quinta-feira, 12 de junho de 2008

Era dia dos namorados...

Doze de junho de 1999. Eu tinha dez anos e um namorado. O nome dele era Kaio, 12 anos. Namorávamos há quatro meses, mas antes de continuar a falar do dia 12, deixa só eu contar como tudo começou...

Kaio era um amigo, e seus pais eram muito amigos dos meus, por isso nos víamos bastante. Depois de um tempo, percebi que ele me tratava diferente e eu gostava daquilo. No dia seis de março, fui ao cinema com meus primos e alguns amigos deles.

No meio do filme eu quis sair, disse que não estava gostando (hoje adoro e assisto sempre!). Meu primo saiu comigo e Kaio também. Notei que, enquanto caminhávamos pelo shopping, ele se afastou, e foi quando meu primo perguntou se eu não queria namorar Kaio.

Eu disse que só responderia no dia seguinte pela manhã. Fiquei sem saber o que fazer, mas fingi que nada tinha acontecido. No dia seguinte, meu primo perguntou a resposta, mas eu disse que só responderia a noite. Ele disse que não poderia, então eu respondi “tá certo”. Ele perguntou qual seria a minha resposta e eu disse que já havia lhe dado.

Dessa forma, estávamos namorando. Era um namoro de criança. Víamos-nos muito por causa dos nossos pais, mas não éramos vistos juntos em público, não segurávamos as mãos e, de forma alguma, nos beijávamos.

Em uma das vezes que foi lá pra casa, ele tentou me beijar, enquanto eu estava no computador. Ele chegou por trás, beijou o meu pescoço, a bochecha e, quando quase estava chegando à boca (e eu quase gelada de pavor), o meu pai entrou no quarto.

Kaio ficou um pouco sem graça, e nunca soube se meu pai notou. Sei apenas que eu fiquei muito feliz. Mas... Voltamos para o dia 12 de junho de 1999. Estavam lá em casa Kaio, seus pais, sua irmã e o namorado dela (meu primo), meus pais, minha irmã e o então namorado dela e a minha prima.

Passamos um dia bastante agradável. Foi o meu primeiro dia dos namorados com alguém e eu lhe dei uma camisa. Ganhei um ursinho Pooh. O dia estava correndo bem, até que todos decidiram terminar o dia no cinema. Queriam assistir a um filme, mas, por ainda não ter doze anos, eu não poderia ir.

A idéia então era que todos fossem assistir ao tal filme e eu e Kaio iríamos assistir ao “O príncipe do Egito”. Eu realmente queria assistir a esse filme, mas quando me imaginei “sozinha” numa sala de cinema com ele, eu entrei em pânico.

Ele tentaria me beijar. Eu sabia que tentaria, e eu não teria como escapar... Então, comecei a chorar e disse que não iria para o cinema de jeito nenhum. Minha mãe não entendia o meu choro e quando me perguntava o que estava acontecendo, eu apenas dizia que não queria ir ao cinema.

E depois de muito choro e escândalo, resolveram ficar em casa e alugar algum filme. O que os nossos pais fizeram, eu não lembro, mas sei que terminamos no meu quarto, eu e Kaio, minha irmã e o então cunhadinho, meu primo e a namorada e a minha prima.

Assistimos algum filme que eu realmente não sei qual foi, mas fiquei feliz em estar em um local cheio, onde ele jamais tentaria me beijar. E foi assim que, por causa de um “suposto” beijo (que eu nem sei se realmente chegaria a acontecer), eu acabei com o dia dos namorados de cinco casais.


Kari Mendonça

5 comentários:

Antônio disse...

Essa história é quase um capítulo da minha série "O Saudosista"! Fiquei imaginando a cena do choro e todo mundo tendo que ficar em casa, hehehehe. Isso sem falar no guri, que certamente estava planejando com detalhes o momento certo de te beijar. Hilário!

Beijo!

Érica disse...

uahuaahauuahuhauhahuaua
Coitado do Kaio meu Deus e ichinha de tu amiga.
Muito ilária essa jistória, é bom né??Quando tudo passa e a gente cresce, tudo é engraçado, até nossas tragédias
Beijo amiga.

Auíri Au disse...

Hehehe...
O medo é algo tão incomparável, mais eu gosto sabia...tenho medo das coisas que ainda não conheço, é como se fosse meu limite, passado o limite, vem outro, outro, outro....
E o seu namoro??rsrs
Namoro inocente...giz de cera na mão de criança..hehehe


beijos e feliz dia dos namorados

Candinha disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk
só tu mesmo!

eu acho q já escutei algumas histórias sobre esse 1º namorado, hein? :D

=*

Candy disse...

kkkkkkkkkkkkkkk
adoreeeeeei!
simplesmente adorei!
amo essas historias que têm a verdadeira inocencia!
imaginei o desespero da pequena Kari!
Que lindaaa, mo deos!!!!
^^

;*****