigo.
Poderia escrever uma lista interminável dos meus filmes preferidos, todos nesse estilo, mas decidi que hoje quero falar em particular não de um filme, mas de uma série, Dawson's Creek.

Voltando a locadora, ao perceber a hipotética falta de filmes novos, decidi que iria assitir a série Dawson´s Creek por inteiro.
Aos poucos alugaria cada temporada até o fim, pois, por não ter TV a Cabo, não tive acesso, e acompanhei apenas alguns pedaços da série, apenas os pedaços escolhidos pela Rede Globo.
Pra quem não conhece, não vou esplicar, sinto muito.
Mas passei o fim de semana assistindo a terceira temporada da séria e aqui estou eu, altamente melancólica, e chateada com a vida.
Sim, os filmes e séries possuem esse poder sobre mim.
Percebi que me identifico um pouco com alguns dos personagens e gostaria muito de ter outros na minha vida.
Tenho um pouco do Dawson, um cara sonhador, cinéfilo assumido e muito influenciado pelo cinema.
Não tenho todo o seu otimismo, mas gosto de passar horas pensando na vida e imaginado como ela poderia ou deveria ser.
Me identifico com o sarcasmo da Joey, e também com o seu jeito um pouco sonhador porém realista.
Também com o fato de ter possuido um amor por tanto tempo, mas que finalmente acabou.
Da Jen eu acho que não tenho nada, a não ser o fato de querer ser amada.
Mas Pacey é o cara que um dia eu queria pra mim.
Um cara simples, irresponsável e responsável ao mesmo tempo, engraçado sem ser chato, sincero, amigo, carinhoso sem ser melancólico, do tipo que faz qualquer coisa pela mulher amada. Ele é o cara perfeito, mas também é apenas um personagem criado por alguém.
E agora?
Devo continuar sonhando encontrar alguém como o cara que não existe, ou apenas me conformar com os existentes, porém sem graça?
Uma dúvida cruel...
Há que não goste de filmes, mas eu gosto tanto quanto de livros, pois ambos me transportam a um mundo paralelo, sabe?
E ás vezes, é muito bom sair do "mundo real" que parece tão chato, injusto, vazio e sem graça.
Ah... eu avisei sobre a melancolia logo no início, não foi? Não ouse vir reclamar agora.
Enfim... talvez você tenha apenas achado um texto chato, sem graça, e meio idiota, me desculpa, mas são sentimentos sabe?
Sentimentos meus, os quais vivem comigo, não me largam de forma alguma, e quer saber? Eu gosto desse meu "universo paralelo da fantasia".

Ah. Agora que já acabei, a quem interessar, aí vai uma lista de filmes que eu indico:
*Diário de uma paixão
*Antes que termine o dia
*Doce Lar
*O amor não tira férias
*Nunca fui beijada
*Amor sem fronteiras
*A casa do lago
* Cold Mountain
* Show Bar
* O diário de Bridget Jones
*Um amor pra recordar
* Cidade dos anjos
*Doce novembro
*Outono em Nova York
*Dawson´s Creek (todas as temporadas)

-Abraços
Kari Mendonça

sábado, 12 de maio de 2007

TERRA EM miniatura

"Se pudéssemos reduzir a população mundial para uma
pequena comunidade de 100 pessoas.
Mantendo as devidas proporções,
seria mais ou menos assim:

61 Asiáticos,
12 Europeus,
8 Norte Americanos,
5 Sul Africanos e Caribenhos,
13 Africanos,
1 da Oceania,
50 mulheres,
50 homens,
47 vivem em ares urbanas,
9 são desabitados,
33 cristãos,
18 mulçumanos,
14 hindus,
16 não têm religião,
6 são budistas,
13 praticam outras religiões,
43 vivem sem saneamento básico,
18 sem boas fontes de água,
6 pessoas dominam 59% das riquezas da comunidade,
13 passam fome ou subnutrição,
14 não sabem ler.
Somente 7 tem segundo grau de educação.
Apenas 12 pessoas possuem computador.
3 possuem conexão de internet.
1 adulto entre 15-49 anos tem HIV/AIDS.
A vila gasta mais de US$ 1.12 trilhões de armas,
E apenas US$ 100 bilhões em medicamentos.
Se você guardar a comida no refrigerador,
Suas roupas no armário,
Se você tem uma cama pra dormir,
E um teto sobre sua cabeça,
Você é mais rico que 75% da população.
Se você tem uma conta no banco,
Você é uma das 30 pessoas mais ricas do mundo.
18 pessoas lutam para viver com US$ 1 por dia ou menos,
53 lutam para viver com US$ 2 por dia ou menos.
Aprecie o que você tem e faça o seu melhor por um MUNDO melhor.

