quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Uma frase e fico a pensar...

Já faz algum tempo que resolvi ler o livro Brida, do Paulo Coelho. Não gosto muito do misticismo, e acabo lendo esses e outros livros apenas como estórias de ficção. Mas essa estória foi diferente, mexeu comigo, sabe? Uma bela estória que fala sobre a outra metade. Nunca acreditei muito nessas coisas, mas sempre achei que existe alguém certo pra você e que você é também o certo para esse alguém.
.
Uma frase, já no final do livro, que me recordei recentemente, não sai da minha cabeça e me deixa a pensar... A frase é dita pelo Mago a Brida:
.
"Quem tentar possuir uma flor, verá sua beleza murchando. Mas quem apenas olhar uma flor num campo, permanecerá para sempre com ela. Você nunca será minha e por isso terei você para sempre."
.
Essa frase, rapidamente me faz lembrar de uma cena do filme "Cold Mountain", quando o Inmam está saindo do hospital e encontra com o cego, então acontece o seguinte dialogo:
.
"- Queria saber onde você perdeu a visão?
- Antes de nascer. Nunca vi nada nesse mundo. Nem uma árvore, arma ou mulher. Mas já toquei nas três.
- O que você daria para enxergar por dez minutos?
- Dez minutos? Nem um tostão furado. Poderia me transformar num revoltado.
- É nisto que a minha visão me transformou.
- Não foi isso que quis dizer. Você disse 10 minutos. É ter algo e depois perdê-la, é o que quero dizer.
- Então discordamos. Não há muito que eu não desse por dez minutos em um lugar.
- Em um lugar... Ou com alguém?"
.
Tanto a frase como o diálogo me deixam pensante... Eu discordo do Mago, assim como do cego. E concordo plenamente com o Inmam, pois não há nada que eu não desse por, pelo menos dez minutos ao lado de alguém especial pra mim. Não suportaria viver o resto da vida sem nunca tê-lo ao meu lado, apenas para saber que seria meu eternamente. De que adianta "ser meu pra sempre", se eu nunca puder tê-lo realmente como meu, ao meu lado? De que adianta eternizar um sentimento e nunca poder usufruí-lo?
.
E eu continuo aqui...
Pensando...
Refletindo...
Com mil coisas na cabeça...
.
.
Kari Mendonça

15 comentários:

::Lone Wolf:: disse...

E eu que gostaria de tocar a minha musa por apenas alguns instantes, depois de todos os momentos e promessas. Mas isso me foi negado. Apenas para eu saber que a amo mais do que imaginava, mas que ela provavelmente não.
Aí escrevo lá no November Rain ^^

Beijos.

∆٭♥∞

Pripa Pontes disse...

Brida, estou tentando ler esse livro já a um bom temmpo, gosto mto de Paulo Coelho, acho que tu já percebeu né? mas sempre aparece algum livro mais urgente para ler, e agora com a volta às aulas, mas realmente a msgem que ele traz a respeito da sua metade é algo a se pensar...e também em como devemos amar alguém sem possuí-lo como propriedade nossa.

a colombina, é uma personagem meio enigmática mesmo, envolta de desejos, um oposto meu em muitas coisas, volta e meia ela aparecerá por lá.

e festa, quero sim! quero muito rever vcs!uma boa recuperação para vc e qlquer coisa é só marcar ^^


Bjos.

Antônio disse...

Nunca li Paulo Coelho, mas faço outra interpretação sobre o que disse o Mago. Quando ele diz "você nunca será minha e por isso terei você para sempre", refere-se à posse, ao sentido de que, para se ter uma pessoa, não se pode prendê-la, ou arrancá-la de sua própria vida, como se faz com uma flor.

Já no caso do cego, depende da situação. Há momentos em que apenas 10 minutos sanariam uma grande angústia. Porém, há outros em que os mesmos 10 minutos apenas a aumentariam. Vá saber...

