segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Meninas e meninos

Dia desses eu estava sentada quando alguns meninos se aproximaram e começaram a brincar com o ioio. Não deviam ter mais que dez anos e acho que todos se conheciam, com exceção de um outro bem menorzinho que apareceu de repente e quis brincar também. Os outros abriram a roda, ele entrou e ficaram brincando todos juntos.

Ao presenciar esse momento, pude ver como as meninas e os meninos são diferentes. Os meninos não disseram nada ao menor, apenas abriram à roda e o incluiram na brincadeira. Em uma roda de meninas, isso jamais aconteceria. Os meninos, pelo que percebo, têm um sentimento de amizade muito mais forte, enquanto as meninas estão sempre competindo, por mais amigas que sejam.

Se dois meninos são apresentados, na mesma hora eles sentam e começam a brincar ou conversar como bons amigos. Se duas meninas são apresentadas, primeiro elas se analisam, e se acharem que são diferentes, elas se ignoram a noite inteira, se não, elas podem até iniciar um papo, que ás vezes, é quase um questionário.

As meninas crescem brincando com a responsabilidade de alguma maneira, quando assumem o papel de mãe das bonecas. Elas passam a infância cuidando daquela bonequinha com todo carinho. Enquanto eles crescem querendo ser heróis, seja com os brinquedos ou com o vídeo-game. E durante algum tempo, eles não querem ficar juntos, pois é como se "desse choque".


E elas, quando se apaixonam, ficam carinhosas e bobas. Já eles, ficam chatos, tirando brincadeiras com elas e precisando chamar a atenção de todo jeito. Elas chegam até a escrever cartas, eles tentam beija-las.

Quando ficam mais velhos, aquela distância entre eles começa a diminuir e tudo o que eles querem é ficar juntos. Eles só pensam em sexo, enquanto elas pensam na tão sonhada primeira noite, onde imaginam os mínimos detalhes como a lua cheia iluminando-os, ou o barulho do mar como trilha sonora.

Engraçado que, o tempo vai passando e eles ficam cada vez mais diferentes. Elas sonham com o dia do casamento e eles só querem morar juntos. E enquanto elas são sempre românticas e sonhadoras, eles são sempre tão racionais e objetivos.

Mas, o mais engraçado ainda, é que, em algum momento da vida eles percebem que mesmo tão diferentes, eles se completam.


Kari Mendonça

19 comentários:

Marcus Vinícius disse...

"Mas, o mais engraçado ainda, é que, em algum momento da vida eles percebem que mesmo tão diferentes, eles se completam."

Nossa, destroçou nessa frase aí, muito bom...

Eu sempre fui muito mais racional do que meus colegas. Tipo: "ei, Marcus, duvido que tu subas naquela árvore ali". A resposta comum é "aposta o quê?" enquanto que a resposta que eu dava era "vai continuar duvidando".

Não que seja importante, mas ali em cima está escrito "pode botar pra fora também" então eu levo ao pé da letra.

Beijão!

carolina; disse...

...sem contar que 'elas' ficam inseguras!

:}

Helena disse...

Acho que os homens são "os melhores".
Deles eu só vejo sinceridade e lealdade. Sao simplsmente incriveis, apesar da diferença!
Bjos

Katarine disse...

Hehehehehe...
É verdade!
Mas engraçado... eu sempre achei as brincadeiras dos meninos muito mais legais do que as das meninas... será que sou mais racional do que emotiva? hUhauHAUUA....
bjos!!!!

Katarine disse...

Ah!!!
brigadim pelos parabéns! rsrsrsrsrs

MH disse...

Lindo esse texto. E o mais legal é você sacar isso a partir de uma simples brincadeira de criancas. mas o resumo da historia é: as mulheres estão sempre evoluindo. Os homens são eternas crianças...bom...agora vou brincar com meu io-io...tchau.

marcelo henriques

Reticências disse...

Essa é a vida como ela é. Tantos fatos que existem por ai, sem nenhuma explicação...

E eu tb preferia brincadeira de menino. Não é a toa que tenho algumas cicatrizes pra contar a história.

Bjo

Adorei o novo layout...

Sinto que sei que sou: disse...

Isso é bem verdade
E engraçado tbm...

Bjus

::Lone Wolf:: disse...

