quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Outra carta

(Sem intenção de ser carta, mas foi assim que acabou ficando...)
.
Hoje, eu não vou te escrever mais uma carta como fiz um ano atrás. Porque hoje, eu não quero falar com você, e, diferente do ano passado, eu não vou falar com você de jeito nenhum. Sabe, eu não tenho muito a te dizer, e talvez eu nunca tenha tido. Pensando bem, acho que nunca conversamos de fato. Só coisas banais. E eu cansei de falar coisas banais.

Talvez, tudo o que eu tinha para te dizer, eu disse um ano atrás. Desabafei mesmo e agora não me resta mais nenhuma palavra. Eu não vou te desejar um feliz aniversário. Não que eu não te deseje. Desejo coisas maravilhosas pra você. Mas porque não acho que tenha necessidade de te dizer coisa alguma.

Acho que você não tem o que me falar, não é mesmo? Visto que a última vez que conversamos, você quase não falou comigo... Acho que você também não tinha o que me dizer. Olha, eu não vou ficar aqui dizendo o quanto lamento pelo que você está passando. Quer dizer, eu sinto muito, por você e apenas por você, mas acho que algumas coisas acontecem e nos fazem amadurecer.

Quem sabe você não amadurece? Quer dizer, talvez você já esteja muito mais maduro do que quando “conversamos” da última vez, ou talvez você ainda seja aquele menino bobo tentando parecer um homem. Enfim, pra quem não tinha nada para te dizer, acabei dizendo um bocado de coisas.

Mas, vou aproveitar para me despedir. Creio que jamais nos veremos novamente. E acredito que, caso nos vejamos, continuaremos sem conversa. Portanto, fique bem. Seja feliz. Viva a sua vida por aí que eu vou viver a minha por aqui. Boas férias, um feliz natal (por todos que virão) e, um feliz aniversário!

Era isso! Adeus!
Beijos,
Karina
.
PS.: Sim! Um pouco confuso. Mas, de certa forma, não deixou de ser um desabafo... E, como eu já disse, desabafos são sempre confusos...

15 comentários:

Camila disse...

Kari... como assim?! Quer me matar de chorar.
Postei uma carta de despedida há algum tempo atras e pensei que Gustavo num havia lido, porem ontem soube que ele leu.
Cartas e despedidas são sempre inesquecivéis.
Não sei a história nem entendi muito bem o desabafo-despedida, mas torço para que tudo acabe sem mágoa e que no fim... nunca acabe mais!
s2
Beijos querida

Quase Trinta disse...

Eu ainda não consigo escrever uma carta de despedida, mas acredito que já estou chegando nesse ponto....
adorei a sua carta de verdade

Cris_do_Brasil disse...

Já colocou no correio?

No meu mundo. disse...

Amiga, pra quem foi?
Fiquei curiosa.

Flávia B. disse...

Nossa, Kari... pela primeira vez eu não sei o que dizer. Porque ficou claro que é pessoal demais... então, vou dizer apenas que se é uma despedida, que seja uma despedida até mesmo das lembranças ruins.

Beijos, menina.

*Lusinha* disse...

É ruim querer e ter algo para dizer a alguém e depois se dar conta de que não é necessário, não é preciso, não vale a pena...
Bjitos!

Thiago disse...

que todos os sentimentos ruins siga junto com a carta :) recomeços são sempre bons!

Manuzica disse...

Oi, Kari..

Nossa, lendo essa tua cartinha deu até vontade de escrever um monte de coisas que tá engasgada aqui e mandar p/ correio. Mas a melhor resposta, dizem, é a que não se dá. Portanto, fico calandinha e engulo essa..até qdo eu não sei. srsrsr

Bjocas!!

Érica disse...

Despedida é sempre despedida.
É ruim, mas acontece.
Me conta quem foi mais tarde.
uahuahuauhauaha
Se quiser claro. Não sou tão curiosa assim.
:******

Jaya disse...

Eu tenho uma carta nesse estilo. Ainda não publiquei. Ela é forte demais.

Eu acho bom que você tenha conseguido expulsar tudo isso, assim. Foi doce, apesar do tom meio... Sabe?

Gosto de te ler. E pronto.

Beijocas, Kari.

P.S.: Postei a lista. Rs.

Uma Vencedora disse...

Oie Kari...

Eu sinto tanto a sua falta, pois você foi peça fundamental na minha melhor, porque quando eu pensa em uma referência de maturidade, eu lembro de você!!!

Amiga, não me deixa não, nem fique com qualquer magoa de mim...

Aquele periodo em que nos conhecemos, eu estava muito confusa, perdoe-me!!!

Mil beijos

Janaína

Érica disse...

Bom findis minha querida.
Até segunda!
:***

A revista ta linda. E o mérito é todinho seu.

Lizzie disse...

Eu gosto muito de escrever cartas.

Desabafos são sempre confusos, realmente. É a tradução do nosso 'turbilhão interior', e se escrevemos, é pra tentar entendê-lo.

Alguns laços devem ser cortados, outros fortalecidos. A escolha é sempre nossa.

Beijocas
www.lizziepohlmann.com

meus instantes e momentos disse...

muito bom, mas para o desabafo ser completo mesmo falta o palavrão.
Eu nunca desabafo sem falar palavrão.
Tenha um belo final de semana.
maurizio

ALF disse...

É sempre angustiante escrever algo assim, mas é preciso que esteja com um emocional equilibrado. Desabafo pe bom porque deixa as coisas claras e tudo termina com mais paz.

Odeio despedidas, mas quando acontece não podemos fazer nada, a não ser aceitar.

:/

Grande beijo Karina.

:)