Beijão!

Fire disse...

Putz cara, eu tenho esse livro e o AMO!!!

Eu consigo pensar como o Mago, e só depois que pensei assim, é que as coisas deram certo pra mim...

Mas sei lá, ninguem ainda encontrou o jeito certo de se amar...

Beijos

Renata Marques. disse...

engraçado, sempre escuto pessoas que escrevem muito bem, falando mal de paulo coelho!
Por preconceito acabei nunca lendo nada dele; ver você sintando ele aqui me lembrou que eu tenho que conhecer a obra dele; pra poder ter a minhas próprias conclusões! ;)

ps: Agora que comecei meu blog, não pretendo abandona-lo ñ!!!! pelo menos nem tão cedo.

bjocas.

Marcus Vinícius disse...

Adoro o Paulo Coelho, os livros dele são bem bons mesmo.

Agora, a situação do cego comparada à da pessoa que ama é bem diferente, não dá pra comparar...

Beijão!

Marina disse...

Kari que lindo =D
Eu achei linda a frase do livro, e também o diálogo...apesar que concordo bem mais com o seu ponto de vista ^^
Adorei seus pensamentos!
Bjos =**

Bruno Oliveira / Paulo Fernando disse...

É filosófico, gosto de coisas desse tipo, que nos faz pensar e realmente parar para rever a vida, repensar sobre situações e tentar rumar um caminho diferente, é dificil, minha cabeça fica a mil por hora, e acabei de tomar decisões que precisava ter tomado mais precisava desta epifania, muito obrigo kari, Parabéns e continue escrevendo maravilhasamente bem como sempre. Sou seu fã. Até mais.

Visite o meu blog.

Paulo Fernando.

benechaves disse...

Passando aqui pra te deixar um grande abraço e dizer-lhe que sinto saudades de sua ausência lá n'o apanhador. Um ótimo final de semana.

Beijos saudosos...

Enterufter disse...

Eita que agora foste tu que me colocou a pensar...

Saudades Kari!!

Beijo grande!

Palavras de um mundo incerto disse...

Bah, guria, mil coisas na cabeça, mil pensamentos que estimulam o aceleramento das batidas do teu coração.

Beijos e milhões de abraços em tu!!!

Com carinho!!!


Marcos Ster

Menina da Imprensa disse...

Também não concordo... Mas o rapazinho que levantou a hipótese dele estar se referindo ao sentimento de posse pode estar certo... Não sei, de qualquer forma, todo sentimento tem o direito de acontecer,que é justamente o que ele nega... acho que é isso que incomoda...
Ops, nem me apresentei: blogueira novata, prazer! :o)

Katarine disse...

Nossa... não sei com quem concordo!
bjos!

ALF disse...

Isso nos faz pensar sim.
Creio que podemos ter tudo na vida, sendo cegos ou não. E podemos eternizar cada momento mesmo sendo cego, e que podemos nos sublimar em emoção mesmo enxergando.

Essa sensação independe de ambos. É claro que os olhos passam uma emoção sem igual. A cegueira apenas afina a nossa principal visão, a visão do coração. E ela é que é essencial. Sendo cego ou não, se vocÊ conseguir sentir e ver com o coração você pode ter realmente aquilo que deseja.

Afinal, "só se vê bem com o coração"

;)

Beijos

JP Marciano disse...

Boa noite,

Minha interpretação sobre a frase de Paulo Coelho deu-se da seguinte forma: é preciso entender que o amor não está condicionado a nada, ele não se envolve em paradigmas impostos, é livre, independente e sempre soberano. Para quem o deseja ou o quer, necessitará por respeitá-lo, aprendendo que nem sempre tê-lo somente para si, é a melhor forma de ver o amor em sua plenitude!
Gosto muito dessa frase, além de ser inovadora é uma afronta aos dogmas sociais, o amor é muito complexo para ser padronizado.

Grande abraço!