sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Fim de tarde

Ela acordou cedo. Havia sonhado com ele a noite inteira e já não agüentava mais tanta saudade. Precisava sentir aqueles braços entrelaçando seu corpo. Sentir seu cheiro, sua pele. Já não agüentava mais esperar tanto por aqueles beijos. Precisava vê-lo, precisava estar com ele e não podia mais esperar um dia sequer.

Ligou para o seu amigo, ele vendia passagens e eles já haviam conversando sobre a possível viagem que ela faria. Viagem essa que já não agüentava mais adiar ou esperar tanto. Acertaram tudo, ela embarcaria em duas horas, pois queria estar lá o mais rápido possível.

Arrumou suas coisas. Não levaria muito, pois estaria de volta em alguns dias. Estava indo apenas matar essa saudade que doía tanto. Arrumou-se, e foi até o aeroporto. As coisas foram um pouco rápidas, já que não havia muito tempo para grandes planos.

Entrou no avião. Era a primeira vez que entrava em um, mas não ficou nervosa, queria apenas que as horas passassem um pouco depressa. Ligou o seu mp3, escolheu suas melhores músicas e nem percebeu a hora passar. De repente, percebeu que já haviam chegado.

E foi apenas nesse momento que ela começou a ficar um pouco nervosa. O que diria a ele? Perguntou-se pela primeira vez. Havia imaginado aquele momento tantas vezes e por isso nunca imaginou que essa dúvida pudesse lhe passar pela cabeça. Resolveu, portanto, ignora-la.

Desceu naquele aeroporto, já havia ouvido falar muito dele. E já havia desejado estar ali inúmeras vezes. Sentiu-se feliz por finalmente estar ali. Olhou para o relógio e percebeu que ele sairia do trabalho em quarenta minutos. Procurou um táxi e disse para onde iria.

Desceu na frente de onde ele trabalhava. Faltava pouco para ele sair. O nervosismo apareceu mais uma vez, mas ela o ignorou e finalmente ligou para ele. Ele atendeu o celular um tanto surpreso, ela nunca o havia ligado no meio da semana em pleno entardecer.

- Oi!
- Oi? Minha pequenininha, tudo bem?
- Tudo bem sim! Só queria te dizer que, quando tu saíres, eu estou aqui na frente te esperando, tá?
- Hã? Como assim?
- Como assim o quê? Eu to aqui na frente ô, esperando tu!


E ainda segurando os celulares, ele apareceu na frente dela. A timidez desapareceu e qualquer nervosismo também. Ela o abraçou bem forte. Ele ainda estava sem acreditar, mas a abraçou também e, quando seus olhos se encontraram, eles se beijaram. E foi um beijo gostoso, cheio de carinho, de vontades, de desejos. Um beijo bem demorado.

Quando conseguiram se separar um pouquinho, ela disse que não o queria atrapalhar e iria esperar a hora que ele fosse embora para poderem conversar e então ficar juntos. Ele ainda não conseguia acreditar que estava olhando para ela, aquela a quem ele tanto queria. Despediram-se e ele voltou ao trabalho.

Cinco minutos depois ele estava de volta. Ela o olhou e eles sorriram. Pegaram-se nas mãos e saíram. Ele não perguntou nada, sabia para onde leva-la, já havia prometido há muito tempo. Chegaram naquele parque. Era tão bonito quanto ela havia imaginado, mas era muito melhor poder estar ali com ele.

Ela o olhou nos olhos. Não conseguia olha-lo sem abrir um largo sorriso. Também não conseguia se segurar e o beijou. Mais um beijo cheio de carinho, de desejos. Tão bom! E eles passaram todo aquele fim de tarde ali, sentados, entre conversas e beijos. Entre olhares e amassos.

E ela desejou não voltar pra casa nunca mais. Só pra poder ficar ali, com ele. Só para poder tê-lo em seus braços e beija-lo quando quisesse. Para nunca mais deixar de olhar aqueles olhos, aquela boca... E foi por isso que ela aproveitou cada segundo ao seu lado, e talvez por isso, cada segundo tenha sido tão mágico. ♥


Kari Mendonça

9 comentários:

caroline disse...

Kariii, não faz uma coisa dessas comigo!! Este seu bloguinho branco tem certos leitores malucos-sensíveis-influenciáveis, sabia? Tô pensando em sumir daqui essa madrugada [huashauhsahusa]

=D

Tá lindo. Quando for protagonizar isso não esquece a câmera e volta com um montão de fotos tá?

Beijo lindona.
Se cuida!

Deborah disse...

o problema é quando não dá pra ir até lá.

Helena disse...

É tão bom se apaixonar e ter alguem para amar.
Tem a parte de uma musica linda que diz assim: "Já vi tudo acontecer, milagres tornados reais
Mas nunca eu vi nada assim quando os seus olhos olham para mim"
Bonito né? =]
Adorei o texto e a imagem
Bjos

Krika Muniz disse...

Kari adorei o texto... que bela história de amor... tem continuação???... gostaria de saber mais sobre os personagens... olha a curiosidade...

beijos!!!

Krika

Enterufter disse...

Eu geralmente leio todos os posts novos pra poder vir aqui comentar sobre todos de uma só vez...mas esse aqui é um caso à parte...rsrsrs

Dona Moça...não fique por aí contando histórias tão maravilhosas como estas que tem gente - como minha gêmea falou - muito "influenciáveis"...rsrsrs

Lindo, lindo, lindo...me deliciei com as situações até o "final"...parabéns...mas um texto perfeito!!!

...

Agora eu vou lar ler o resto...

Enterufter disse...

Voltei!!!

1 - Filas de bancos...prefiro não comentar, mas a maioria é do jeito que vc falou...e eu teria muitos argumentos pra criticar o governo, etc e tal mas não o faço porque é mais fácil criticar do que efetivamente fazer algo pra mudar isso tudo...sei lá...não falo do que não conheço, do que não experimentei...

2 - Eu escolhi meu "futuro" aos 16 anos, hoje estou com 18 e muito contente com a minha decisão, acho que essa escolha depende muito também, do estágio de amadurecimento de cada um, como vc falou até. É certo que a maioria, realmente não está preparada pra escolha tão importante mas existem alguns que já estão...na verdade tudo isso faz parte de um imenso conjunto de vivências e amadurecimento, conjunto esse que vai possibilitar a melhor escolha pras nossas vidas...

Beijo grande Kari!

Palavras de um mundo incerto disse...

"Seus olhos certos
Mas não sei o que dizer
Eu não vou mas o tempo vem
Tá tudo certo mas não sei o que dizer
Eu não vou mas o tempo vem aqui"

Olhos certos-DRC

Essa belíssima estória fez-me lembrar desta canção que adoro.

Bom domingo querida!!!

Com carinho!!!

Marcos Ster

Sinto que sei que sou: disse...

Esse Romantismo seu á muito bom
Que historia da ate vontade de escrever sobre o desejo de ter uma tarde assim...
Aiai qto amor no ar Kari.

Bjus

ALF disse...

Aff, é pra me matar do coração.
Lindo, espetacular texto, encharcado com romantismo, daqueles eternos e maravilhosos.
que história linda, magnífica e tão amorosamente escrito. Divino.

Pra mim que sou romântico e se encanta com coisas assim, fico relamente balançado.

Perfeito
;)

Beijos Kari