segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Indecisão?

O ano está finalmente chegando ao final. Para uns, um ano comum com alguns problemas e algumas alegrias, para outros, um dos anos mais estressantes da sua vida, o ano do vestibular. E, a maioria dos que estão se preparando para o vestibular, não tem mais de 18 anos.

E é aí onde eu sempre tive uma pequena dúvida. Estaria um jovem preparado para decidir todo o seu futuro aos 17 anos? Afinal, o vestibular é o que coloca você dentro de uma faculdade, onde passará no mínimo quatro anos estudando sobre um certo assunto específico e então, você será encaminhado para o mercado de trabalho onde passará o resto da sua vida trabalhando naquilo.

Acredito que, aos 17 anos a maioria dos jovens não está preparado para decidir todo o seu futuro. Nem sempre pensei assim, até ver que muitos que passaram no vestibular na primeira vez que o fizeram, decidiram fazer um outro curso alguns anos depois. Vivencie vários exemplos disso dentro da minha própria casa.

Uma das minhas irmãs fez vestibular para Hotelaria, não passou, e no ano seguinte decidiu fazer Letras. Outra irmã minha, começou um curso de História, mas desistiu antes de acabar o primeiro semestre e hoje está tentando para Medicina. Já a minha irmã mais velha, cursou dois anos de Ciências Sociais e desistiu. Hoje ela faz Educação Física e está muito satisfeita.

Estudo com um menino que já começou o curso de Psicologia, de Direito e agora está cursando Publicidade. Uma amiga que também faz Jornalismo, decidiu que queria mudar de curso e ir para Enfermagem, no entanto, ela é do “ProUni” e por isso não pode mudar de área, apenas de curso. Sendo assim, ela resolveu que fará Direito no semestre que vem.

É normal que nem todos façam vestibular para aquilo o sonhavam quando criança, afinal, estamos em constante mudança e é normal que mudemos de idéia. Há algum tempo, eu costumava criticar aqueles que acabam o Ensino Médio e decidem não fazer vestibular, pois dizem não estar preparados. Hoje eu os compreendo, e até os admiro, pois, quando decidirem o que querem, creio que farão a escolha certa.

É certo que, nenhum ano dentro de uma universidade será perdido, mesmo que o curso final não tenha nenhum vinculo com o inicial. Também é certo que, todo conhecimento é muito válido. Mas afinal, o problema seria do jovem indeciso ou do sistema educacional?

Eu poderia criticar o jovem, pois é sempre mais fácil criticá-lo. No entanto, muitas vezes não estamos preparados para tantas decisões importantes. É enorme a pressão que vivemos. Os nossos pais esperam que tenhamos um futuro e que sejamos bem sucedidos, e a sociedade nos espera no concorrido mercado de trabalho. O mundo espera que deixemos de ser um adolescente e nos tornemos um cidadão com direitos, deveres e inúmeras obrigações.

Talvez o sistema também tenha um pouco de culpa nisso tudo. Nas escolas européias, o aluno entra para a universidade aos 20 anos. Sim, a diferença entre 17 e 20 pode não parecer muito grande, mas acredite, a diferença é enorme. Um exemplo disso é que, se repararmos uma criança de 1 ano e outra de 3, ambas estarão em estágios completamente diferentes de suas vidas, e a diferença é facilmente perceptível.

Talvez o sistema nunca mude. Talvez, nós jovens, nunca deixemos de ser um pouco complicados. Mas, o que é triste de ver é o enorme número de profissionais insatisfeitos, ou porque fizeram algo que lhes foi imposto ou porque decidiram fazer algo apenas pelo maior número de ofertas de emprego.

É difícil decidir todo o seu futuro com uma simples inscrição, porém, pior ainda é não fazer aquilo que se quer, mesmo que não seja na sua primeira opção.
.
.
Kari Mendonça

16 comentários:

Daniele disse...

