quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Por que algumas pessoas tem filhos?

Há algo que vem me perturbando e já faz algum bom tempo. Tenho observado em todos os lugares que vou, seja na praia, num restaurante, lanchonete, shopping ou até no bar, e um questionamento que não me sai da cabeça é: por que algumas pessoas tem filhos? Deixe-me relatar melhor o que venho observando e compreenda que meu questionamento é válido.

Na última sexta-feira fui à praia, à noite, comer espetinho (um programa ótimo, gostoso e barato) e, enquanto estava sentada no calçadão com meus pais, percebi a chegada de uma mãe e seus dois filhos acompanhados daquela que deveria ser a babá. Talvez você não veja nenhum mal nisso, mas ai eu repito: era uma sexta-feira à noite.

Outra vez fui até um restaurante almoçar e no parquinho estavam quatro crianças e três babás. As mães e pais de todos eles estavam sentados almoçando e sequer olhavam para suas crianças. O almoço demorou bastante naquele domingo e reparei que as babás estavam o tempo inteiro com as crianças, para que seus pais pudessem almoçar e conversar tranquilamente.

Não apenas nessas ocasiões, mas sempre que vejo uma família sentada num restaurante (ou onde quer que seja), acompanhado da babá, questione-me o porquê daquelas babás. Não! Eu não tenho nada contra as babás. Acho uma profissão digna como qualquer outra, mas sou contra os pais que levam sempre as babás para qualquer lugar.

Entendo perfeitamente que, com o mundo moderno e com a entrada da mulher no mercado de trabalho, é mais que necessário a existência de uma babá, aquela que cuidará do seu filho enquanto você trabalha. Afinal, muitas mães não possuem maridos e precisam trabalhar para sustentar seus filhos, precisando assim deixá-los com alguém durante (boa parte) do dia.

O que não entendo é que, ao chegarem em casa, algumas dessas mães esquecem de seus filhos e vão fazer qualquer outra coisa, afinal, a babá continua lá para cuidar deles. Quer dizer, eu não entendo como alguém não consegue aproveitar todo o tempo livre para curtir seu filho. Sim! Pois acredito que até cuidando, estamos curtindo-o.

Numa sexta-feira à noite, podendo ir a praia com seus filhos, brincar com eles, comer alguma coisa com eles e aproveitá-los ao máximo, não entendo como alguém não sente prazer em fazer isso. Sim! Pois penso que, ao levar a babá junto, a mãe se afasta da criança de alguma maneira, pois, se ela chorar, a babá cuidará disso e a mãe não se preocupará com nada.

Já presencie casos em que o bebê gostava mais da babá do que da própria mãe. Como se deixa uma situação chegar a tal ponto? É aquela mãe que nunca quer ter trabalho, que, a qualquer momento chama a babá. É quando a babá está mais presente do que a própria mãe. E o bebê percebe isso, e acaba se apegando aquela que está sempre próximo.

E é por isso que eu não entendo como algumas pessoas tem filhos para serem criados por babás. Quer dizer, se você não está preparado para abdicar de algumas coisas, então não está preparado para ter filhos. Pois, ter um filho é abdicar certa liberdade, mas não é ser aprisionado. É apenas aprender a fazer novos programas, ir a outros lugares, mudar horários...

Recentemente li uma reportagens sobre casais que decidiram não ter filhos. Eles reclamavam que as pessoas nunca entendiam como pessoas saudáveis poderiam não querer ter filhos. Num primeiro momento, confesso que fiz o mesmo questionamento, mas, pensando melhor, passei a admirá-los. Se não estão dispostos a mudar a rotina, melhor que não tenham filhos mesmo.

E fiquei pesando que, muitas das pessoas que vejo por aí, quem sabe, deveriam ter tomado a mesma decisão....



Kari Mendonça

9 comentários:

Hariane disse...

Concordo com você.

Se não estão dispostos a abdicar de algumas coisas por causa dos filhos que não os tenham. Ter filhos para uma babá criar é melhor não tê-los. As crianças precisam dos pais, de carinho, atenção deles.
Muitos adultos não preparados para esse momento deveriam renunciar a paternidade e maternidade.

BJ

Maria disse...

