sábado, 5 de janeiro de 2008

Ela!

Na verdade, acho que sempre a conheci. Acredito que não há quem não a conheça nessa vida. Sempre tivemos uma relação estável, digamos assim. Sempre conseguimos nos entender bem, mas confesso que sempre tive um pouco de receio a seu respeito, não sei explicar o motivo, mas sempre tive...

Não sei ao certo quando a conheci, quando fomos apresentadas uma a outra, mas creio que já faz algum tempo. Sim! Desde que tenho alguma lembrança de existência, ela já estava ao meu lado, de uma forma suave, mas sempre ao meu lado.

No entanto, ultimamente a nossa relação tem se estreitado, e muito. Como eu já disse alguma vez, ela está se tornando minha melhor amiga, daquelas inseparáveis. O problema é que, eu preferia quando ela aparecia de vez em quando.

Ás vezes, quando estava sozinha, ela aparecia e me acompanhava com as lembranças. De vez em quando me tirava algumas lágrimas, ainda me tira, mas nunca havia me magoado. Posso até dizer que era um ótimo consolo.

Lembro que foram poucas às vezes em que ela me abraçou intensamente, isso, ao menos, até algum tempo atrás. Depois de alguns acontecimentos, no entanto, ela me visitou e parece que não quer mais ir embora. É verdade que, ás vezes, não noto a sua presença, mas de alguma forma, sei que está ali.

Não sei se posso dizer que ela tem fases como a lua, pois não sei se seriam fases as várias formas como ela é capaz de se fazer presente. Ás vezes aparece em forma de consolo e enxuga uma lágrima. Outras vezes, porém, aparece apenas para me tirar lembranças, dor e choro.

Ultimamente também, ela tem-se feito presente de uma forma diferente. Não sei explicar, mas é diferente. A sua presença me faz lembrar o quanto alguém é especial pra mim, mas o mesmo tempo, me lembra o quanto esse alguém está longe, e o quanto eu o queria perto.

Ás vezes, ao acordar, sinto-a me abraçar, mas quando vejo que o abraço está começando a demorar, eu a afasto, um pouco, pelo menos. Mas nem sempre consigo fazer isso, e ás vezes ela praticamente me domina e é impossível afasta-la.

Sei que ela vai continuar comigo, sei sim! Sei também que ela só vai crescer e talvez nunca morra. Mas é que uns dias são piores que outros. E apesar de estar quase me acostumando com sua presença cada dia mais “presente”, ainda há aqueles dias em que eu tenho vontade de afastá-la pra longe.

Ah! O nome dela? Saudade. E creio que você também a conheça!


Kari Mendonça

10 comentários:

Lizzie disse...

Ah, conheço! E como conheço!!!
A pessoa que eu amo mora a três horas d'qui.E nos vemos muito, muito pouco. Aí você imagina, né? A saudade invade, e é sufocante.


[A propósito: olha a letra da música 'veja bem, meu bem', do Los Hermanos ;)]
Beijão

www.lizziepohlmann.com

menina lunar disse...

Não me fala nela ñ...
Senão eu desabo de novo... :(

Beijooooo Kari !

Fire disse...

Que lindo!!

Amei teu jeito de escrever, tão... sublime!

Num tem jeito mesmo essa danada!!

Se conseguir se entender com ela me ensine!

Abraço!

Uma vencedora disse...

Amiguinha,

A saudades tem sido minha companheira de todos os dias, horas e lugares... Não tem nada que eu faça, veja, ou escreva que não seja impulssionado por ela...

Eu tentei e fiz de tudo para tê-la longe de mim, mas ela persiste em não me abandonar!!!

Vem ela sempre com lembranças que muitas vezes são me faz sorrir, mas sim chorar...

Bjs
Janaína

ALF disse...

Ah saudade. Ela que nos alfige em momentos tensos. Ela que vem quando menos esperamos e fica lá acompanhando nossos passos e cada pensar de nossa mente.

"Saudade, palavra triste, quando se perde um grande amor..."

Ê saudade.

Também tenho saudade, e de um tempo que queria ter pra sempre...


Beijos

Reticências disse...

Eu, sempre acostumada aos movimentos inconstantes, me vejo agora prestes a renunciar a presença de quem amo em busca de um sonho. Ela dói, mas acalenta.

Feliz 2008.
Bjos

The Thinker disse...

Ola como vai? ja estive aki antes nao sei se lembras?

Saudades de coisas boas , coisas ruins nao tem saudades inclusas. Mas a saudade um sentimento tão belo q pod se tornar tao ruim. Isso td em um estalar de dedos.

Bjaoo

www.think.blig.com.br


T+v!

Zihh disse...

Kari, faz um bom tempo que eu não dou as caras por aqui, mas fique sabendo que cada vez mais tu me encanta com esses teus textos que deixam agente meio estático, pensando no verdadeiro sentido das palavras. Esse teu texto sobre a saudade me fez lembrar que é sempre bom sentir essa presença, mesmo que isso doa um pouco e nos dê aquela vontade de derramar algums lágrimas e desejar vivenciar certos momentos de vez em quando. Belo texto, belo mesmo!

um abraço pra senhora.


=*

Sinto que sei que sou: disse...

Conheço perfeitamente Kari, Perefitamente....

® disse...

´Anjos` sao bons qdo aparecem na vida da gente né, por outro lado meu coracao anda apertado por causa ´dela`... essa saudade que dá de colocar o papo em dia, sentir o ´afago` através das ondas cibernéticas...

Espero que isso tudo um dia, de saudade vire apenas, lembranca.