Oiiii Kari!
Dps de um tempo sumida cá estou eu... =]
Li tds os seus posts desde o último, mas vou comentar num só:
-Fiquei com vontade de ir pra Pernambuco...
-Tive o gostinho de sentir o que é essa terra numa feira de turismo da qual participei, pois provei um caldinho de Sururu absolutamente D-E-L-I-C-I-O-S-O! Fora todo o material promocional q recebi, nossa, a beleza salta aos nossos olhos! Ô terra linda! =]
-Eu sou mto lezada mesmo... Nunca presto atenção nos olhares alheios (não assim, andando na rua, rs) e tô sempre tão apressada/distraída/cansada que ñ reparo nas pessoas... =[
-Meu ano de vestibular foi tenso, eu fiz pra jornalismo como vc, e pra RP... No final, achava q deveria ter feito pra história, mas me formei em Turismo! rs
Me formei com mtas dúvidas, mas decidi chegar ao final... Até hj as tenho... E um dia farei outra faculdade, com certeza...
-17 anos definitivamente ñ é uma idade apropriada pra se decidir uma vida... Mas, fazer o q...?

Beijãoooooo!

Marcus Vinícius disse...

Me reservo a dizer que e ainda não quero me preocupar com isso.
Escolher o curso técnico do ensino médio já foi bem difícil.

Beijão!

Somente EU mesma disse...

Amiga,

Me desculpe pela cobrança, mas todoas as vezes que eu quero falar com vc, vc desaparece de repente do msn...

Não estou muito bem não, mas retirei a outra postagem e a salvei nos rascunhos...

Obrigada!!!

Bjs

Janaína

Candinha disse...

te entendo tanto, minha amiga.. entendo muito desse texto, mas graças a Deus, não vivencio, só acompanho com os olhos. vc sabe o quanto sou feliz no meu curso, e graças ao acaso, pulei de cabeça nessa área.. e até agora, tem dado tudo certo. pena q n é assim com todo mundo; pena que o nosso futuro seja dividido em humanas, exatas e saúde; pena que certas escolhas precisam ser tomadas tão precocemente.. mas precisam ser tomadas, numa certa altura da vida. seja na primeira tentativa, seja na quinta.. a vida é assim, o mundo não vai parar de girar pra que a gnt pense sobre o nosso futuro, pra que a gnt pense na melhor solução; se alguns escolhem errado, paciência; pelo menos esses tem a certeza q eu n tenho de que aquele curso não foi feito pra eles. se fosse fácil fazer escolhas em nossas vidas, seríamos todos muito, mas muito felizes, e a vida não seria esse eterno aprendizado. =/

filosofando ou não, essa é uma forma de ver as coisas, de interpretar essa situação, esperar com otimismo que no futuro as escolhas sejam leves, fardos pesados o suficiente para que consigamos carregar. =]

beijo, kariroca. ;*

Weird disse...

Eu podia escrever um post aqui dentro, mas isso é um espaço para comentários, então vamos lá:

Os jovens são como células-tronco pluripontentes, ou seja, quanto mais jovens somos, mais flexíveis estamos para a vida, maior é a gama de caminhos e atitudes que podemos tomar, conforme vamos envelhecendo vamos nos diferenciando, nos moldando, e cada vez mais aquela pluripontência e flexibilidade vai diminuindo...

Eu acredito que quanto mais jovem uma pessoa concluí o ensino superior (mais ou menos uns 23 anos, se ela não repetir nenhum ano na escola e nem na faculdade) mais portas abertas ela vai encontrar no mercado, por que o mercado quer gente dinâmica, o mercado quer gente que ainda não está moldada, não está programada, não tem vícios, saca? Não vou mesmo naquele papo de gente que tem ótimas oportunidades de começar um curso superior já engatado com o término do ensino médio e resolve não fazê-lo por se sentir despreparada, pra mim está mais pra medo, sinceramente.

