segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

A caixinha amarela

Acordei cedo. Sabia que a caixinha poderia chegar a qualquer momento e não queria perder nenhum segundo quando ela chegasse. Não fazia idéia do que estaria ali dentro, mas sabia que, fosse o que fosse, seria sempre especial pra mim. Afinal, o que torna um presente especial não é tanto o presente em si, mas quem o enviou.

Naquela manhã eu não estava me sentindo bem. Estava, digamos assim, com ressaca, apesar de não haver bebido. Estava um pouco tonta e nem sequer conseguia escutar música enquanto estava deitada. Fechei os olhos e esperei ansiosamente que tocassem a campainha.

Mesmo não me sentido bem, não consegui ficar deitada. A ansiedade era grande demais. “O que ele havia mandado?”. “O que estaria lá dentro???”. A minha mente não parava um minuto sequer. Olhava o relógio e o tempo não passava. Os minutos se transformaram em horas e pareciam intermináveis.

Além de não estar bem fisicamente, por algum motivo o meu emocional estava bastante abalado. Deitei na cama e chorei. Finalmente consegui ouvi um pouco de música enquanto chorava. Parei um pouco e decidi fazer algo para me distrair. Mas não havia muito a ser feito...

As horas passaram e a caixinha não chegava. Achei que ela jamais chegaria e chorei só de pensar nessa possibilidade. Claro que ela seria importante e teria o mesmo valor se viesse qualquer outro dia, mas eu precisava que ela chegasse naquele tarde.

Sabia que apenas ela seria capaz de me tirar sorrisos do rosto e de me animar. Queria aquela caixinha mais que tudo. Não me importava que ninguém me telefonasse ou lembrasse que dia era aquele, a única coisa que me interessava era ela, a caixinha amarela.

Já eram quatro horas da tarde quando achei que ela não chegaria mais, não naquele dia. “Talvez amanhã”, pensei eu. E quando estava sentada, olhando o nada, pensando na vida que poderia ter sido e não foi. Ouvi uma Kombi. Conheço bem barulho de Kombi e fiquei feliz em ouvi-la parar ali na frente de casa.

Corri para abrir a porta, peguei Meg no colo para que ela não saísse e o ouvir gritar, “é o correio”. “Eu sabia!!!!”, pensei eufórica. Abri a porta, peguei a caixinha amarela, assinei um papel. Coloquei a caixa do lado, no chão, fechei o portão e sentei-me ali, exatamente onde estava.

Abri a caixinha com todo cuidado, não queria rasgar nenhum pedaçinho, mas não foi possível, acabei rasgando um pequeno pedaço. Dentro da caixinha estava algo pequeno, que deveria andar comigo aonde eu fosse (e já até esta na carteira pra não desgrudar de mim), uma lembrança daquele (nosso) estado tão lindo (que ficará na minha estante, assim que ela chegar).

Também estava um livro de Ditados e Expressões (adorei! Adoro essas coisas que nos ensinam e nos deixam mais perto de lugares distantes), e por último, mas não menos importante, estava um livro de poesia do Fernando Pessoa onde ele conta a estória de Portugal através de poemas (já comecei a ler e estou adorando, claro!!!).

Havia também uma carta. Ah a carta! Já a li inúmeras vezes e já estou quase decorando aquelas letrinhas e frases. Não canso de olhá-la, de lê-la. Não recebo uma carta já a algum tempo, mas por algum motivo, aquela foi mais especial que qualquer outra.

O valor de todas as coisas que estavam naquela caixinha, não foi nem um pouco material. Aquela caixa era importante e preciosa pra mim, pois foi enviada por alguém MUITO especial. Saber que foi ele, a última pessoa a tocar naquelas coisas antes de mim, fez com que eu tocasse tudo com muito cuidado.

Fez com que tudo se tornasse precioso pra mim. E, depois de abrir aquela caixinha, percebi que havia valido cada segundo de ansiedade, cada minuto interminável...