‘Amar e trabalhar são as pilastras da nossa humanidade’
(Sigmund Freud)"

http://www.youtube.com/watch?v=KkizZjTy_p0

Preciso falar mais alguma coisa?
Esse vídeo fala por si e mostra a tamanha desigualdade que existe nesse mundo!

"Sobretudo, sejam sempre capazes de sentir profundamente qualquer injustiça praticada contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. Essa é a qualidade mais linda de um revolucionário." (Carta de Ernesto Guevara aos filhos e esposa)

-Abraços
Kari Mendonça

sexta-feira, 11 de maio de 2007

Veja como você é (des)valorizado



“CONTA ABERTA

COMO
O GOVERNO TORRA O NOSSO SUADO DINHEIRO
O Estado brasileiro gastou R$ 806,8
bilhões no ano passado.
Agora imagine que essa dinheirama equivale a R$ 100.
E descubra como o país investiu seus recursos.

- Saúde: R$ 4,40
- Educação: R$
1,20

- Estradas: R$ 0,55
- Segurança
Pública: R$ 0,16
- Turismo: R$ 0,16
- Cultura: R$ 0,05
- Saneamento Básico: R$ 0,01

Os
hospitais representam o maior gasto da pasta: o equivalente a R$ 2,40 - pouco
mais que todos os salários do Judiciário. O programa de saúde que mais recebe
dinheiro é o combate à AIDS. O governo investe R$ 0,04 nele.”

(Veja o quadro ao lado)



-Fonte: Revista SUPER INTERESSANTE; Edição 239- Maio/2007; págs. 40 e 41



Pois é, agora eu me pergunto, se é na saúde que mais “gastam” dinheiro, pra onde vai essa grana?

Pois os hospitais públicos estão em situação cada vez mais precária.

Falando das estradas, não sei se posso falar muito, pois já em algum tempo que não saio daqui e por isso não posso opinar sobre a situação delas.

Porém, no início do ano passado, percorri muito por estradas e pude perceber sua situação desastrosa, tornando-se assim, perigosa.

Quanto a Educação, nem se fala, né?

Penso a única “grande” escola pública no Brasil são as prisões, onde todos aprendem perfeitamente e saem de lá bandidos melhores do que chegaram.

Apesar de que, penso também que a Câmara dos Deputados é outra grande escola, pois lá estão os maiores bandidos e ótimos professores, pois vários do que entram se corrompem.

A Segurança Pública é um outro “ponto” que parece esquecido pelo mundo.

Como já ouvi dizer, “estamos perdendo o direito de ir e vir” e isso porque o Estado não está fazendo a sua parte.

Não temos segurança em momento algum.

Para que você tenha uma pequena idéia dessa falta de segurança, vou dar o exemplo da visita do Papa.

Assistindo televisão ontem, vi que, por ser considerado um país muito violento, foi necessária a presença de policias de vários países europeus, pois o Brasil não poderia “dar conta” da segurança do Papa.

Claro que o Brasil não poderia “dar conta”, quando os próprios brasileiros não estão seguros.

Quando sair de casa ou até ficar nela é um eterno risco.

O dinheiro gasto com o Turismo também é mínimo, mas também, de que adianta investir no turismo quando a segurança foi deixada de lado?

A Cultura também anda um pouco esquecida e pouco valorizada.

Aqui em Recife, por sua ver, sempre tem alguns show e eventos bancados pela prefeitura, o que acho legal, pois nem sempre a “massa” pode pagar para freqüentá-los.

Por último o Saneamento Básico, quase esquecido e muito, muito pouco investido.

Não é porque as favelas estão crescendo que o saneamento deve ser esquecido, pelo contrário, deve ser sempre feito e “arrumado”, por assim dizer...

Bom, por essa matéria podemos ver o quando o nosso dinheiro é (des)valorizado e o quanto somos feitos de idiotas!

-Abraços
Kari Mendonça

quarta-feira, 9 de maio de 2007

APAGÃO CONTRA A VIOLÊNCIA, CORRUPÇÃO E IMPUNIDADE

"Dia 4 de junho às 19 horas

Aqueles que querem mostrar sua indignação com o descaso de nossas autoridades,
com a corrupção de nossa justiça, como abuso de nossos deputados e com a falta
de
segurança no país.

Apaguem as luzes por 5 minutos.

É uma maneira que encontramos de fazer com que o povo se manifeste sem sair
de suas casas.

Colabore, divulgando em seus blogs, orkut, flogs, faculdades, escolas,
condomínios, no trabalho, em todos os lugares .

Contamos com a corrente !!!

Grande abs

Tico Sta Cruz"

A minha parte eu tô fazendo!!!

beijos