segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Medo do que?

Uma certa Menina me fez a seguinte pergunta:

“O que te faz esconder-se debaixo do edredom, suando frio, tremendo e rezando? Do que você tem medo?”

Para responder a pergunta ao pé da letra, não demorei nem um minutinho pensando.
Morro de medo de tempestade.
Pra mim, não existe nada pior do que ouvir, no meio da noite, aquele trovão e sentir aquele clarão entrando pela janela. Me cubro dos pés a cabeça com o lençol, fecho os olhos bem forte e fico pedindo a papai do céu que acabe logo com isso.
Não sei a razão desse medo e nem sei do que exatamente tenho medo.

Mas também tenho alguns outros medos, que não há edredom ou lençol que me ajude.

Já tive medo de perder amigos. Mas depois que perdi alguns, percebi que não devo ter medo, pois, os nossos momentos juntos estarão guardados pra sempre na minha memória e isso me basta.

Já tive medo que a vida levasse alguém que amo. Mas depois que ela levou algumas pessoas bem importantes, aprendi que “a saudade varia com o tamanho do amor” e, portanto, sentirei saudade sempre, e as lembranças estarão sempre como minhas sombras. E é com elas que sigo mais forte.

Hoje, tenho muitos medos ainda.

Tenho medo de olhar para trás e perguntar: onde estão os meus sonhos? O que fiz com eles?

Tenho medo de não ser amada por quem amo, porém, jamais tive/tenho medo de amar.

Tenho medo do tempo. Percebo que ele é capaz de transformar as pessoas e tenho medo que tanta mudança acabe nos afastando pra sempre, pois, como éramos, jamais voltaremos a ser.

Tenho medo de não superar as expectativas daqueles que tanto me apóiam e acreditam em mim. Medo de decepcioná-los.

Medo. Medo. Tenho muitos medos, mas tento sempre não deixar que eles me dominem.

E agora eu pergunto:

Pripa, Marquinhos, Karol e Antônio

Quais são seus medos? Seus maiores medos? Aqueles que o edredom pode ou não ajudar? Fiquem a vontade para responder, ou não...

-Um abraço
Kari Mendonça

12 comentários:

menina lunar disse...

Tô tão orgulhosa por ter te repassado o meme e dado o empurrãozinho p/ esse post tão perfeito.. rsrsrsrs =D

"Tenho medo de olhar para trás e perguntar: onde estão os meus sonhos? O que fiz com eles?"

Magistral!

Beijo Kari.

Auíri Au disse...

Tenho medo de ter medo..
só de pensar,
só de sentir,
só de esperar,
mais é por isso que eu tenho medo, porque o medo não me domina,
tenta
arranha
chora

mais no final sempre
ganhamos!!


paz

Auíri

Fernanda Carolina disse...

Oi Kari, nossa gostei muito do texto, realmente nós damos muita importância ao medo, eu cheguei a um momento em sonhar com a minha vida sem esse tal "medo" mais é impossível. O medo trás o equilíbrio da nossa vida, ás vezes trás sensações que sem ele não iriam ser tão bom.
Eu acho que entre todos os medos a sempre aquele que nós damos mais importância, como o de perde alguém ou até a nossa morte. Mais isso é um mistério que talvez nunca vamos descobrir, mais a um sentimento muito maior do que qualquer coisa chega ultrapassar essas barreiras, que é o amor. Esse estar à cima de todas as coisas, e por causa dele conhecemos outro sentimos como você mesmo citou “saudade”, ela chega a machucar, a doer o bastante, mais ela só existe por que um dia existiu o amor, e esse amor foi transformado nesse sentimento que é bom e ruim ao mesmo tempo, bom de lembrar, mais por outro lado é ruim por que sabemos que todos aqueles momentos não voltam mais.
Por isso que eu acho importante a existência desses sentimentos, que são os complementos da nossa felicidade.
Acho que já ta bom, quase escrevi um texto (risos) espero nos tornamos grandes amigas (virtuais). E desculpa a invasão no seu blog (risos) beijos!
Fernanda Carolina

Fernanda Carolina disse...

