segunda-feira, 3 de novembro de 2008

50 Receitas

Há uma música do Leoni que eu gosto muito, mas há um trecho dessa música que me atrai ainda mais. A música é “50 receitas” e o trecho é aquele que diz, “mais o pior é pensar que isso um dia vai cicatrizar”. Há três anos descobri o cd dele. E, quando eu gosto de algo, eu escuto até cansar. E escutei bastante esse cd, até que cansei.

Hoje o escuto vez ou outra. Ainda gosto muito. Mas essa frase, esse trecho da música, não pára de martelar a minha cabeça sempre que percebo ou sinto alguma coisa, pois percebo que, pior que sentir a dor, é pensar que ela vai passar. Sim! Já escrevi um pouco sobro isso quando uma amiga acabou um relacionamento, mas agora são outras coisas que passarão.

Abrangi o sentido da frase para fora dos relacionamentos amorosos. Afinal, há tantas pessoas que precisamos (ou não) esquecer, que 50 receitas poderiam ajudar. E não precisa necessariamente ser um ex. namorado ou marido, basta ser alguém que fez parte da nossa vida. Sabe... Foi duro. A verdade me bateu no peito com muita força, mas eu percebi que tudo, digo tudo mesmo, passa.

Quando perdemos alguém que amamos, os primeiros dias são aterrorizantes, afinal, não sabemos como viveremos sem aquela pessoa ao lado, ou sem vê-la aos domingos ou na escola. Ficamos apavorados com a nova vida que vai começar. Não queremos que comece. Não queremos seguir em frente. Não sem o pai, a mão ou a avô que se foi.

Mas, em algum momento, sentimos a necessidade de sair do quarto e ir até a sala, só para conferir que ela continua vazia e não deixará de ficar assim até que você sente no sofá. Mas você não quer sentar sozinha. Falta ele. Ela. Falta algum barulho na casa. Uma voz. Um passo. E você se sente apavorado ao perceber que os dias passaram e você não tem mais aquela companhia. E nem terá.

E, é fato que a dor vai sempre existir, e a saudade também, mas em doses menores. Sentar no sofá não será tão doloroso. As lembranças não machucarão tanto, ao contrário, te farão sorrir. E mais, falar da pessoa não será como te cortar o coração, exceto, claro, em algumas ocasiões, algumas datas específicas.

Na hora da dor, tudo o que você não quer pensar é que vai passar, mas passa. Sempre passa. Pra quem sofre, essa é a pior coisa a se ouvir e talvez você me diga que eu não passei por algo extremamente terrível para dizer que tudo passa. Então eu te respondo que, ver uma pessoa que amo morrer todos os dias e agonizar até o último segundo foi terrível.

E eu achei que nunca fosse passar, mas passou. Agora eu consigo viver com isso. Olhar as fotos ainda dói, mas algumas lembranças já me fazem sorrir. Entrar na casa ainda é estranho e sentir seu cheiro ainda machuca. Mas ainda é recente. Para o tempo do coração é! Mas eu sei que vai continuar melhorando e sendo, cada vez, menos difícil.

Entretanto, nas minhas descobertas, percebi que não é apenas a dor que passa (diminuindo, e, ás vezes, sem nunca acabar), mas tudo passa. Seja uma raiva, uma mágoa... O tempo é capaz de curar. Achei, em algum momento, que jamais aceitaria “uma” tal situação, mas o tempo me mostrou que, a situação em si não tem culpa do que está em sua volta.

E é por isso que eu não tenho motivos para não gostar da “situação”. Também não tenho motivos para não aceitar que, apesar da dor, as pessoas devem seguir em frente (sim, eu preciso me explicar. É que, para mim, é meio difícil ver as pessoas seguindo em frente em algumas ocasiões, por mais que eu sempre diga que é isso que elas devem fazer.).

É difícil aceitar que algumas raivas também acabam. Não porque pediram desculpas ou porque tudo está bem, mas porque, em algum momento você percebe que não tem mais sentido sentir aquilo. Mesmo que você nunca diga, mas seus sentimentos mudam com o tempo, com a maturidade...

Enfim, “o pior é pensar que isso um dia vai cicatrizar”, porém, se pensarmos bem, pior seria se não cicatrizasse jamais...



Kari Mendonça

13 comentários:

Érica disse...

Lindo layout Karita mia.
Assim, algumas lembranças, tristezas e afins, não cicatrizam nunca. Pelo menos pra mim. Elas dão espaço pra outras, mas permanecem ali em algum lugar dentro da gente e volta e meia resurge... fenix. Mas graças a deus que existe o tempo e que ele passa.

