quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Ser pernambucano é...

- Ser acusado justamente de que somos os mais megalomaníacos dos brasileiros e de estarmos no topo de um tal de IGPM (Índice Geral de Pouca Modéstia);

- Ter a mania de dizer que tudo daqui é melhor!(e não é mermo???);

- Dizer de boca cheia que o Shopping Center Recife é o maior da América Latina;

- Falar também que o Chevrolet Hall é a maior casa de show da América Latina;

- Ter a maior avenida em linha reta do mundo - a Caxangá, no Recife;

- Ter a maior feira ao ar livre do mundo- a de Caruaru;

- Ter também o maior teatro ao ar livre do mundo - Nova Jerusalém, em Fazenda Nova, onde é encenada na Semana Santa o espetáculo "A Paixão de Cristo";

- Ter a mais antiga sinagoga da América Latina - fica no Bairro do Recife, situado na ilha de Santo Antônio. Sem falar que foram judeus recém-saídos do Recife que migraram para os Estados Unidos e ali fundaram Nova York;

- Achar a Torre de Cristal do Brennand a obra de arte mais bonita do mundo;

- Saber que Recife é um dos grandes pólos de informática e de medicina do Brasil;

- Ir pra o teatro assistir "Cinderela" com Jason Wallace e se identificar com o sotaque e as gírias usadas no espetáculo;

- Vibrar com a chegada de Joana Maranhão na final das olimpíadas, pois desde 54 que nenhuma nadadora brasileira consegue tal feito;

- Freqüentar a praia de Boa Viagem em frente ao Acaiaca;

- Tomar um banho no mar de Boa Viagem mesmo com placas de advertência de tubarão em todos os lugares;

- E ir à Praia de Boa Viagem e tomar um "Caldinho Ele e Ela" p/ curar ressaca, gripe e dor de corno;

- Adorar bolo-de-rolo, sucos de pitanga, mangaba, cajá, tamarindo, graviola, manga, chupar pitomba e jaboticaba;

- Saber a delícia que é um bolo de bacia com caldo de cana;

- Correr no Parque da Jaqueira e depois se empanturrar de caldo de cana na saída;

- Tomar um caldo de cana no centro da cidade;

- Tomar café da manhã (macaxeira com charque) nos Mercados da Madalena e Casa Amarela depois da noitada;

- Adorar o tempero da comida pernambucana: Buchada, Chambaril, Mão-de-Vaca, Rabada, Vaca atolada, Sururu, Caranguejo, Carne de Bode, Carne-de-Sol, Feijoada, Dobradinha, Fava...etc.

- Nunca usar artigo na frente de nome próprio: nada de A Maria, ou O Recife...

- Saber o significado das palavras "pirangueiro", "pantim", "mangar" e "lascou";

- Chamar Paínho e Maínha p/ visitar Voínho e Voínha;

- Falar visse no final de cada frase;

- Dizer: "É rocha !" , "É porque não dá mermo", "Di cum força", "digaí", "tá ligado!?", "oxente", entre outras...

- E as praias de Pernambuco? Boa Viagem, Piedade, Candeias, Gaibu, Paraíso;

- Jantar olhando para a lua incrivelmente cheia e linda nos bares e restaurantes na beira do rio Capibaribe ou da praia de Boa Viagem.;

- Achar que Recife seria melhor se os holandeses tivessem permanecido e admirar Maurício de Nassau mesmo sabendo pouco sobre ele;

- É sabermos da nossa importância na construção da história desse país, da nossa identidade cultural Do nosso passado fundiário, dos nossos engenhos de açúcar;

- Ir ao monte das Tabocas perto de Vitória de Santo Antão e passar horas imaginando como uma batalha naquele lugar "deu origem" a um lugar tão maravilhoso quanto Pernambuco;

- Dar mais importância ao Campeonato Pernambucano de Futebol do que qualquer Campeonato Nacional, pois futebol se restringe a rivalidades entre Náutico, Sport e Santa Cruz;

- Ir ao Alto da Sé em Olinda apenas para ver Recife ao longe e comer tapioca;