A m�sica � linda sim, pode procurar que voc� vai adorar.
Pode deixar que sempre vou vim aqui tamb�m.
Obrigada viu.
Beijos!

Antônio disse...

Caramba!
Quanto texto eu perdi nesse feriado...
Mas, vou tentar ler tudo com calma, e depois escreverei sobre os medos, conforme a convocação.
Ah, mudei de servidor, viu? E, dessa vez, definitivamente. =/

Beijos, cuide-se!

Priscilla Pontes disse...

ai kari depois desse post, tenho medo de não conseguir realizar um post satisfatório...asahshahshahs
Parabéns! adorei o post e os medos infantis (do relâmpago) que se juntam aos medos profundos (de perder os sonhos, dos amigos)...
ótima reflexão.
ótimo post.
e obrigada pela convocação espero saber dar minha resposta ^^
amnhã ou quarta eu posto, pq aí já vou ta livre,praticamente, do jugo das provas...



Bjos.
E uma ótima semana!!!

Marcus Vinícius disse...

O próximo texto vai ser esse dos medos. Vai ser interessante.

Ah, eu também mudei de servidor...

Beijos!

Helena disse...

Que texto animl! Adorei o jeito que voce escreve.
Muito boa a pergunta, e acho que minha resposta é vespa, abelha marimbondo, furmiga (sim, acredite)
De resto... é resto =]
Bjos

Samanta disse...

Amore, não precisa se desculpar, não...
No texto eu falo mais de mim que dos outros.
Ele caí em cheio, né?
Precisamos identificar esse nosso defeito e tentar mudar ao máximo.
Porque nos faz muito mal sermos assim...
Aconteceram coisas comigo esse fins que me fizeram pensar que sou uma verdadeira babaca quando não controlo minha impulsividade mas, isso é outra história...
Atualizei o mesmo post.
Tinha esquecido o outro texto!!!
(RISOS)
Que viagem!
Beijos no coração.

Samanta Gerlach disse...

E, seguimos conversando...
Mas, agora vou responder e desligar o computer.
Vou comer alguma coisinha...
No meu trampo também fiz merda neste fins...
Mas, foi bom, finalmente tomei uma porrada que vai me fazer baixar a bola da impulsividade...
Que bom!
Acabei gostando, mas que estou me sentindo uma babaca, ah!!! isto estou!
(RISOS)
Assiste o filme!
É mesmo o máximo!
Beijos no coração.

Alexandre Hallais disse...

Olá!!!
Saudades! A saudade tem a minha cara... rs
Bom, adorei o texto, porém eu não tenho medo. Um dia a morte bateu em minha porta e quase deixei-a entrar... por pouco. A morte sentou ao meu lado e acendeu um cigarro. Confesso que ela, a morte, era bastante insinuante. Linda, cheirosa, deslumbrante...
A morte chegou a pegar meu braço e puxar-me...
Acho que neste momento, eu resolvi ficar e não partir...

Talvez eu não tenha mais medos... eu ainda me pergunto se um dia não for lido??? Será que seria um medo?
Pode até ser.

Beijos e saudades

Palavras de um mundo incerto disse...

Kari,

Medo

Todo aquele ser que vivi com amor, com carinho, é sincero nas suas atitudes positivas ou negativas, tem medo. Somos seres dotados de sentimentos que nem um outro ser que eu conheça tem, a não ser um marciano, ainda não conheci nenhum assim, espero conhecer.
Mas, MEDO, é tão bom sentir, pois nos inovamos, nos dá coragem de querer saber algo novo, é um despertador para estarmos preparados para um momento que não sabemos qual é.

Eu sinto medo de tudo.
Sério!
E adoro!

Mas tudo tem seu limite.

Como medo e coragem, ambas auxiliam uma e outra. Quando temos medo, nada mais é a coragem sendo despertadas em nós, e quando temos coragem, estamos preparados para enfrentar o medo.

Pense nisso, guria?

Abs e beijos, com carinho!


Marcos Ster