Oi amiguinha, vim visitar vc também!
A respeito dessa mãe da sexta à noite vou arriscar um palpite. Com essa moda de todas as mulheres trabalharem fora, elas tb nao tem tempo para namorar com seus maridos, noivos, etc. Aproveitam a sexta feira para um jantar com amigos. Vou te contar; jantar fora, ou almoçar com crianças pequenas é uma cruz, pode acreditar. Eles ficam agitados em restaurantes, querem ir ao banheiro, etc. Acaba que a noite planejada para ser um passeio vira stress. Na verdade, acho que esses casais pensavam estar fazendo o certo; socializando com as crianças, mas com a vantegem de ter uma ajudante. Passeio de mãe com filhos não é em saídas noturnas de sexta feira: melhor nos sábados e aos domingos, pela manhã. O duro da mulher moderna é que ela tem que ganhar dinheiro, ser mãe, dona de casa e tb nao pode descuidar dos maridinhos, sempre sair, estar bonita, etc, ou eles ficam bicudos. Não dá para ser perfeita, nao dá mesmo. Algo sempre fica faltando.
beijão

Palavras de um mundo incerto disse...

Minha querida, tu tens toda a razão. Foi um "amor" fazer a criatura e depois deixá-lo de lado para as outras "pessoas" cuidá-lo.
É lamentável a falta de respeito com a criatura do próprio sangue. As pessoas estão se tornando Tartatugas Fêmeas, que procriam seus filhotes na areia e depois libera-os para o mundo, que andem com seus próprios pezinhos. Infelizmente na vida humana está acontecendo a mesma coisa no momento errado.


Beijos, pequena!!!


Marcos Seiter

Marcus Vinícius da Silva disse...

Eu quero ter filhos, mas só depois que eu já tiver minhacasa e tempo pra ele!

E achei a coisa mais fofa o post anterior...
É real?

Beijão!

*Lusinha* disse...

Você levantou um bom ponto.
Eu não entendo como uma mulher opta por não ter um filho. Tenho essa vontade desde muito pequena e parece que conforme vou ficando mais velha e mais madura a vontade só vai aumentando. Mas respeito. Cada um sabe o que fazer melhor com sua vida e se é para ter um filho e não lhe dar atenção é melhor que não tenha mesmo, afinal, filho é dedicação, é carinho.
Não tenho nada contra babás também, mas acho que o tempo que não tivesse trabalhando iria querer curtir meu filho ao máximo. Acho que seria capaz de ficar sem trabalhar no primeiro - se as condições financeiras permitissem - só para não perder nada do bebê...
Bjitos!

ALF disse...

É um assunto pertinente. Atualmente as pessoas estão se distanciando de seus filhos. A rotina do dia os força a isso. Os pais acabam não criando tanto afeto. Acho até que esses problemas já ocorrem há tempos. Talvez seja por isso que há tantos casos de filhos brigando com pais. Não há mais aquela relação tão paternal. Não há mais a proximação. Quando crescem fica compreensível ver crises entre os pais e os filhos.

Entendo sua observação Kari. De fato algumas famílias deviam ter uma noção maior da responsabilidade de cuidar de filhos e da importância da presença constante no crescimento delas.

Pena a rotina separar os pais dos filhos. Mas deve se procurar uma solução. Os pais devem ficar mais próximos dos filhos.

Gostei do texto.

Beijos Kari.
Se cuida viu.
Te adoro.

Jaya disse...

Falta de planejamento.
Ou excesso dele.
Ou vontade de fazer um mundo, pra eles.

Mas e o amor, do agora?
De nada adianta o antes.

Melhor é sentir.
Ser pai.
E filho.

Eu concordo com teus posicionamentos, Kari.

E que os nossos, sejam nossos integralmente.

Te beijo, com carinho.

Jéssica disse...

É, para ter filhos, as pessoas deveriam estar mais cientes de que precisam mudar, não só de rotina, mas de tudo. Até da dormida - que é o que muda mais.

Eu espero não ter filhos nem tão cedo, e sou a favor do aborto, desde que seja feito com os devidos cuidados, nada de clandestinidade.

;**

Eu® disse...

Concordo com a Maria... além de termos que ser boas maes, temos que ser boas esposas, boas gostosas, enfim, sermos 10!

Vai ver essa mae de sexta-feira estava apenas desbaratinando naquela sexta, mas normalmente é ela que bota a mao na massa, sim. Pq afinal, somos nós, mulheres, que devemos decidir querer ou nao filhos, pq somos APENAS nós que tomamos conta 100% do filho, e temos que ter essa consciência plenamente, na hora de parir. Senao, encontraremos muitas tb abdicando de participar mais do crescimento e da educação, e nao somente desbaratinando numa sexta-feira.