domingo, 8 de março de 2009

Eu também preciso!

Desculpe-me. Definitivamente eu não consigo tirá-lo da cabeça. Não é que eu queira esquecê-lo, veja bem, quero apenas parar, por alguns instantes, de pensar em você. Não por nada, mas é que, ás vezes, penso que deveria pensar menos. Olho-te e vejo o teu dia tão corrido, e acho que não passas cada instante pensando em mim, visto que tens que fazer tantas contas e se preocupar com tantas coisas...Não é que me faça mal, claro que não. Mas, por algum motivo, já tentei de tudo, mas foi em vão. Tentei atarefar o meu dia em quase todas as horas, mas, no segundo que parei para respirar, só em você consegui pensar. Tentei passar a manhã inteira dormindo, mas você me invadiu até os sonhos. Tentei não pensar em nada e apenas ouvir o silêncio, mas até o teu silêncio eu não consegui esquecer. Tentei chegar cedo à aula, para encontrar umas amigas e conversar besteiras, mas uma delas estava cantando justo a música que você gosta. Tentei me esconder sob os lençóis, mas o teu cheiro ainda estava neles. Tentei ler um livro, mas acabei abrindo aquele com as tuas anotações. Tentei ouvir uma música para me distrair, mas ouvi logo a música que você me disse para escutar, certa noite. Tentei sair com o carro, sem destino, mas o rapaz que atravessou a rua tinha olhos da cor dos teus. Tentei esquecer coisas que você me disse, mas só lembrei-me da frase "eu preciso de você". E foi aí que eu percebi que não adianta tentar te esquecer, por um minuto sequer, porque você já faz parte de mim e, se eu tentar te esquecer, acabarei esquecendo do meu ser. E eu não quero me perder. Não quero voltar a ser como era, quanto não estavas por perto. Afinal, quando você apareceu, os meus pensamentos passaram a ser só teus. E não adianta o quanto eu tente atarefar o dia ou deixá-lo passar, você sempre vai estar comigo, me seguindo aonde for. Porque, afinal, eu também preciso de você. .
.
.
.
Kari Mendonça
.
P.S.: Adoro as várias formas como diferentes pessoas interpretam uma mesma obra. Entretanto, aqueles que interpretaram que houve anulação pessoal, simplesmente por "precisar de outro alguém", leiam, por favor, algo que escrevi a pouco mais de um ano, "Meu! Minha!". E, se não tiver tempo, fica aqui o trecho de um livro que gosto muito, O pequeno príncipe:
.
"- Que quer dizer 'cativar'? Disse o principezinho.
- Significa 'criar laços'...
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade do outro. Serás pra mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo."

13 comentários:

Palavras de um mundo incerto disse...

Que belo, meu bem!!!


Beijos, minha querida!!!


Marcos Seiter

Cadinho RoCo disse...

Quando nos permitimos a prescindir de nós mesmos por alguém, sinal de que devemos dar mais atenção a nós mesmos, porque não há ninguém que possa ser o que somos.
Cadinho RoCo

Érica disse...

O destino que não deixa tu esquecer o teu amor. É pq quando é pra ser é e pronto, não tem como escapar.

Katarine disse...

Saudade!
Palavra que apenas os que falam português entendem... É pequena, mas machuca, fere, angustia, aguça cada vez mais a ansiedade...
Mas fique firme! Uma hora vai passar!!
Bjos e obrigada pelas palavras em meu blog!!

Simples Assim... disse...

A gente pode fugir de todos, menos de nós mesmos. É uma questão de auto-preservação.

Acho que em alguns relacionamentos a pessoa se encontra de tal maneira que percebe que até aquele momento não vinha sendo ela de verdade, vinha sendo apenas um arremedo, um rascunho de tudo que poderia ser. É como se o ser amado servisse de ponte que ligasse todos os ensaios a tão esperada estreia.

Algumas pessoas acham que esse tipo de relacionamento anula, confunde, faz mal. Eu acho que não, simplesmente porque vc não se torna o outro, muito pelo contrário, vc descobre o que é ser vc plenamente.

Óbvio que isso é algo que causa algum tipo de dor, mas viver não é mesmo um processo indolor.

Gosto (muito) da sua coragem. Bjs !!!

Camila disse...

Ai tão lindo isso, Kari.
Já te disse eu que amo, O pequeno Principe?

Um amigo meu me chama de Cachos Dourados, esta obra é um icone nosso.

Beijo querida

Hariane disse...

Não tente fugir de teu querer, mocinha; muito pelo contrário vá em busca dele.

Bjus floridos!

Caroline disse...

Parabéns menina! Amor é isso mesmo, Kari. NECESSIDADE.

Amor é o que falta, o chão, a base, o oxigênio. É o que não se substitui.

Eu discordo desses que só entendem amor com liberdade quando se é distante, solto, indiferente.

Exupèry sabia bem o que dizia quando nos falou dos laços.

Afinal, há jeito melhor de amar, do que ENLOUQUECIDAMENTE?
Existe tempo melhor pra amar, do que O TEMPO TODO?

Eu adorei esse post teu, viu!!
Coloquei um texto do fundo do baú lá no meu blog, acho que você vai lembrar...

Beijos enormes!

Maria Fernanda disse...

Porque é tão difícil tirar da cabeça alguém que queremos tirar? Se não quiséssemos, aposto que eles sairiam sozinhos....

Pripa Pontes disse...

Oh kari! Quanto tempo! Passei pelo teu antigo prédio e só me lembrei das nossas festas do pijama...Mas aqui estou, dei uma chacoalhada na minha vida e voltei ao blog,tava sentindo falta de escrever, de ler, de refletir...

Como é bom ter alguém para amar, para sentir saudades. Mas como dói a ausência, e não poder saciar essa emoção que enche nosso coração...Mas aprendemos a viver com isso, por simplesmente não gostaríarmos de viver sem isso! Já que esse sentimento que aperta o peito, essa falta, é uma prova de que estamos vivos.

O trecho sobre cativar do Pequeno Príncipe, é lindo, e diz tudo.


Bjos, Kari!

Cris_do_Brasil disse...

Esse texto fez-me lembrar do tema ´Mulheres que amam demais`.

Essas mulheres são sempre as ´mais apaixonadas, as mais emotivas`.

Portanto, nem sempre essa intensidade de emoção significa amor. O homem amado torna-se um alvo ou objetivo de sua vida. Essa mulher não ama, e sim sofre demais.

Não estou querendo discutir ´verdades` mas tem um versículo bíblico que diz que o amor tudo suporta, tudo crê, mas até aí vemos que o amor requer uma dose extra de paciência. Não somos um conjunto de emoções, mas tb razão e pensamento, e tudo começa pelo nosso pensamento e se filtra no sentimento e expressado na emoção.

A nossa parte nessa história? É nos amarmos mais, e antes de tudo!

ALF disse...

Eu entendo perfeitamente o que falaste. Quando cativamos criamos laços invisíveis.
Cada um se torna único para o outro.

Não é anulação, mas apenas o desejo de querer estar perto de quem se ama. Porque assim completa muito mais.

Lindo Kari.
:)

*Lusinha* disse...

Eu sei o que é isso Kari. É mais forte que a gente, né?
Bjitos!