quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Confuso? Muito!

Se tem uma frase que, desde sempre martela na minha cabeça, é aquela que diz que "o mundo dá voltas". Já até fizem uma música sobre isso. E já até fiz um post falando sobre as voltas que esse mundo dá. Mas é que, como nunca tenho percebido que a minha vida também dá voltas. Por mundo tempo andei em círculos, andei para lugar nenhum. Hoje, vou para algum lugar, mas ainda assim estou no círculo. Isso pode ser bom, ou talvez não. É confuso, eu sei, por isso o título.
.
Mas calma aí... eu vou te facilitar um pouco a compreensão para tamanha confusão... Aos 15 dias de nascida, minha mãe me levou pra morar em Aracaju, aos 4 anos voltamos pra Recife e moramos um pouco na casa dos meus avós, enquanto a nossa casa estava em construção. Aos 6 anos nos mudamos pra casa e moramos lá até os meus 14 anos. Aos 16 viemos morar nesse apartamento onde estou no momento.
.
Até aí tudo certinho, né?
.
Acontece que, aos 17 anos, voltei para Aracaju. Aos 17 e meio, voltei para casa dos meus avós. Aos 18 para esse apartamento, e agora, nas vésperas dos meus 19 anos, estou voltando para a casa. Aquela que esperamos construir. Confuso ainda, ou deu pra perceber o círculo?
.
Voltar para a tal casa, era o que eu sempre quis, desde o dia em que saimos. Em todos os sonhos que tive (daqueles que temos enquanto dormimos), sempre que estava em casa, estava lá. Nunca sonhei com nenhuma das outras casas em que morei. Sempre chorei por não estar lá. Passava inúmeras horas andando por aquela casa com a minha imaginação. Desejava estar no meu quarto. Tomar banho na minha piscina. Queria estar ali, no meu cantinho.
.
Quando a possibilidade de voltar pra lá surgui, fiquei super feliz, até chorei de felicidade. No entanto, ao receber a notícia confirmada de que eu voltaria, as coisas foram um pouco diferentes. Sábado estarei me mudando. Mas ainda não sei o que estou sentindo. Não sei se estou feliz por ter conseguido o que tanto quis (queria me mudar antes do meu aniversário). Mas, de repente, me dá uma vontade enorme de chorar. Chorar por que, oras? Não sei, mas não é de felicidade.
.
Minha mãe ficou eufórica, meu pai ficou super feliz, e eu... Eu ainda não sei como estou. Minha mãe me questionou o que estava acontecendo, porque eu não estava feliz já que era o que eu tanto queria. E a sua pergunta fica martelando na minha cabeça o tempo todo. E, assim como não consegui responder nada para ela, não consigo responder para mim.
.
Ontem fomos lavar a casa. Fazia cinco anos que eu não entrava lá. Foi estranho. Inúmeros momentos me passaram na mente. Lembrei de quando me trancava no banheiro, liga o som na última música do CD dos Hanson, sentava atrás da porta e ficava horas ali, chorando. Lembrei também quando brigava com a minha irmã para ela desligar a tv. Ou quando a casa ainda estava construindo e eu entrei no quarto, cheio de tijolos, subi em cima deles e fiquei ali, brincando com a minha boneca.
.
Foram muitos os momentos que passei lá. Bons e ruins. Foram oito anos da minha vida. É muita coisa... É muito sentimento... Ah!!!!!!!!!!!! É inexplicável. Enquanto quero sorrir e gritar que, finalmente estou voltando para casa, quero também ligar o som bem alto, escutar o CD dos Hanson e chorar atrás da porta do banheiro. Eu não sei o que quero ou o que sinto. Já não sei mais coisa alguma, e a única coisa que seu é que, é mais uma etapa para começar. Talvez seja mais um ciclo.
.
E não importa se estou preparada ou não. As coisas simplesmente estão, e continuarão, acontecendo. E eu tenho que caminhar com elas, mesmo sem saber o feito que elas estejam me causando. Mesmo sem certeza alguma de qualquer coisa... Talvez eu ainda volte para dizer o quão feliz estou... Mas não me peça para fazer isso agora. Agora não!
.
.
Kari Mendonça

19 comentários:

Adriano Veríssimo disse...

Coraçãoooooooooooo!!!

Há quanto tempo não apareço por aqui não é?!? Mas não é por falta de vontade, é a falta de tempo mesmo...

Lendo seu post, me remitir a tantas coisas, pois essa frase "o mundo dá voltas" é um dito, muitas vezes ignorado, mas é tão presente no nosso dia-a-dia não é?!?

Estou, eu, agora refletindo sobre isso...

Obrigado pela presença fixa no meu canto...

Beijo e Bons Sonhos Acordados!

Andréia disse...

nossa quantas voltas! mas que bom que agra você vai voltar pra casa, minha vida tbm deu varias voltas... + abafa! se não vai me falta caracteres pra escrever..rsrs

beijos

Uma vencedora disse...

É Kari...

São muitas voltas mesmo!!!

Eu fico pensando que estou muito tempo no mesmo lugar... Acho que é pior do que não dar volta alguma...
Sempre morei onde eu moro, até quando me casei, morei no condominio que meus pais moram.

Eu queria poder diversificar os ambientes e poder conhecer emoções novas, boas ou ruíns, mas conhecê-las...

Bjs

Janaína

Thais G. disse...

Muito, muito confuso. Pode apostar. Mas se na minha casa tivesse piscina, ia na missa todo dia. Ah... eu bem que ia.

Flavinha disse...

você já percebeu que estamos sempre voltando pra casa?

Seja com idéias, lugares, paixões. Estamos sempre voltando pra casa. Talvez daí venha a expressão "escrever certo por linhas tortas" - nossas pegadas estão sempre descrevendo órbitas, caminhando em círculos tão grandes e complexos que só se deixam vislumbrar muito adiante.

