domingo, 24 de junho de 2007

O vestido azul

Hoje eu recebi um e-mail que muito me chamou a atenção.
Uma história interessante e muito bonita, que podemos aprender muito com ela.

"Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma garotinha muito bonita.
Ela freqüentava a escola local.
Sua mãe não tinha muito cuidado e a criança quase sempre se apresentava suja.
Suas roupas eram muito velhas e maltratadas.
O professor ficou penalizado com a situação da menina.
"Como é que uma menina tão bonita, pode vir para a escola tão mal arrumada?".
Separou algum dinheiro do seu salário e, embora com dificuldade, resolveu lhe comprar um vestido novo.
Ela ficou linda no vestido azul.
Quando a mãe viu a filha naquele lindo vestido azul, sentiu que era lamentável que sua filha, vestindo aquele traje novo, fosse tão suja para a escola.
Por isso, passou a lhe dar banho todos os dias, pentear seus cabelos, cortar suas unhas.
Quando acabou a semana, o pai falou: "mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more em um lugar como este, caindo aos pedaços?
Que tal você ajeitar a casa? Nas horas vagas, eu vou dar uma pintura nas
paredes, consertar a cerca e plantar um jardim."
Logo mais, a casa se destacava na pequena vila pela beleza das flores que enchiam o jardim, e o cuidado em todos os detalhes.
Os vizinhos ficaram envergonhados por morar em barracos feios e resolveram
também arrumar as suas casas, plantar flores, usar pintura e criatividade.
Em pouco tempo, o bairro todo estava transformado.
Um homem, que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente, pensou que
eles bem mereciam um auxílio das autoridades.
Foi ao prefeito expor suas idéias e saiu de lá com autorização para formar
uma comissão para estudar os melhoramentos que seriam necessários ao bairro.
A rua de barro e lama foi substituída por asfalto e calçadas de pedra.
Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro ganhou ares de cidadania.
E tudo começou com um vestido azul.
Não era intenção daquele professor consertar toda a rua, nem criar um organismo que socorresse o bairro.
Ele fez o que podia, deu a sua parte.
Fez o primeiro movimento que acabou fazendo que outras pessoas se motivassem a lutar por melhorias.
Será que cada um de nós está fazendo a sua parte no lugar em que vive?
Por acaso somos daqueles que somente apontamos os buracos da rua, as crianças à solta sem escola e a violência do trânsito?
Lembremos que é difícil mudar o estado total das coisas.
Que é difícil limpar toda a rua, mas é fácil varrer a nossa calçada.
É difícil reconstruir um planeta, mas é possível dar um vestido azul.
Há moedas de amor que valem mais do que os tesouros bancários, quando endereçadas no momento próprio e com bondade.
Você acaba de receber um lindo vestido azul.
Faça a sua parte.
Ajude-nos a melhorar o PLANETA!"

Pois é, agora basta que eu e você começemos a usar esse vestido azul!

-Abraços

Kari Mendonça


7 comentários:

Palavras de um mundo incerto disse...

Oi Kari,

Realmente! Aqui eu estou fazendo a minha parte e passando a melhor forma de cuidarmos do que é nosso.

Começando pela base: família e o restando é consciência de cada um, pois cada um tem suas necessidades próprias e deve agir como humano e não como animal.

Boa semana!

Abs e um bjo!

Marcos Ster

o alquimista disse...

Passei por aqui e gostei do teu espaço, volto se não te importares...


Beijinho

Antônio disse...

Puxa vida, o que essa história teve de singela, teve de tocante também. Fiquei boquiaberto aqui.
É uma tecla que eu insisto muito. Um simples sorriso que possamos distribuir já pode modificar muitas coisas.
Vou verificar se estou distribuindo vestidos azuis como deveria...

Beijo e boa semana!

kaya disse...

Nossa..... obrigada por compartilhar este texto conosco, Kari! Que boniito... realmente, agora cabe a nós usar o lindo vestido azul e tbm distribuir vestidos azuis aos demais.

Este texto disse mto.

Beijaummmmmmm

www.livre-essencia.blogspot.com

Marcus Vinícius disse...

Adorei o texto. Embora não goste da ideia de usar um vestido azul...
Brincadeirinha, eu entedi a mensagem. As vezes esquecemos que mesmo as grandes caminhadas começam com o primeiro passo.

Abraço!

PS: continua comentando no meu blog

Palavras de um mundo incerto disse...

Obrigado Kari!

Ontem o meu dia foi estranho.
Era como se minha alma não estivesse presente no meu corpo.

Me surgia diversas idéias do que escrever,e eu escrevia, só que sempre faltava algo, mas será como que vai ficar. Não consegui terminar nenhum,mas pretendo continuar.

E então com essas quedas de rede, sentei na frente do pc e despechei a minha DIABRURA.

Obrigado pela estimulação.
Aqui neste espaço é que me liberto. Na minha rotina, na rua,as pessoas que encontro, nenhuma puxa realmente um assunto como o que tratamos aqui:política,sexo (hummmm), violência, guerra, amor,desamor, e sobre coisas culturais; é difícil viver no meio disso tudo. Existe claro excessões,mas é raro acontecer.

Graças ao MEU,ao SEU, e aos DIVERSOS BLOGS, me sinto bem em falar,em colocar as idéias próprias e rever o meu conceito, pois é difícil falar com a estupidez e o cinismo.

Bjos e um fortíssimo abraço pra tu(ahhahahahahahahahahahah)guria.

Marcos Ster

Ps:Viva este nosso contato, viva!!!!!!!!!!!

Homens são tolos.... mulheres também!! disse...

"e tudo começou com um vestido azul" estou aqui pensando por onde começar para ajeitar minha vida... bjs