- Ir prá Gravatá, Garanhuns... e se encher de casacos, luvas... independente do frio que esteja fazendo;

- Ficar sempre dividido entre as belezas das Praias de Porto de Galinhas e de Calhetas;

- Ouvir Alceu, Geraldinho Azevedo, Chico Science, Luiz Gonzaga, Lenine e outros tantos e poder dizer "São meus conterrâneos";

- Nos orgulharmos dos nossos grandes literatos: de João Cabral de Melo Neto, de Manuel Bandeira, de Carlos Penna Filho, de Osman Lins, de Gilvan Lemos, Raimundo Carrero, Luzilá Gonçalves, Nélson Rodrigues, Josué de Castro, Paulo Freire, Gilberto Freyre, além de Ariano Suassuna (que só fez nascer na Paraíba)...Entre tantos outros;

- Considerar Reginaldo Rossi o nosso Rei;

- Achar que José Pimentel é a cara do Cristo;

- E fazer qualquer coisa por um taquinho de rapadura e/ou queijo coalho quando reside fora de Pernambuco;

- Se você reside fora do estado, é recomendar aos filhos omitirem o fato de serem Pernambucanos para não humilhar os colegas;

- Poder dançar um frevo em Olinda e se orgulhar em dizer que é nosso;

- Encher os olhos d'água com aquele sorriso no rosto e até se tremer de emoção só de falar do carnaval de Olinda...;

- Saber distinguir entre o Maracatu do Baque Solto do Maracatu do Baque Virado;

- Ir ao Recife antigo e pode constatar todo aquele patrimônio arquitetônico;

- Acreditar que Recife é mesmo a "Veneza Brasileira";

- Amar as pontes e Rio Capibaribe do Recife

- Saber que O Galo da Madrugada é o maior bloco carnavalesco do mundo (conduz mais de 1,5 milhão de pessoas nas ruas do Recife), de acordo com o Livro dos Recordes;

- Ter orgulho do nosso São João que é o maior e melhor do universo;

- Ter O Diário de Pernambuco como o jornal mais antigo da América Latina;

- Saber que a primeira emissora de rádio da América Latina é a Rádio Clube de Pernambuco;

- Dizer que Olinda se transformou recentemente na Capital Cultural do
Brasil;

- Estudos da Fundação Getúlio Vargas, que aponta as características econômicas de cada região, mostra que somos mais eficientes no comércio (influência dos holandeses?);

- Passar um tempo fora, chegar na capital e cantar: "Voltei Recife, foi a saudade que me trouxe pelo braço, quero ver novamente Vassouras na rua passando, tomar umas e outras e cair no passo...";

- Ah... Fazer a maior festa de forma bem calorosa, ao encontrar um conterrâneo em outro estado ou país;

- Morar em outro estado ou país e não perder o sotaque pernambuquês;

- É encher o peito pra cantar: ".. eu sou mameluco, sou de Casa Forte, sou de Pernambuco, eu sou o Leão do Norte...";

- É ser original, alegre, receptivo e solidário. É você perguntar onde fica o local tal e ser bem orientado por qualquer pernambucano;

- É valorizar a cultura popular, apreciar suas belas praias, é ser um cabra da peste!!!!!;

- Ter o maior paraíso do mundo e poder dizer com todas as letras: Fernando de Noronha é NOSSA!

- É se arrepiar com o nosso hino como se fosse o hino nacional, é usar nossa bandeira com todo orgulho, é saber a riqueza de nossa história...;

- Usar camiseta, boné, botton com a bandeira do estado (que aliás, é a mais linda do país);

- Saber cantar o Hino de Pernambuco em todos os ritmos: forró, frevo, maracatu. Enfim... é amar a nossa terra e defendê-la acima de qualquer coisa!

- É ser muito sortudo por nascer numa terra tão linda como essa!

“Acho até que você pode tirar uma pessoa de Pernambuco, mas nunca poderá tirar Pernambuco de uma pessoa!”

(Autor desconhecido)


-Aqui está o link para ouvir o hino em forma de frevo, dessa terra tão bonita e ver lindas fotos!