Não sei se você pensa assim também, mas muita gente diz que não tem emprego, na verdade o que falta é mão-de-obra especializada, a real é que tá sobrando emprego, isso sim! Não vou generalizar, mas grande parte dos cursos superiores praticamente exigem uma especialização, se não fizer a coisa não anda.

Não sou muito fã de estudos, mas eu já tô quase me conformando que vou ter que estudar pro resto da minha vida, não tem jeito!

Acho que acabou saindo um mini-post.
Sorry =P

Weird disse...

Isso porque nem comentei sobre as decisões do futuro e trocas de curso...

Sinto que sei que sou: disse...

OLha eu tenho a sorte de sonhar fazer o que sepre quis: BIologia, desde a 8º serie quero isso...
Meu sonho é tão dificil assim, meu sonho é estudar, isso é pedir demais? Acho que não, mas parece que as Universidades querem acabar com nossos sonhos de infancia...
Na minha sala do cursinho acontece muito isso que tu falou, pois a maioria nem sabe o q quer e presta pro mais facil e menos concorrido, sem pensar no futuro, tbm concordo q nenhum ano é perdido, assim como meu ano de cursinho o ano passado não foi em vão, mesmo nao entrando na facul e nem esse sera se por acaso acontecer de novo e nem todos q ainda virao, mas decidir essas coisas é tarefa dificil, e exige maturidade e resposabilidade, por que as vezes é tirado o lugar de quem sonha pelos indecisos na vida, nao é critica, pq tbm ja me "indecide" muito, ja quis letras, pedagogia e ate geologia...huauha
Essa incostante decisão acaba com o ser humano...

O magnata disse...

Hum!!!uma dúvida que me pertuba já eu tendo os meus 25 anos, pois como vc falou passaremos o resto de nossas vidas ou não também é muito difícil tudo isso...

Sinto que sei que sou: disse...

Florzinha, pode linkar sim,ja te linkei faz tempo
e sonhei com ele mas nunca o vi cara cara, isso é meio ruim huahuahua
E eu disse q concordo q nenhum ano é perdido....

Bjus

Lilah disse...

Pois eh,Kari,
falou e disse!


eu quando era criança queria ser medica, depois advogada ambientalista, nos 11 anos tinha certeza de jornalismo,
depois passei 5 anos anos com a certeza de Psicologia,
e hj penso na possibilidade de Publicidade.

a verdade é q eu queria ser artista,
eh um grande sonho!

de uma coisa,talvez a unica, eu tenho certezaa,
vou lutar por aquilo q tiver na minha mente no momento,se não der certo,
tento de novo!
e assim por diantee!

ano q vem sou eu no vesti,
e a escolha vai ser feita!

Candy disse...

Posso contar minha experiencia?
Pois eu vou contar hehe

Tive que decidir qual curso iria escolher aos 16 anos... uma decisão MUITO dificil... preciso nem dizer que tinha pressão dos amigos, da familia, do colegio... pressão de mim, claro. Pressão de todos os lados.
E er chegada a semana de inscrição. E aí? O que faria? Bem, fui eliminando os cursos que nao faria de jeito nenhum. Sobraram alguns poucos e escolhi Psicologia por acaso. Sim, sim, escolhi por acaso. Quase que por sorteio. Sério =/

Não sabia nem direito o que um psicólogo fazia e nem procurei saber. Mergulhei de cabeça (isso, alias, rende um otimo post) e cá estou eu. Penso que nao poderia ter escolhido um melhor. Por outro lado, penso que me sairia bem em qualquer um pq me dedicaria de corpo e alma.
Se já pensei em desistir? sem dúvida! Mas estou aqui, terminando o quarto ano e me encaminhando para o ultimo, buscando meu diploma. Pode me criticar quem quiser (e fazem mto isso), mas gostar do curso é fundamental, mas não é o unico requisito. Há muito mais por trás do que apenas o "gostar", há mercado de trabalho, oportunidades, pessoas que possam te ajudar... enfim, negar a realidade do país e o desemprego é burrice. Infelizmente. Ou felizmente.