Adorei o fds, por mim eu tava lá ainda boiando no miocão, comendo lasanha e bolo de minuto. hehehehhe
Adoro você, manda um beijo pra Tia, Tio, Meg, Kely e o mais recente e importante membro dessa família massa...Darlanzito Mendonça Seiter. uauauhahuauhahuuhauhauha
:***

Quase Trinta disse...

Adorei o novo visual, mais leve.
Eu adoro Leoni e essa música especial e a frase que vc destacou é forte... O pior é pensar que isso um dia vai cicatrizar... Acho q saber q vai passa é q dói, afinal gostamos de ter nossas dores de estimação.

beijos pra ti

® disse...

Muito boa a forma cautelosa e saudável como vê a cicatrização das feridas que as dores nos causam... isso só faz com que saiba administrar e ter feedback desses momentos ´punk` que temos que passar.

Para mim, a dor nada mais é do que um caminho que temos de percorrer para a libertação, e então futuramente seguirmos felizes.

Boa semana Florzinha.

Leh disse...

Tudo, TUDO passa. Isso é fato!! Mesmo que a gente não queira... um dia tudo passa. Nada como o tempo pra modificar tudo.

Belo layout. Adorei.
Beijos

flávia ruas disse...

ameeei seu texto!
uns três anos atrás eu também viciei nesse cd, e ainda amo essa música. e é verdade, tudo passa, tudo mesmo (embora eu deteste ouvir essa frase quando eu não tou bem. hahaha)
realmente, é melhor cicatrizar do que não cicatrizar.
beeijo

Caroline disse...

essa frase dele deixa um tom de esperança-nunca-satisfeita na boca...

que triste.

mas concordo contigo, tudo passa.

tem um trecho árabe que resume isso:"Iazul"

beijo!

Flávia B. disse...

Kari, hoje eu só posso dizer que QUERO que cicatrize.

eu QUERO e PRECISO que cicatrize.

Beijos, flor.

*Lusinha* disse...

Essa música é sem igual e já embalou muitas dores minhas, como também momentos bons, acredita? Já mostrei pro namorado ver o peso da letra, mesmo que não estejamos querendo receitas para esquecer um do outro. ;)
Realmente Kari, o problema não é a dor em si. Porque sabemos que ela passará, mesmo sem o Leoni nos contar. Já foram tantas decepções nessa vida e muitas delas já se transformaram em passado cicatrizado, que já doeu, já foi embora e hoje não interfere mais no nosso interior... Mas para ter a vontade de mudar, a aceitação para o que está por vir, para isso tenho dificuldade mesmo, confesso.
E prefiro que passe...
Bjitos!

Jaya disse...

Kari,

Que reflexão linda e apaziguante, moça! Eu fui lendo e sentindo as palavras de um jeito tão reconfortante, que alguns medos foram dormir, até. Como você consegue? (:

Levo comigo essas tuas palavras, que sorrirão comigo, a partir de agora. E serão apoio, em horas tais.

Uns beijos, viu?

P.S.: O post do Recife me fez viver de novo a ciranda. Foi lindo. E a cara nova do blog, com a foto que carrega histórias,ficou ainda mais bela.

Thiago disse...

pois é Kari, como se não bastasse esse trecho que tu citou..nos aparece outro ' já matei você mil vezes e seu amor ainda me vem, então me diga quantas vidas você tem ' conhece? Parece que eles adoram cantar nossas dores!

Abraços.

ALF disse...

Até o amor repousa na dor.
É parte da vida minha querida. O sofrimento faz parte do aprendizado.

Precisamos seguir em frente.
A cicatriz traz consigo valores para aprendermos.
Tudo serve para crescimento.

;)

Adorei a reflexão.

ps: ow não perde a minha história no blog viu. Sinto a falta da sua doce presença por lá.
Sábado tô postando a segunda parte da história. Vai lá. tu vai gostar da historinha.

Beijos

O Velho disse...

Com certeza, Kari. Como o ser humano é ilógico, né? Sofre, mas tem medo de parar pra sofrer! É por isso que, além de curar, o tempo também nos mostra como nós somos infantis, às vezes...

O importante é aprender sempre e ser feliz, porque a felicidade é absoluta, não depende de circunstância alguma!

Beijos e Muita paz!

;-)

P.S.: Já postei a segunda parte da história! Passa lá no Velho!

Alle Nascimento disse...

Frejat tem um versão deste som...


abçs