Desconheço o autor desse texto, mas eu o acho magnífico.
O melhor de tudo foi que, quando o li pela primeira vez, eu não estava morando em Recife e nem em Pernambuco, e talvez por isso ele me tocou tanto.
É lindo demais e, para os pernambucanos, toca mesmo!
No entanto, se você não é pernambucano e por algum motivo não gosta daqui, isso não me diz respeito.

Peço apenas, que você respeite a minha opinião e o meu amor a essa terra, que é a única que posso dizer que é realmente minha e tenho muito orgulho disso.

Beijão,
Kari Mendonça

36 comentários:

Katarine disse...

Ê pessoa pernambucana, hehehe.
Nunca estive em Pernambuco - mas ainda não desisti de chegar aí, rs.
Entre tantas frases, só não concordo com uma coisa:

Com certeza a bandeira do Espírito Santo é a mais bonita, rs.

bjokas!!!!

Weird disse...

Porra! Demais!

Tanto meus avós paternos quanto maternos são de descendência nordestina, meus dois avós maternos e quase todos meus tios maternos são pernambucanos, só a minha geração que veio nascer aqui pra baixo, hehe... eu sei muita coisa da cultura pernambuca, principalmente no que diz respeito a culinária e vocabulário, rs... mas lendo isso tudo aí me deu até vontade de fazer uma visita aos primos de riba... hoho ^^

Tô ouvindo o hino que você deixou aí, bem legal... =D

Adorei o post, beijo! ;)

Palavras de um mundo incerto disse...

Guria vou querer conhecer mermo Pernambuco!

Ei, já ouvi uma peernambucana querida dizendo: painho, mainha, mermo, visse, viu.....

Bjos querida e obrigado por me apresentar um pouco do que realmente é Pernambuco!

Um dia quero conhecer muitos lugares, comidas,e a cultura deste estado!

Com carinho!!!


Marcos Ster

Mah ** disse...

Aaah que bom que tu gostou do meu blog!!! Tbm gostei mto do seu! Vou passar sempre sempre!
Adoro ler quem adora escrever =)
Beijos!!

Fernanda Alves disse...

Nossa vou ter q concordar com vc sobre entrar no mar mesmo com a placa d todo tamanho que existe o perigo d ter tubaroes.... mas parece que assim o mar fica mais interessante né rsrs (louco!)

Adorei sua terra, já t falei isso mil vezes...

Bjos

Guto Melo disse...

Eu morei no Recife oito anos e sei como é. Lá tem o Capibaribe, o rio mais fedorento do mundo. O pior é que corta a cidade quase toda. Quando eu morava na rua da Aurora, eu rezava todos os dias para ele não arrotar.

A bailarina, disse...

Adoro quando tu fala de Pernambuco, =]
E com certeza eu ainda vou conhecer pernambuco.! :D
Beijao.!

Reticências disse...

Eita ta mangando da gente?
Há controvérsias... rs

Adoro o Pernambuco megalomaníaco!
Deu saudade...

Bjo

Luciana * disse...

Ahiuahiuhaiuh, adorei.
Hoje tive uma aula de geografia que disse ser recife um cidade immportante da zona-da-mata, sub-região nordestina, AHAHAHAHAHA.

Beijos, pernambucana!

Alexandre Hallais disse...

posso me mudar para aí então?

Beijos

O pensador disse...

Com tantos adjetivos chega até aguça minha curiosidade. bjokas

Guto Melo disse...

E quem disse que eu percebi só isso... Foi só mais um item para a lista de grandezas.

Max Psycho disse...

Eu particularmente sou contra estes regionalismos, mas até deu vontade de conhecer Pernambuco agora

Max Psycho disse...

Oi de novo, nossa de forma alguma eu quero ser mal interpretado, eu disse que sou contra pois, não temos que ter esta cultura separatista que muitos cultivam, de que é melhor viver aqui ou ali, o Brasil tem que estar acidma de tudo e ser o ponto mais importante, afinal toda terra tem suas belezas ( e também do que se envergonhar), mas por favor, me desculpa se fui mal interpretado, jamais quis ser rude no comentário

Max Psycho disse...