Pois é... Isso explica o que falei no meu texto. Como eu sou do jeito que as meninas gostariam que eu fosse, desde que elas se conhecem por gente, isso faz com que eu não as complemente, servindo apenas como amigo. Parabéns pelos textos, Kari. Adoro vistar seu blog.

Beijos.

∆٭♥∞

MH disse...

Valeu pela visitinha lá no meu blog. Já comentei seu comentário. bj : )

Nathália Affel disse...

Obrigada pelo comentário no meu blog!
Obrigada mesmo pelas palavras lindas.
=)

E volto a repetir que o seu aqui é ótimo.

se completam mesmo.

Pripa Pontes disse...

pois é é tão feliz essa diferença heim?
vital, necessária.

muito bom texto kari ^^

Bjos.

Kaya Barros disse...

Hehehee, adoreei este texto...! Vc fechou com chave de ouro... :D

Realmente, são nas diferenças q a gente se completa... ! É incrível como nós completamos os homens e eles nos completam.....rsrs......... Deus é perfeito mesmo! rsrs Fez td do jeito q tinha de ser... xD

Beijossss =*****


Ah, Kari, voltei a atualizar meu blog, mas raramente estarei comentando nos blogs, ano q vem começará meus estágios e ficarei atropelada :( aí, fiquei num dilema... retirei as caixinhas de comentarios, deixei apenas meu email, se caso alguem sentir vontade me escrever... estarei continuarei meio sumida... mas sempre q possivel virei aqui e nos demais blogs!

Obrigada pelo seu carinho!!!

Beijosss

Kaya

Biaaahhh disse...

Lindo...Vc tah 100 por cento certa!!!!Me linka????

Palavras de um mundo incerto disse...

Guria,
Realmente os opostos se atraem. E se não existisse diferença, até o meu coração não funcionaria como funciona. Pois duas veias que executam um trabalho, são diferentes.

Bjos querida!!!


Marcos Ster

Alexandre Hallais disse...

Doce Kari,

Tô com saudades...

Gostei do texto. Aliás, abriu minha cabeça para uma poesia... depois te mando...

Beijos

Pripa Pontes disse...

eu sei kari, já lí um post seu falando sobre isso, em relação ao Natal e como vc encara tal data. Mas eu tenho uma cabeça diferente, um pensamento distinto, acho sim que a caridade deve ser feita sem data especial estipulada, mas isso não muda o sentimento que tenho em relação ao Natal e à comemoração do nascimento do Cristo. Se ele realmente nasceu nessa data, não sei. Mas sei que para mim naquela noite de união, pelo menos alí muitos são tocados pelo mesmo sentimento. triste que só ocorra no Natal, é sim. Mas n vou encarar como hipocresia nada vai apagar essa magia da renovação que minha família me ensinou a perceber e eu aprendí a apreciar.
Mas respeito seu ponto de vista. cada cabeça é um mundo e cada um sabe de sua vivência para explicar seus pensamentos, o que importa e se sentir bem.

Bjos.

P.S:depois te ligo p gente combinar algo. ^^

Zihh disse...

Carambolas Karina Mendonça, texto completamente perfeito.
Puts, a cada texto que leio teu acabo percebendo o quão bem tu tá fazendo a humanidade botando pra fora tudo que tu penso em relação a tudo. Acho que ser jornalista, é uma profissão que te completa em todos os sentidos, e me alegra muito perceber o quão talentosa tu és.

=**

ALF disse...

É uma visão relativa. Analisando que todos são únicos e as personalidades decerto variam. Generalizar ainda não é a alternativa mais viável. Embora tenha-se sempre me base que a maioria se comporta assim, seja homem ou mulher.

Mas enfim, há sempre particularidades. MAs é interessante seu ponto de vista. Realmente há acentuadas diferenças entre gêneros, mas no fim amboas se completam, e é justamente pelas diferenças. As pessoas hoje teimam em achar que as semelhanças completam. Na verdade são as diferenças. Não que haja coisas semelhantes entre as pessoas, mas é por cada um ser único de uma forma mais geral. Eu sou único você é única. E por mais que tenhamos semelhanças, sempre teremos diferenças. E é isso que nos destaca.

Eu escrevo cartas, eu sonho com o dia do casamento e sou extremamente romântico. Creio até que sou mais passional que racional hehe. E sou muito, mas muito sonhador.

Pra tu ver. Sou exceção da sua teoria.
kkkkkkkkkkkkkkkk

Beijos

;)