quinta-feira, 1 de maio de 2008

Um amor de filme

Fazia tempo que eu não passava uma tarde assistindo filme e comendo brigadeiro. O filme escolhido, não foi um qualquer. “Diário de uma paixão”, que conta a estória de Allie e Noah. Não foi a primeira vez que o assisti, já até sei as falas decoradas, mas sempre que assisto, sinto as mesmas sensações da primeira vez.

Há filmes que, ao assistir, uma das cenas me marca. Esse é diferente, pois o filme inteiro é marcante. Cada momento, cada belíssimo cenário, cada olhar... Sim! Sei que é pura ficção, mas gosto de imaginar que não é. Nesse filme, no entanto, o que me marca mais, é algumas das falas.

Falas fortes, instigantes e intensas. Gosto quando Noah a olha nos olhos e diz, “If you are a bird, I’m a bird” (“se você é um pássaro, eu sou um pássaro”). Parece uma frase boba, sem sentido, mas eu a acho tão intensa. Ele diz que, não importa o que “sejamos”, eu serei sempre algo que te completará, que ficará com você.

Em um outro momento, em meio a uma briga, ele diz, “não vai ser fácil. Vai ser difícil. Vamos ter que nos esforçar. Mas eu quero tentar, porque eu quero você. Eu quero você pra sempre. Nós dois juntos, todos os dias.”

Realmente, eu vivo falando aqui que manter um relacionamento não é fácil. E, pra falar a verdade, não acho que apenas o amor seja suficiente. É fato que a vida não é um filme, mas, se os filmes tantas vezes imitam a realidade, não poderia a realidade algum dia imitar um desses filmes?

Há alguns dias atrás vi um anúncio publicitário da fanta com a frase “amores impossíveis”. Desde então não parei de pensar... Existem amores impossíveis? Penso que, se são impossíveis, não podem ser amor. O amor não foi feito para ser apreciado em uma redoma de vidro.

O amor foi feito para ser vivido. Para ser intenso, ás vezes rotineiro, outras vezes malandro, mas nunca impossível. Se for impossível não poderá ser vivido. O amor é paciente, não tem pressa (em alguns momentos até tem), é feito para ser degustado. Esperado, algumas vezes, e em outras, devorado.

O amor não foi feito para as telas de cinema, para assistirmos em uma tarde solitária comendo biscoito. Ah não! Ele foi feito para nos sentirmos nos filmes e fazer da nossa vida, do nosso amor, algo mágico, louco, impensado, arriscado...

É, assistir a esse filme sempre me deixa assim, romântica, com pensamentos confusos e, das outras vezes, me deixava triste, por querer viver um amor igual ao dos filmes. Mas hoje não, hoje me deixou feliz, pois a vida me deu um presente inesperado. Pois é... Um amor igual ao dos filmes, mas ainda sem final, estamos apenas no início, onde os nomes dos personagens aparecem...


Kari Mendonça

9 comentários:

Adriano DiCarvalho disse...

E o importante é construirmos uma casa branca de persianas azuis, com uma varanda que circule a casa e que dê vista pra um lago, não é!rs
E mais, não importa se as cartas não chegam. Quando o amor tem que acontecer, ele acontece independente de terceiros. E essas cartas... Uma hora elas chegam até você!
Eu e minha namorada também adoramos esse o romance intocável de "Diários de uma Paixão".
Parabéns pelo texto.

Adriano Veríssimo disse...

Querida Kari,

Há um tempo que não passo por seu canto, vc me dá licença?
rs
E o que mais me impressiono é com tua forma de amar e de transpor o amor. Sabes que adoro suas escritas, suas experiências, e fico muito feliz com esse novo "batedor de coração"...rs...Estou feliz por passar aqui e receber essa mensagem e ainda estou digerindo "Se você é um pássaro, eu sou um pássaro..."...Amar é bom demais!

AMAR É PRA QUEM NÃO SENTE MEDO!

Beijo Coração

= )

candy disse...

Acredito que amores impossíveis existam sim. Não é porque eles nao podem acontecer concretamente que não haja amor.
Há tb o amor que é por parte apenas de uma pessoa. É impossível de acontecer, mas o sentimento, a intensidade estão ali, presentes.
A vida interior (e consequentemente os sentimentos, como o amor) pode ser muito³³ mais rica que a exterior.
Amor impossível existe sim. E como existe. Como é forte. Como faz bem. Como faz mal.
Claro que isso é minha opinião.
\o/

Bom fds, amigaaa
huhuuhuhu

;*****

Flávia disse...

Esse filme, sem exageros, é o filme de amor mais lindo que eu já vi em toda a minha vida. Tem coisa mais linda do que ficar ao lado do seu amor por toda a vida, ainda que ele não se lembre de vc, só pra fazê-lo lembrar do quanto é amado, todos os dias, até que a morte os separe?

Ah, Kari... eu quero um amor assim.

Beijo!

Reticências disse...

Amo esse filme pelos seus signos mais óbvios e pelos escondidos em cada singeleza, em cada olhar, em canta movimento da câmera.

Amor que resiste ao tempo, que se reincena e se reinventa. Amor...
Bisous

Enterufter disse...

Amor.

E só são quatro letras hein!!!

Beijo Grande Kari!

Helena disse...

Filmes de amor me deixam deprimida haha
É lindo porque voce gasta um tempo se imaginando do papel dela junto com aquele que voce gosta, nao sei explicar.
Lindo memso esse filme!!!!
E uma dica nao sei se ja viu, é o Tristao e Isolda! Adorei!
Bjos

Mylene Ribeiro disse...

Kari vc acredita que eu ainda não vi esse filme :(, acho que tô precisando me atualizar .

Mas é muito bom uma tarde assim, só não gosto muito da parte do brigadeiro ...acho enjoativo mas tudo bem . Gosto não se discute, né !

Muitos beijos pra ti menina .

Uma vencedora... disse...

Oie Kari.

Eu também ainda não vi esse filme, e já até coloquei no meu programa de baixar filmes para que depois eu possa vê-lo.

De qualquer forma, um filme de amor incondicional é também "Um amor para recordar..."

Lindo!!!

Sempre o amor é lindo!!!

Bjs

Janaína