sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

É chuva ou não é?

.
O cheiro é de terra molhada.
O som é de pingo em folha.

Olho para fora e está escuro.
Sinto frio.
Penso na chuva.

Mas não.
É apenas um vazio.



Kari Mendonça

11 comentários:

Invade e Fim. disse...

Kari, enquanto esse vazio dilacera, o sol aqui esquenta e não acalma o coração. Faz calor em tudo, calor de saudade por exemplo.

Um beijo.

Marcus Vinícius da Silva disse...

Aqui chove, e gostaria que fizesse frio.

Apesar de parecer ser baseado em fatos reais, e de representar uma tristeza (ou saudade, nunca fui muito bom em dissecar poesias atrás de sentimentos) de verdade, gostei dos versinhos e da rima inesperada.

Beijão!

Reticências disse...

É a chuva personificando seus sentimentos.


;)

Clodie disse...

Kari, lindos demais os seus versos!

Eu, depois que os li,

comecei a chover por aqui.

Você, com o seu poema, tu sabia?

Fez chover aqui também

Poesia!

Uma abraço,

Clodie :-)

Carolina; respira-me disse...

Preencha logo, vazio é um saco, eu detesto sentir!

Grandes beijos Karii!

Jéssica disse...

Saudade? hehehehe

Deve estar morreeeendo!


Beijo, adoro-te :*

Katarine disse...

Vazio e chuva. Tudo a ver!
Bjos!

Flávia disse...

Kari, eu sou fã se singelezas. E esse poeminha seu, assim tão breve e tão cheio de signoficados, de fato me arrebatou. Li várias e várias vezes, em todas as entonações possíveis... e cabe um mundo aí, menina. Cabe um mundo aí...

Parabéns!

Beijo!

::Lone Wolf:: disse...

Ah, os versos. Mesmo depois de tanto tempo ainda não consigo escrevê-los. Ainda mais da forma tão excepcional que você fez. Muito sensível.

∆٭♥∞

*Lusinha* disse...

Espero que o calor e alegria irradiantes cheguem logo para iluminar o dia e preencher esse vazio. ;)
bjitos!

Quase Trinta disse...

E o vazio dói... pq quando tudo está vazio, existe eco... que as vezes assusta, que as vezes atormenta.