domingo, 24 de agosto de 2008

Uma manhã de sábado


Em uma manhã de sábado, estava no parque com suas amigas. O que deveria ser apenas uma aula de fotografia acabou por se tornar uma manhã bastante agradável e divertida. Foram muitas as voltas que deram no parque para captar as melhores imagens e momentos. Quase tudo poderia ser uma boa foto, mas só os melhores momentos foram captados.

Enquanto andava pelo parque a procura da foto perfeita, observava tudo ao seu redor. Sempre gostou de crianças e, aquele parque parecia o paraíso. As menininhas mais lindas estavam no balanço, com a bola ou brincando de bolinha de sabão. Os meninos mais fofos andavam de bicicleta, velocípede ou corriam de um lado para o outro.

Seus olhos não sabiam o que captar. Eram muitos momentos, muitas crianças que mereciam ser fotografadas. Muitas fotos que queria guardar. E, enquanto se encantava com tudo, desejou do fundo da alma, ser uma daquelas mães. Queria estar lá tirando fotos do seu filho, correr atrás dele, colocá-lo nos braços e brincar de aviãozinho.

Queria, mas não podia. Ainda precisava tirar as fotos. E foi quando, enquanto distraída tirando a foto de uma planta, passou ao seu lado um homem empurrando um carrinho de bebê. Não conseguiu se concentrar nas plantas. Era bonito demais ver aquele momento. Ele era jovem, bonito e o seu olhar era o de um apaixonado.

Apaixonado por aquele lindo bebê dentro do carrinho azul. Pronto! Ali estava a foto perfeita. Tentou correr atrás, mas a timidez não a deixou alcançar. Então ele parou, pegou o bebê no colo e fico parado por uns instantes. Tomou coragem, pediu licença, perguntou se poderia tirar uma foto, ele disse que sim.

Após se afastar um pouco, escolheu o melhor ângulo e bateu as fotos. Sim! Tirou mais de uma, pois não se conteve com tão pouco. Despediu-se daquele pai tão carinho e seguiu admirando aquela foto e recordando-se daquele momento tão especial que havia presenciado. Sabia que jamais esqueceria aquele olhar de pai para filho.

E foi então que percebeu que seu grande desejo não era apenas ter um filho, mas era poder presenciar o pai de seu bebê olhando-o daquela forma. Foi então que, como jamais havia pensando, desejou não ter apenas um filho, mas uma família. E queria, numa manhã de sábado, passear com eles no parque.

A manhã estava para acabar, quando foram embora. Mas, antes de ir, ela decidiu jamais esquecer como aquela manhã havia transformado seus sonhos e seus desejos. Decidiu que ainda iria voltar lá com os homens da sua vida.
.

.
Kari Mendonça

8 comentários:

Palavras de um mundo incerto disse...

Os momentos marcantes da vida são demais.

Lindo!!!

Bjos querida!!!


Marcos

® disse...

A forma que se vê as coisas é a forma que elas se transformam, penso eu, e vc vê de uma maneira simplista e tão feliz.

Érica disse...

Talvez eu entenda agora o silêncio mais inquietante. Era por causa de pensamentos tão doces. Obrigada Kari por ter sido a melhor companhia da manhã de sabado mais cansativa, no parque mais bonito, com flores que exalavam perfume de coco. uhauhauhauhuhahua
Realmente uma manhã pra não esquecer jamais.
:*************************

No meu mundo. disse...

Amiga, que manhã hein?! E ainda vamos sim, passear com nossos filhos qndo vc vier fazer uma visitinha aqui pra tua amiga.
E eu vou lá te visitar tbm.
Espero que em um desses nossos passeios alguém esteja tendo uma aula de fotografia, pra registrar o quão boas mães nós seremos.
Bjo.

candy disse...

Só vou dizer uma coisa:
PERFEITO!
preciso dizer que tb quero?
Um dia, amiga, um dia!
:D

;*

O Profeta disse...

Uma rosa breve
Uma hortênsia de alva cor
A terra molhada pelo sereno
Nos celeste paira um Açor

A madeira verde, a dança do fogo
O embalo do loureiro no vento, o alecrim
Um ribeiro de inquietas águas
Levam o perfume das mágoas em viagem sem fim


Convido-te a sentir a minha paleta de aromas


Mágico beijo

Alê Raposo disse...

Conheci alguém mais romântica que eu... ou, pelo menos, alguém que expressa mais o seu romantismo.

Queria não ter faltado essa aula!
Bjs

» NaY « disse...

Imagino o quanto não deve ter sido "intenso" ver isso que acabara da descrever! Pq para mim o foi só de ler! E eu também quero um pai de meu(s) filho(s) assim!
Boa sorte para nós!
Xerus
=***