sexta-feira, 29 de junho de 2007

Quase

"Ainda pior que a convicção do não,
É a incerteza do talvez,
É a desilusão de um quase!

É o quase que me incomoda,
Que me entristece,
Que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.

Quem quase ganhou ainda joga,
Quem quase passou ainda estuda,
Quem quase amou não amou.

Basta pensar nas oportunidades
que escaparam pelos dedos,
Nas chances que se perdem por medo,
Nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna.
A resposta eu sei de cor.

Está estampada na distância e
na frieza dos sorrisos
,
Na frouxidão dos abraços,
Na indiferença dos "bom
dia", quase que sussurrados
.

Sobra covardia e falta coragem até
para ser feliz.

A paixão queima,
O amor enlouquece,
O desejo trai.

Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor.
Mas não são.

Se a virtude estivesse mesmo no
meio-termo,
O mar não teria ondas,
Os dias seriam nublados e o arco-íris
em tons de cinza.

O nada não ilumina,
Não inspira,
Não aflige nem acalma,
Apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.

Para os erros há perdão,
Para os fracassos, chance,
Para os amores impossíveis, tempo.

De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.
Um romance cujo fim é
instantâneo ou indolor não é romance.


Não deixe que a saudade
sufoque,
que a rotina acomode,
que o medo impeça de
tentar.

Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando...
Fazendo que planejando...
Vivendo que esperando...

Porque, embora quem quase morre esteja vivo,
QUEM QUASE VIVE JÁ MORREU."


Luís Fernando Veríssimo


Desculpem-me a falta de textos meus, mas o meu computador andou com problemas e o tempo está um pouco corrido.
Por isso resolvi postar uma poesia que gosto muito.

Adoro poesia, principalmente aquelas que me tocam, espero que possa tocá-lo também!

-Um beijo
Kari Mendonça

8 comentários:

Marcus Vinícius disse...

Adoro esse escritor, os poemas dele são demais, mas não se comparam às cronicas...
Vou postar uma que eu gosto dele hoje.

Abraço!

Palavras de um mundo incerto disse...

Oi guria!

Tudo que tu escreves, tem um sentido especial para mim, pois leio com a alma, e sei muito bem que tu escreves com ela pulsando em pensamentos bons que, se transformam em belas e fortes palavras.

Gosto muitíssimo desse escritor.
Sempre que posso,leio suas crônicas da ZH, um jornal daqui de POA.

Uma ótima semana pra ti!

Bjos e um fortíssimo abraço!

Marcos Ster

Antônio disse...

Não tenha dúvida que LFV sempre toca. Esse cara tem uma sensibilidade incomum e está na galeria dos meus favoritos sempre. Seja na comédia, ou na reflexão, ele é dez.
Beijos, boa semana!

Priscilla Pontes disse...

kari!

achei teu blog!
lindo esse texto de Veríssimo..
adoro como ele aborda fatos tão simples de forma tão poética e reflexiva, lindo mesmo..

saudades tuas!
;*

P.S: nem digo mais q agente tem q marcar p se ver neh? isso virou lenda..

Palavras de um mundo incerto disse...

Bom finde!

Com carinho!

Marcos Ster

Ps: Vou te confessar: que sempre quando entro no meu blog, espero encontrar um comentário seu.

Ps2: Adoro conversar contigo.

Libélula da Noite disse...

AMOOOOO essa poesia...

Veríssimo é tudo neh?!
Adoooro mesmo!!!

Viu as novidades do mundo DRC???
Aiai... é novidade em cima de novidade... E eu que me enchi de esperanças achando que vinha cd novo esse ano... Agora sóooooo quando td tiver certinho...
Q pena...

Bom final de semana!!
bjus!

kaya disse...

Oi Kari... esse texto eh maravilho...

eu ja postei ele uma vez no meu blog. É um texto que a gente precisa ler e reler de vez em qdo... pra relembrar...

pior coisa é ser um esboço de gente. Esboço de gente contenta-se com o 'quase'.

Beijosss =**********

Palavras de um mundo incerto disse...

Vê se volta logo, pois ficar sem falar contigo é horrível.

Droga de distância territorial que não deixou que nos falássemos de olhos nos olhos.

Mas bah, vê se volta logo, guria!

Abs e um beijo!

Com saudade!

Marcos Ster