Kari Mendonça
.
PS1.: Finalmente a internet aqui de casa foi instalada. Demorou em... Mas agora tá tudo certo. Já fiz as visitas nos blogs, já li o que estava atrasado e agora, tudo volta ao normal....
PS2.: Muito obrigada a todos pelos parabéns!!!! Obrigada mesmo!

11 comentários:

candy disse...

kkkkkkkkkkk
imagineeei tudiinho!

a angustia, o coração apertadinhooo, a ansiedade
tdooo isso!
mas chegou!!

e imagino vc agora com esses presentinhos...
confesse: vc já dormiu abraçada com algum deles (ou com todos)????

\o/
q bom q vc voltoou!

beeeijooo
e otima semana!

Katarine disse...

Aaai... como vc é ansiosa! Que nem eu, auHauHauUAaahauHauHaua...
Me imaginei no seu lugar, rs.
Aiii... mas é tão bom receber presentes. Principalmente de pessoas especiais!!!

*HUmmm.. que bom que já colocou todas as coisas do mundo virtual no lugar, rs. Seja bem vinda!
bjokas!!!

O Véio disse...

Na verdade mesmo, verdadeira, estou aprendendo a amar assim. E está sendo precioso pra mim, assim como sua caixinha! rsrs

Gostei do cuidado que teve com os objetos que "ele" tocou. Seja "ele" quem for.

;-)

Carolina Medeiros disse...

tudo que é de coração, esperado com uma ansiosidade sem fiiiim!
pode deixar Kari, essa felicidade é minha e não a largo tão cedo
;D
beijos querida!

Adriana disse...

Oi Kari, olhando as caixinhas do correio e lendo a historia lembrei que tem uma comunidade no orkut hamada correio dos brindes que vc se cadastra nos links e recebe coisas gratis pelo correio, depois da uma olhada
bjssssssssss

Marcus Vinícius disse...

Primeiramente, feliz aniversário atrasado! Muito anos de vida e de blog, que você ganhe muitos comentários e felicidades na sua caminhada...

E segundamente(??), a ansiedade só piora a situação, a gente começa a pensar coisas e nossa, complica mesmo.

Tenho que ir, um monte de blogs por comentar!

Beijão!

Antônio disse...

Então quer dizer que agora eu já posso usar ditados e expressões gaúchas em nossas conversas, que tu vais entender? =]

Ah, mas fala sério: valeu à pena esperar tão ansiosamente pra receber presentes tão significativos, né? Nesse caso, os fins justificaram os meios...

Beijão, moça!

Marcela disse...

Karizinha, eu viasualizei tudo perfeitamente, pq passei pela mesma coisa no final do ano com o amigo secreto on-line que fizemos! Foi muito bom ficar na ansiedade da espera pelo presente, e foi perfeito receber... uma caixinha verde com delicadas flores em laranja envelhico, com um livro que eu queria muito dentro, um lápis com um urso na ponta, um postal da cidade de minha amiga secreta (Pomerode, SC), um porma da Martha Medeiros e uma carta tbm, linda de viver... presentes parecidos, né? Fico feliz que tenha sentido a mesma alegria!!!

Obrigada pela força no blog! E acredite, eu comentei isso ontem mesmo com um blogueiro de Recife, mas os blogueiros de Recife são os meus favoritos aushuahsuhausa verdade!

Boa semana! Se cuida!
Beeeijo

Fire disse...

Ohh que legal!

Eu tbm adoro presentes assim, sempre tem mto mais valor do q qqr coisa cara...

Um bju pra ti!

Pripa Pontes disse...

kari nem pude ta aí no teu aniversário e to presa aqui em colônia sem net.
hj é q vim na lan.


Que lindo presente esse naum? tenho erteza que foi mto especial, fico mto feliz por vcs!!


Bjos.

ALF disse...

Sabe, me coloquei em seu lugar. Também ficaria assim tão ansioso.

Mágico mesmo. Tão maravilhos que o que marca não é o que foi enviado, mas sim o ato e quem enviou.

são coisas completamente encantadoras...

Fico feliz por ti.

Te adoro.
beijos