Que bom então, pois quero fazer amigos e nunca provocar discórdia (exagerado né) hehhe

Thais G. disse...

É né... (aquela pontinha de rivalidade entre Ceará e Pernambuco) rsrsrsr. Mas tudo bem...
Não vou nem dizer mais nada...

bjs Kari, espero que vc faça o seu retrato falado!

Auíri Au disse...

Sou Mineiro, mais com esse texto quase que eu viro Pernambucano
rsrsrs


Beijos

Guto Melo disse...

Sou caricoa e morei no Recife por oito anos. Acho Rio e Recife cidades que se assemelham em um aspecto: foram prósperas no passado e hoje, cada uma a seu modo, são decadentes. Acho meio ridículo esse papo de dizer que o Rio continua lindo (mentira!) e que Pernambuco é dukaralho!!! (não é.). Ambos os lugares estão uma bosta. Quando morei no Recife, convivi durante todo o tempo com a falta de água, inclusive em Boa Viagem, cartão postal da cidade. No Recife, fui assaltado três vezes; no Recife um homem colocou o pau pra fora em plena Rua do Príncipe obrigando minha namorada, na época, a correr assustada e gritando; No Cabo de Santo Agostinho, conheci um lugar chamado Beco da Fome onde as pessoas não tinham nem onde cagar - jogavam a sua merda em um saco plástico e atiravam tudo no rio. Lá também vi um menino cheio de bicheira no corpo que, de tanta coceira e dor, não conseguia andar e passava o dia inteiro deitado em uma cama. Em Caruaru, conheci uma menina que tinha um pai que estava preso porque havia tentado matar a mãe e tentou também afogar a filha (no caso a menina) em um tanque de lavar roupas. E por aí vai ... Então não me venha com esse papo que Pernambuco é maravilhoso. Esse orgulho cega uns e deixa cínicos outros. Enquanto não houver um olhar generoso e honesto sobre essa terra, as coisas permanecerão essa bosta que vemos e que o Capibaribe ilustra tão bem: um rio de cocô que atravessa a cidade. E as pessoas ainda abrem a boca pra dizer: eu amo esse rio de cocô.

No Rio, a casa onde mora minha mãe é marcada de bala. O bairro onde cresci está todo loteado por bandidos, irreconhecível. Em abril, estive lá e revi um amigo, depois de tanto tempo, que me mostrou uma cicatriz deixada por uma bala perdida que atravessou o seu braço esquerdo. Coisa de dois meses, meu irmão me ligou do Rio para dizer que meu tio havia sido encontrado em um hospital, todo ensanguentado. Ele foi assaltado em um trem, deram um refrigerante com alguma coisa dentro que o deixou lerdo. Ele ficou grogue por uma semana. Meu tio é um cara com mais de 60 anos, baixinho e franzino. Covardia é o nome disso e ela não é nada maravilhosa.

Cada vez mais me convenço de que o Brasil é uma grande ópera bufa, cheia de despautérios. O que presta aqui é o povo que, embora seja o tempo todo desrespeitado, violentado e muitas vezes vilipendiado, consegue ser feliz, criativo, batalhador, humano.

Guto Melo disse...

Menina, esse discurso é um discurso tonto. Será que é tão difícil de ver? Eu insisto: o orgulho não leva a uma postura realista. O afeto sim, mas afetividade é diferente de orgulho.

E é lógico que eu posso falar o que quiser porque sou livre e você vai continuar achando Pernambuco maravilhoso porque todos os pernambucanos, com raras exceções, acham o mesmo. É até compreensível, já que o nordeste, de um modo geral, é negligenciado. Esse orgulho é uma forma de sustentar uma auto-estima elevada e dizer, de certa forma, ao mundo: temos brilho!

