sábado, 15 de agosto de 2009

Eu, as minhas frustrações e minhas lágrimas

Foi divulgado esta semana, que as mulheres passam, até os setenta anos, um ano e quatro meses de suas vidas, chorando. A princípio, achei que seria pouco, mas comecei a achar que pode ser tempo demais. Logo, me surgiu uma dúvida: se passamos esse tempo chorando, acredito então, que passamos a vida inteira pensando, mas, quando tempo será que “gastamos” sonhando e planejando (os sonhos)? Segundo a pesquisa, grande parte dessas lágrimas está relacionada a assuntos do coração.

E, convenhamos, as mulheres choram até quando estão felizes, por isso, nem todas as lágrimas exprimem algo que dói. Mas, pensando sobre o assunto e ainda refletindo sobre a dúvida que me surgiu ao ler a pesquisa, cheguei a conclusão de que muitas dessas lágrimas são resultados dos sonhos. Não apenas dos que se realizaram, mas também dos que foram frustrados ou sequer, chegaram perto de acontecer. E acredite, não são poucos, levando em conta o tempo que passamos sonhando, fica impossível realizar tudo vivendo até os 70 anos.

Pude comprovar as minhas teorias hoje cedo. Acordei por volta das nove horas, mas o que eu menos queria era me levantar, pois assim teria que falar com as pessoas e eu não queria ver ninguém e nem precisar falar. Preferi continuar deitada, olhando o teto e não pensar em nada. Mas oras... A minha incansável mente não me deixou cumprir o meu último desejo e, nos 95 minutos que passei deitada fiz inúmeros planos e compras, todos relacionados a um dos tantos sonhos que tenho.

Acredite, eu não queria pensar tudo o que pensei. Principalmente porque me encontro naqueles dias em que eu acho que nada vai dar certo. Fiz planos que, talvez, jamais possa realizar. “Comprei” coisas que não sei se poderei, de fato, comprar. Sai da realidade e mergulhei na minha fantasia. No mundo que eu queria ter. Na vida que eu tanto planejo. Nas coisas que eu tanto quero. Enfim, mergulhei na minha, até então, fantasia frustrada. E claro, qualquer coisa que nos frustra, nos faz chorar.

Ou seja, eu consegui comprovar duas teorias em apenas alguns minutos. Mas eu ainda não sei se isso é algo bom ou ruim. Tenho as minhas dúvidas. Eu sempre tenho dúvidas. Não de tudo, mas de um monte de coisas. Eu corro atrás daquilo que eu quero, mas eu nem sempre consigo chegar lá e alcançar. Será que eu sou um fracasso? Hoje, eu penso que sim. Talvez amanhã eu esteja me sentindo melhor e menos dramática e melancólica e acorde me sentindo a melhor e maior pessoa do mundo. Mas hoje não...

Hoje, talvez eu vá dormir mais cedo. Eu, as minhas frustrações e minhas lágrimas....


Kari Mendonça

8 comentários:

Marcus Vinícius da Silva disse...

95 minutos na cama? Nossa, eu quandoacordo não consigo ficar cinco minutos que eu tenho que levantar, senão durmo de novo...

As mulheres passam um tempão chorando, mas faz bem botar as mágoas pra fora. O ideal é aprender a evitá-las, disciplinar a mente e tal para ficar feliz, mas quando transborda... transborda.

Beijão!

Dani disse...

Obrigado pela visita!

As mulheres podem passar muito tempo chorando, mas quando sorriem..não há ser que resista!

Bj0

Ana Karenina disse...

olá kari
obrigada pelo seu comentário.

comentando seu comentário;

realmente tem muitas coisas em nós que sentimos falta e nesses momentos de intensa convivencia consigo mesma é sentimos saudades de partes do nosso "velho eu", parte, mas não todo, como você disse bem.

comentando seu post;

eu acho que nós mulheres passamos a vida fazendo planos, desfazendo, fazendo novos... e assim por diante. agente se frustra porque criamos expectativas e criamos expectativas porque fazemos planos... é um ciclo que não para...
ainda bem que amanhã é outro dia, rs

Prazer. abraços.

Marcos disse...

Hoje é Hoje e amanhã é amanhã. Eu por viver intimidamente contigo, tu estás no caminho certos de teus sonhos. Sempre acredite.

beijão!!!

Dona Poesia disse...

As vezes eu leio suas crônicas/reflexões, e me assusto. eu penso ; "Meus Deus, essa garota sonha tanto, ela está tão visceralmente apaixonada, ela coloca tantos anseios e tantas espectativas nesse amor"...eu penso também: "Ela vive na fase do encantamento, do amor total, e ela tem uma enorme vantagem: sempre que eles se encontram é como se fosse a primeira vez, tal é a saudade que os inunda". Mas aí eu reflito:" quando de fato ela conviver com esse ser tão amado, quando ela vir a realidade, os dias de mau humor, os dias em que ele está contrariado no trabalho, e acaba dando uma resposta enviesada, justamente para a mulher, que não tem nada com o caso? E no dia em que ele mudar de quarto, porque o bebê passou a noite chorando, e ele precisa amnahã fazer aquele trabalho difícil, que o patrão pediu...e quando eles tiverem comido juntos, os dois, uns dez quilos de sal, será que ela ainda vai estar tão apaixonada assim? "
Mas lendo hoje que vc chorou, sabe Kari eu percebi que adoro ler sobre os seus sonhos, devaneios, aspirações, encantamento, utopias. Talvez vc esteja certa: talvez esse mundo mágico que vc projeta exista de fato, e sabe por que? Simplesmente porque vc é esse mundo mágico, vc é o próprio amor personificado. Eu era assim, aos dezoito anos. Casei muito menininha, então com a sua idade, vinte e pouquinhos anos, eu já havia comido alguns quilos de sal com o meu Romeu. Bom ...ele não era Romeu, mas estamos juntos até hoje, e nao consigo me imaginar sem ele, mesmo ele tendo virado um ser humano normal...(risos).
Te desejo muitas e muitas felicidades, e que seu gato saiba que tem uma jóia preciosa em mãos, certo?

Hariane disse...

Faço parte dessa pesquisa: choro muito. Quando estou emocionada, feliz, em momentos de tpm então...

Mas também aproveitamos a vida.


Beijo

*Lusinha* disse...

Kari, o que pode ser usado para reconfortar nessas horas é isso mesmo: nada como um dia após o outro...
Bjitos!

Dona Poesia disse...

Estou torcendo por vc, e desejo que realize todos os seus sonhos!
Abração procê!