COmo sempre, venho comentar e termino falando, falando e nao dizendo nada...
espero q tenha dado pra entender oq quis dizer. =/



Kariiii, saudadeeeeeeee!!!
segunda (19) entrego meu TCC! nervooooso! :S
Mas vai dar certo! :D
Como vc está? as novidades?
se cuida, viu?


beijaaaaaaaaooo

Roberta disse...

Oi, Kari! Conheci seu blog através do da Candy. Gostei muito. Concordo com você, aos 17 anos não dá pra gente tomar decisões tão sérias como essa. Eu mesma sou exemplo disso. Aos 17 quis fazer tanta coisa diferente: Astronomia, Química (e olha que sou péssima em cálculos!), Produção Cultura, Jornalismo (igual a você!), Ciências Biomédicas... enfim. E sabe no que me formei? Em Pedagogia! E isso no ano passado, aos 26 anos! E não me arrependo não, posso adoro lecionar. Mas ainda vou fazer História, ah vou! Bom, é isso. Faça uma visitinha no meu blog, acho que vai gostar. É bem diferente, pois é sobre uma história que estou escrevendo. Não deixa de comentar tá? Abração!

Mylene Ribeiro disse...

Kari
Por acaso vc tá lendo meus pensamentos rsrsrsr

A sociedade nos obriga a escolher uma profissão.

Eu só tenho 17 anos e já tive q ecsolher o q eu quero faze, não tenho certeza se é isso msm, mas vou tentar ... espero não me arrepender , e vc mora em Pernambuco ?!
Aí q cidade linda, q vc mora depois d ler o post sobre Pernambuco me deu até vontade d viajar !!!
bjao

Marshmallow disse...

Eu até discuto sobre isso, mas pelo net é bem mais complicado do que pessoalmente. Esses dias eu e um amigo passamos a tarde todo falando de religião (ele tem a mesma opinião que a minha), hehehehe.

Katarine disse...

Engraçado. Sempre pensei isso também. Olha como são as coisas. Não sei se estava preparada qndo prestei vetibular. MAs não passei de cara. Fiquei em 3º suplente. Quase morri, demorei a me acostumar com a idéia e voltei pro pré-vestibular. Depois de seis meses fui chamada pela Ufes, para cursar comunicação. Ainda estou no início da minha profissão, mas acho que fiz a escolha certa. Se não tivesse sido chamada, teria prestado meu 2º vestibular para direito. Será que teria me dado bem?

Bom, mas o que quero dizer é que nossa vida é feita de escolhas. SEMPRE! O que não podemos é ter medo de mudar.

bjos!!!!

ALF disse...

É fato. Os jovens hoje aos 17 realmente saem do Ensino Médio sempre com uma dúvida. São poucos os que saem determinados a fazer um curso, muito embora futuramente possa desistir ou não. Mas na maioria a escolha ainda não aconteceu. Seria fácil criticar, mas é dificil tomar certas decisões antes de você realmente conhecer o que será feito.
Acho que é preciso um conhecimento maior dos cursos superiores que são ministrados. CAda estudande se informar bem do que cada umtrata de verdade e quem sabe se identificar. Ainda assim é vago. Muitos desistem por descobrir que não era aquele curso que queria, não se identificou etc. Mas muitos acabam entrando num curso sem saber direito e se identificando.

Meu caso é bem parecido. Tentei tres anos pra informática na Federal daqui, mas não passei. Ganhei uma bolsa do Prouni para turismo, e era segunda opção. Entrei de gaiato em turismo, descobri depois que informática não era pra mim e acabei gostando muito de turismo. Abracei a causa e vou até o fim. ainda pretendo cursar Publicidade, que é outra área em que já trabalho e vou aliar ao turismo.

Bem, espero que o sistem se atente mais nesse problema e encontre uma forma de fazer os estudantes se conhecerem mais e conhecerem os cursos. O futuro está em nossas mãos.

;)

Belo texto.

Beijos menina Kari