E tem mesmo. Mas tão melhor seria se, em vez de se ter orgulho do que se faz ou é, se tivesse amor, carinho. Os maracatus e afoxés da vida seriam melhor tratados se houvesse amor. Mas eles servem apenas para encher a boca orgulhosa de uma classe média acostumada a discursos pequenos como esse que você coloca no blog (aliás, já vi esse texto que você publicou em inúmeros blogs, sites, sendo mandado por e-mail... parece até uma praga. Acho que é por isso que decidi estalar os dedos no teclado).

Outro ponto que merece nota. Culturalmente, acho o nordeste e o Brasil riquíssimos. Em cada canto que se vai, se come uma comida diferente, se ouve um sotaque diferente, uma música diferente... Enfim, participar disso é algo maravilhoso. O Brasil ainda vale a pena (mais uma insistência) por conta do povo que tem, pelo que esse povo é capaz de fazer. Mas como país, nação ele é um terror. E discursos como esse, reproduzido por você, são horríveis porque, cinicamente bem-humorados, corroboram uma ilusão, ilustram uma arrogância. São um esconderijo engraçadinho para toda espécie de mazela. São o embandeiramento de uma nobreza, transfomamndo-a em piadinha, em coisa boba. E neguinho embarca.

Você acrescentou Aracaju na história e só reafirmou as coisas que eu havia colocado. Eu falei do Brasil mesmo e usei o Recife e Rio como exemplos porque são os lugares que conheço melhor. Mas o problema é geral, no caso da violência é mundial (um amigo meu acaba de voltar de Barcelona, onde foi roubado três vezes em um ano. O amigo, inclusive, é mais que amigo, é irmão. É pernambucano e concorda comigo nesses aspecto. Trata-se de uma belíssima e sincera exceção). Outra: em Aracaju, as pessoas não ficam se vangloriando de nada.

Então, filha, o Recife para mim hoje são os meus amigos, as pessoas que quero bem, tudo o que elas deixaram e continuam injetando de bom no meu coração. Eu me recuso, terminantemente, a ficar feito papagaio repetindo uma lorota dessas - Pernambuco é o mais isso, Pernambuco é o mais aquilo. Isso é chato demais, é irritante demais, é ridículo demais, é besta, é pobre, é distorcido, é um rio de cocô que atravessa a alma dos cidadãos pernambucanos. Esse discurso, filha, é o Capibaribe.

Guto Melo disse...

Sim, acho que você não percebeu que o que estou falando não é pessoal. Não te chamei de cínica ou cega. A minha atitude é de alguém que se considera livre para observar o mundo com interesse e seriedade. Só isso.

Guto Melo disse...

Fofa, Pernambuco não é de ninguém. O que é seu, seu mesmo, ninguém destrói.

Guto Melo disse...

Tem um trecho de As Cidades Invisíveis, do Italo Calvino, que gostaria de citar pra ti. Não lembro agora de cabeça. Quando eu chegar em casa, eu consulto o livro e posto aqui.

Ana D disse...

Li tudinho e captei rsrs...É, todos os estados tem suas peculiariedades..Ser carioca, qq dia vou pensar a respeito rsrs

benechaves disse...

Oi, Kari: saudades mesmo de vc e também da praia de Boa Viagem. Andei por aí em outras épocas e me deliciei com o seu encanto. Pena que não tenha tomado banho em suas águas. Mas, vc sumiu, hein? Estudando muito ou amando demais?(rs).

Beijos saudosos...

Marshmallow disse...

Ah, muito legal o texto. Tenho muita vontade de conhecer Recife :)

Guto Melo disse...

Taí o trecho:

"o inferno dos vivos não é algo que será; se existe, é aquele que já está aqui, o inferno no qual vivemos todos os dias, que formamos estando juntos. existam duas maneiras de não sofrer. A primeira é fácil para a maioria das pessoas: aceitar o inferno e tornar-se parte deste até o ponto de deixar de percebê-lo. A segunda é arriscada e exige atenção e aprendizagem contínuas: tentar saber reconhecer quem e o que, no meio do inferno, não é inferno, e preservá-lo, e abrir espaço."

Guto Melo disse...

Existem duas maneiras - corrigindo...

Marcus Vinícius disse...