Talvez isso seja uma prerrogativa da nossa condição humana. Esse andar em círculos, quase ouroboros, com inícios e fins que se confundem.

Voltar para casa. Voltar para para nós.

Acho que é isso.

Beijos!

Vinicius Cabral disse...

Esquenta a cabeça com as dúvidas não... elas costumam fazer bem...

=]

bom fds procê!

Antônio disse...

Acho que esse texto se encontra com o que eu escrevi hoje... Dá uma lida por lá, talvez te sirva de consolo, até tudo se esclarecer.
De qualquer forma, espero que tudo se ajeite o mais rápido possível, e tu possa sentar na porta do teu quarto, não pra escutar Hanson, mas qualquer outra música. E não pra chorar, mas pra bolar mais um dos teus textos sempre reflexivos.

Beijão, querida!

Antônio disse...

É, desabafar sempre é bom, e já virou tua marca registrada, hehehe. Nunca um nome se aplicou tão bem a um blog.

Quanto a se exceder, deixa disso, moça. Tens acesso livre e cartão VIP no meu humilde espaço...

Beijão!

Fire disse...

É verdade, desde sempre a vida anda em círculos...

tudo gira, nascer, viver, morrer e renascer...

Muita gente nem percebe...

Beijo

Helena disse...

Nao gosto muito de mudanças de casas. Justamente por causa de lembranças que eu nunca queria ter deixado para tras, e porque falta de estabilidade me irrita.
Nao sei dizer.
Mudança muitas vezes corta memorias ao meio...
Bjos

benechaves disse...

Oi, amiga: que peregrinação a sua, hein? Bom que vc conheceu vários lugares ainda na adolescência. E de confusão em confusão vc volta pra casa. São 'voltas' que a vida nos dá.
Olha: sentindo a sua ausência. Apareça, tem um poema inédito.

Beijos em voltas...

Katarine disse...

Menina, que coisa. Engraçado. Tb tenho essa sensação de vez em quando. Que ando, ando e acabo chegando no mesmo lugar. Bom, eu sempre morei na mesma casa. E, hehehe. Vou continuar morando. Mês que vem começam as reformas. Mas agora pra eu morar com meu futuro marido. Estranho. Sempre me imaginei longe daqui. Mas eu gosto. Gosto muito da casa, do bairro. Da cidade. Não sei se conseguiria me desfazer do meu canto.
bjos!

Janete Andrade disse...

vish mudança é comigo mesmo!
já mudei de casa 5 vezes, de cada uma guardo algo especial, é como se nelas tivesse ficado um pedaço meu...
às vezes também me sinto assim, não sei dizer o q estou sentindo, não se estou feliz ou se estou triste, às vezes tenho motivo para estar triste, mas estou feliz, às vezes tenho motivo para estar feliz, mas estou triste, outras vezes não simplesmente como estou!

bjo

Pripa Pontes disse...

ah com certeza o mundo dá voltas, e é isso que deixa a vida interessante, acho.
de qualquer forma um novo ciclo está começando e quem saiba qndo vc for morar novamente lá vc permitasse conquistar aquele lar, que sempre sonhou em ser sempre seu, e deixá-lo conquistá-lo.
mudar de casa é sempre deixar lembranças para trás e reencontar ou construir novas, meu primeiro lar um apartamento em Olinda em que viví desde nascida até meus nove anos foi onde passei meus melhores momentos, minha infância. Mas dificilmente iria querer voltar a morar lá. Achoq ue já foi uma fase um ciclo que passou, mas a casa da minha vó que visito e passo férias desde meus três, ah, aquela se pudesse moraria lá sempre!



Bjos.
Saudades.
Tudo de bom nesse novo ciclo que se inicia!

Alexandre Hallais disse...

Olá meu docinho...

E como dá voltas... Eu digo que é uma enorme roda gigante...

Eu também acho que o mundo é bem pequeno... sempre conheço alguém que tem um amigo em comum... sinistro...

Saudades de você doce Kari...

Beijim

Alexandre

Enterufter disse...

Talvez os sentimentos tenham mudado por que você também mudou...e eu estou aprendendo que isso, mudança, é uma coisa muito boa.

Que saudadeeeeeeeee Kari!!!

Ainda bem que as palavras aqui não se perdem, seus textos anteriores foram lindos. Amei a carta, os heróis...tudo lindo como sempre!

Beijo enorme do Jéu!

Luciana * disse...

Sei exatamente como é isso, ou como é quase isso. Morei a minha vida inteira em um apartamente que nunca gostei, num condominio que nunca gostei, com vizinhos que nunca me dei bem. Um certo dia, vamos nos mudar! E agora? Eu tinha passado a minha vida toda naquela apartamento e todas as minhas lembranças estavam nele, eu já ate tinha me acostumado a reclamar de dividir quarto com a minha irmã; agora eu teria uma só pra mim. Foi complicado arrumar as malas e as coisas, chorei por ter que sair do meu apartamentozinho que era chato mas era meu, era de minhas lembranças.
Hoje eu posso dizer que não me arrependo de ter me mudado, são acontecimentos que não podemos evitar, e às vezes, quando achamos que sair daquela rotina que tanto nos pertuba, pertubará mais ainda, estamos errados. Ainda bem que eu estava.


Nossa, escrevi demais. :x
Beijos e abraços. :)

The Thinker disse...

Isso que é como se diz andar em circulos. Nem de longe me imagino numa situação dessas.

Bjao.

Força Sempre!


www.think.blig.com.br

ALF disse...

Dá voltas sim minha querida.
As vezes a mudança sempre vem pra melhor. Espero que esteja ajudando.

Beijos