terça-feira, 5 de maio de 2009

Você quer casar comigo? (Parte II)

"- Por que você quer ficar casada comigo, afinal?
- Para poder beijá-lo a hora que eu quiser."*
.
As lágrimas, que ainda não haviam secado, caíram ainda mais. Não conseguia se controlar, mas conseguiu responder que sim. Ele embarcou. E ela ainda ficou, por alguns minutos, parada e olhando para a porta que, a pouco, havia se fechado. Voltaram a se falar pelos e-mails, pelas conversas e pelo telefone. O sentimento de ambos estava diferente. Era mais forte, mais intenso. Havia mais certeza de que queriam estar juntos.

Decidiram juntar ainda mais as economias. Queriam sim casar, estar juntos e mais nada. Em cerca de um ano eles já estavam com uma boa quantia para começarem juntos. Ela iria morar em Curitiba, pois o emprego dele era mais certo, apesar de ser estagiário. Alugariam uma casa. Nada muito grande, já que era apenas para os dois. Não queriam luxo, queriam apenas estar juntos. Muitos não os entendiam. Mas eles já haviam desistido de serem entendidos.

Ela viajou para lá. Precisavam conversar mais algumas coisas, resolver outras. Quando começaram a conversar, perceberam que nem tudo era tão fácil como queriam. As dificuldades começaram a aparecer. Havia uma conta aqui, outra ali. Os 20 dias não foram exatamente um paraíso como os outros 10. Apesar de serem muito parecidos, havia algumas diferenças. Coisas que incomodavam. Coisas da convivência.

Faltavam dois dias para ela ir embora e eles não sabiam mais se haveria casamento. Em momento algum pensaram em festa ou qualquer outra coisa que lembre casamento, queriam apenas estar juntos um do outro. Queriam não precisar mais de passagens para se ver. E nem de estarem sempre com os dias contados. Queriam acordar um ao lado do outro. Mas, quando perceberam a realidade e as dificuldades, tudo pareceu tão distante e impossível.

Pouco antes de irem até o aeroporto. Sentaram para uma última e definitiva conversa. Ele disse que não poderia lhe dar a vida que ela merecia. Ela disse que merecia estar ao seu lado e só. Que não queria mais nada. Que queria começar com ele uma vida, para juntos enfrentarem todas as dificuldades. Ele a olhou sem entender, meio tímido e sem jeito e perguntou:

- Por que você quer ficar casada comigo, afinal?
- Para poder beijá-lo a hora que eu quiser.

Eles se abraçaram. Foram até o aeroporto e foi a última vez que ela voltou para Maceió. No mês seguinte, mudou-se para Curitiba. Alugaram uma casa pequena, mas faziam planos para uma casa maior, afinal, as crianças precisariam de espaço...



Kari Mendonça
*Trecho do filme "Sweet home Alabama"

13 comentários:

C. disse...

Essa história vai ´destronar` já já, pelo visto... é sempre assim! Quando entra a realidade, o amor sai pela janela.

*Lusinha* disse...

Quando a gente se gosta, supera todas as dificuldades mesmo.
Ninguém disse que ia ser fácil, mas mesmo sendo tão difícil relacionar-se, é uma das melhores coisas desse mundo!!!
Bjitos!

Pripa Pontes disse...

Quando convivemos é que realmente conhecemos o outro mas tabém é na convivência com quem amamos que nos moldamos e nos melhoramos, e acima de tudo fortalecemos aquele sentimento...é quando aprendemos que não se ama só "por causa de", mas também "apesar de"

Lindo Kari!!!!
Bjos.

Simples Assim... disse...

Que fofo... Me lembrou "Eduardo e Mônica".

Cαmilα ♥ disse...

O amor vale mais que luxo! Estar perto de quem ama é o que compensa tudo!
Que haja amor sempre.

BeijOs amiga lindaaaa!

Thiago disse...

vou esperar a parte III pra fazer um comentário sobre o todo..li a anterior e essa agora...e gosto muito da sutileza que caminha!

Kari disse...

Ei moçinho, não tem parte III não... A história acaba por aí mesmo. É que eu sempre gosto de acabar com um pouco de suspense e deixando a mente de quem leu imaginando o que poderia ter acontecido, ou não...

Mas fico feliz que tenhas gostado!

Beijos

Katarine disse...

Kari, Kari, Kari...
Assim me deixas com mais vontade de ler o que escreves!!!
Sempre, muito interessante e de fácil leitura.
Adoro!!
bjos!

Hugo Simões disse...

Eu também estava esperando a parte 3, com algum drama ou algo do tipo. Acho que ando lendo histórias sem finais felizes, por isso não esperava que ia dar certo no fim! hehehe
Aliás, cara de Curitiba.. tem certeza que não se inspirou em mim pra escrever essa história? Vou ver se não encontro um amor em Maceió, vai que dá certo né!? :D
Beijos Kari!

candy disse...

Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência, né?
:D

Leh disse...

Quantas opiniões diferentes... eu fico com essas duas:

"Essa história vai ´destronar` já já, pelo visto... é sempre assim! Quando entra a realidade, o amor sai pela janela".


"Quando a gente se gosta, supera todas as dificuldades mesmo.
Ninguém disse que ia ser fácil, mas mesmo sendo tão difícil relacionar-se, é uma das melhores coisas desse mundo!!!

Concordo que se relacionar seja uma das melhores coisas do mundo, mas tenho perdido essa ideia romântica da vida.

Daniel Foschetti Gontijo disse...

ah, se tivéssemos esses "beijos" quando bem entendêssemos...

ALF disse...

Terno e muito doce este final.
Que coisa linda demais Kari.

E ambos respondendo a mesma pergunta com a mesma resposta. Fica aquela coisa que marca. são poucas palavras que mostram a intensidade e o significado das coisas.

Adorei.

:)

Beijos