E eu que achava que gaúcho que era convencido...

Pelo jeito, a cada 100 páginas do Guiness Book, Pernambuco aparece em 97...


Beijão!

ALF disse...

Nossa. que magistral.
E apesar de não ser pernambucano fico orgulhoso em poder ler um texto desse, um reconhecimento, uma satisfação enorme em ser dessa terra. Nesse texto que explana bem o amor em ser pernambucano.

E a beleza de cada estado está em suas particularidades mesmo. Todos tem seus encantos. Acima de tudo, é essa diferença cultural entre os estados do brasil que torna o nosso país um berço de riquezas, históricas, culturais e naturais.

Sou rondoniense, tenho maior orgulho de ser, e maior ainda de ser brasileiro.

;)

Texto lindo mesmo

Beijos minha querida

Antônio disse...

Bom, já que o Marquinhos passou por aqui e não registrou absolutamente nada em nosso favor, eu o farei.
Respeito demais tua opinião, até porque eu penso da mesma forma: não troco um Rio Grande do Sul por noventa e nove Pernambucos. E isso não é um bairrismo, mas apenas um amor sincero à terra na qual nasci.
Acho muito bonito isso. =]

Beijão!

Anônimo disse...

Em 100 páginas do livro de recordes Pernambuco está em 101, somos orgulhosos de nosso estado,somos "Pernambuco Imortal, Imortal"...

blogdodudu disse...

Só gostaria de emitir minha opinião, toda cidade tem seus defeitos e essa coisa de nós Pernambucanos sermos um tanto quanto egocêntricos é puro folclore, estou escrevendo sobre esse assunto e te digo que a diferença é se chegares na casa da maioria dos pernambucanos sem avisar e até mesmo sem conhecer o Sr terá o melhor tratamento e com certeza o melhor leito a melhor comida e a melhor bebida, por outro lado em muitos lugares do Rio de Janeiro, por exemplo, se chegares sem avisar, vocês sabem o que acontece não é mesmo?

André Luiz

Anônimo disse...

ORGULHO DE SER PERNAMBUCANO ,soa FORTE,lembra Duarte Coelho sexagenario ,trazendo a cana de açucar para nossos ENGENHOS,se tornando A CAPITANIA que deu LUCRO e deu CERTO,e os HOLANDESES vieram invadi-la.Orgulho de de ter MORADO na CASA GRANDE (7 anos) onde nasceu o Cons JOÃO ALFREDO ,que redigiu aLEI AUREA para Princesa IZABEL assinar.Vamos valorizar a bonita historia as lutas pela independencia do LEÃO DO NORTE e dar melhores condições de vida ao nosso povo para diminuir a violoencia desemprego desiguldade social,com o ORGULHO DE SER PERNAMUCANO.

Anônimo disse...

Isso tudo ai é arretado! Tenho orgulho de ser Pernambucano e de ir a um estado e perguntarem vc é Nordestino e - dizer sou e sou Pernambucano com muito orgulho. Só quero dizer que o Monte das tabocas fica em Vitória de Santo Antão, faz parte da minha cidade, a terra da pitú, da água que passarinho não bebe e tubarão não nada,a água ardente. Sou de Pernambuco e me arrepio cada vez que esculto alceu e luiz gonzaga entre outros.

***Karol*** disse...

Eu simplesmente AMO esse texto! Eh um orgulho danado dessa minha terra! Eu tenho um sotaque MEGA carregado, o povo olha pra mim e logo reconhece =D
Uma das minhas partes favoritas eh aquela de chegar em "casa" cantando 'Voltei Recife'!
Leao do Norte nos identifica =D
Eu chega me arrepio!!
Na moral =D
Beijos ULTRA pernambucanos!

Everaldo Eloi disse...

Pois é meu caro, o Rio só ficou poluído por conta das pessoas mesmo,e tbm por falta de compromisso de certos políticos que ñ agem em benefício do mesmo.
Mas no passado teve águas límpidas e espero um dia que volte a ser o que era!!!
Sou Pernambucano Da Gema Com Mto Orgulho e Com Mto Amor.