quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Relatos de uma jovem

Acordei cedo. O dia estava claro, quase sem nuvens, como a muito não via. Tudo parecia normal. Correu tudo bem. Sai cedo de casa, o caminho foi tranqüilo, fiz o que tinha que ser feito, arrumei o que deveria ser arrumado e tudo parecia estar em perfeita ordem. Voltei para casa e passei a tarde assistindo filmes.

Era final da tarde quando resolvi tomar banho. Não demorei muito. Troquei a roupa, peguei a bolsa, o caderno e me arrumei para sair. Entrei no carro, ajeitei o banco. Quando estava quase saindo, senti-me irritada, por motivo nenhum, mas foi rápido e logo passou. Liguei o som e sai de casa.

Ao me aproximar da avenida, tudo parecia bem, mas logo percebi que não. Já estava escurecendo quando percebi que as bicicletas não me deixavam sair. Os carros não paravam de passar. A chuva começou a surgir. Queria correr, mas não podia. Queria parar, mas tinha que continuar.

Comecei a ser invadida por uma tensão e uma irritação fora do comum. Percebi que segurava a direção com força. Soltei-a. Tentei entender, mas ficava, a cada minuto, mais estranho. Continue dirigindo. Precisava ir para a aula, não podia voltar para casa como tanto queria e agora, mais que nunca.

A música estava alta, mas quase não a ouvia direito. Um mal estar começou a tomar conta de mim. Não sabia o que estava acontecendo. Cheguei a achar que seria um pressentimento. Um mau pressentimento. Questionei-me sobre o que poderia ser, mas não queria pensar aquilo, queria que não fosse nada ou, o que fosse, que logo acabasse.

Um homem passou na minha frente. Não parei, mas não o peguei. O mal estar estava ficando pior. Quis voltar para casa, mas já estava chegando à faculdade. E, foi quando estava perto, bem perto que tudo se esclareceu. Eu não estava sozinha, em momento algum. Era ela, a TPM, que tinha resolvido chegar mais cedo.


Kari Mendonça

10 comentários:

Lilah disse...

maldita tpm.

tem um post no blog
amalinhaborges.blogspot.com


leeia!

beeeijo!

Roberta disse...

Olá! Nossa, ficar de TPM é realmente muito chato. Eu, por exemplo, a cada mês nunca sei ao certo o que me aguarda. Tem vez que fico super sensível, choro a ta (até com filme de cachorrinho que passa na Sessão da Tarde!). Tem mês que me irrito a toa (a toa mesmo!). E tem vez que fico com o chamado "problema de junta" (junta tudo e joga fora!), dói tudo: joelhos, costas, cabeça... Enfim, e tudo isso por causa da maldita TPM. É, ser mulher é realmente algo muito difícil... Um abração!!!

Candinha disse...

uehueheuhe
eu senti que era ela desde o 2º parágrafo.. :P ôô bichinha cabulosa, hein? quebra a gnt de jeito! :P

mas ela passa! graças a Deus ela é passageira.. ;]

bjo, kariroca!

® disse...

Hehehe já nem sei mais quando é a tal chegando, ou se é um estado permanente de leseira.
Fazer o quê, temos que enfrentá-la, umas com menos sintomas, outras com mais, mas sempre aí.

Érica disse...

huahuahuahuuhauhhuauha
Sei bem dessa ai, ela vem todo mês me fazer uma longa visita. Bora matar ela, ela é muito u ó.

Eu vi ela ontem contemplando sua singela pessoa, de vez em quando numa palavra mais rude, num ton mais grave. hehe...Vai passar, vai passar.
:***********

Marcela ツ disse...

Acho que a minha tbm chegou mais cedo ¬¬

Que saudade de vc Karilinda!
Obrigada pela força, viu?

E eu, chegando assim depois de tanto me sinto até perdida pra colocar a leitura em dia. Mas como gostou pouco daqui, vou adorar fazer isso =]]

Beijo, bom final de semana!

Palavras de um mundo incerto disse...

AS DEUSAS SÃO GUERREIRAS!!!

SÃO MAIS FORTES QUE NÓS(HOMENS).

Beijos querida!!!


Marcos Seiter

Alê Raposo disse...

Sofro muito deste mesmo mal :(

ALF disse...

Caraca, que coisa.
E chega sem ser esperada, e acaba atrapalhando né.

:/

Beijos

No meu mundo. disse...

Noossa, gosto nem de pensar!
Mas fazer o que se temos que conviver com ela.

Bjos.