segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Conforto


Um dos piores momentos em uma viagem é arrumar as malas. É a certeza de que está chegando ao fim, e de que voltará para casa. Todas as vezes que tenho que arrumar as malas, sejam minhas ou dele, sinto um aperto no peito. Nunca consigo não chorar, porque sei que algum de nós estará indo para casa. Não ficaremos mais juntos. Ou melhor, ficaremos sim juntos, mas também distantes (fisicamente falando). Enquanto dobrava cada camisa, a dor no peito me apertava. A cada coisa na mala, era como se ele já começasse a ir.

Mas, ainda pior do que arrumar as malas é ter de levá-lo ao aeroporto. É a confirmação de que não poderei tocá-lo nos próximos dias, ou até meses. É a saudade antecipada, por não poder beijá-lo a cada vontade que surgir. É o saber das noites mais frias. Da cama vazia. Da voz ao pé do ouvido, pelo telefone. É a lembrança de todos os momentos, chegando de uma única vez. É a certeza de que tudo foi mais intenso que antes, e por isso que a dor da despedida é sempre maior.

Choro por sentir esta saudade. Mas saber que é uma das últimas vezes que nos despedimos é um conforto. É esse conforto que me ajudou a levantar pela manhã, e que vai me acompanhar por todos os dias, até que nos encontremos novamente em um desses aeroportos da vida...



Kari Mendonça

10 comentários:

O Santo Forte disse...

Sempre venho beber um pouco de suas palavras...

ALF disse...

A dor da despedida é sempre dolorosa. Saber que tu vai ficar separado da pessoa que ama por um tempo. Dá mesmo essa saudade antecipada, das coisas que poderia acontecer se ele ou ela estivesse junto. São tantas possibilidades. A melhor é a de sentir o calor dessa pessoa junto contigo, te dando carinho, dando afeto e amor.

É uma coisa fantástica essa de se sentir confortado, querido, amado. Por um lado a distância é o menor dos obstáculos agora. A certeza de que vão se encontrar se torna um alívio. Não há distância para um coração que ama. Nem tempo em que ele não possa esperar. É esse conforto que vale a pena. Porque depois de tanta saudade,
depois de tanto desejo de estar junto e toda essa distância separando o calor dos corpos,
o êxtase de felicidade que surge no reencontro supera e faz esquecer todos os dias em que esteve distante. E isso se percebe nos olhos, na maneira de abraçar, acariciar.

Quando se ama, tudo fica imensamente bonito.

Boa sorte pra vocês.

Grande beijo Kari.

Te adoro!

ALF disse...

Tem coisa nova no meu blog. Voltei a blogar em dezembro, depois do meu conturbado "semestre do tcc" rsrs.

Ficaria feliz se tu aparecesse por lá. Sinto saudades suas.

Tudo de bom Kari.

ps: Existe uma possibilidade de eu ir em fevereiro em Recife. Se isso se confirmar te aviso. Seria muito bom te conhecer.

Beijos

Marcus Vinícius da Silva disse...

Mas "para se estar junto, não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro do coração...", não é? hehehe

Eu tento não raciocinar muito em momentos como esse (arrumar as malas) para passar pelo fato (fim da viagem) como se não fosse nada demais.

Beijão!


PS: eu sei, sou um amigo insensível que nunca vem comentar aqui...

Candinha disse...

tá acabando, kari; essas despedidas tão acabando.. Como você mesma disse, foi uma das últimas vezes. =] ;*

Jaya disse...

Kari,

A vida vai ser a mais linda, pra vocês. Li esse texto, e o texto abaixo, e só soube ficar feliz. Feliz MESMO. É bom ver as coisas dando certo.

Um beijo, moça.

cyndy disse...

Adorei o seu blog.. você escreve muito bem! XD

Ah.. mas como você disse 'é a lembrança de todos os momentos..' como um professor me disse uma vez.. é bom ter saudade, pq nos faz lembrar daquilo que vivemos. Melhor ainda pensar que ainda vais viver muita coisa boa pra contar e lembrar sempre, né?

Beijos!

Simples Assim... disse...

É triste e é bonito. Um encontro assim é sempre tocante. Já dizia Vinícius "A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida." É isso, por circunstâncias alheias à vontade de vcs, há os desencontros, ele vai, vc fica, vc vai, ele fica, mas o mais forte de tudo, o que nunca passa, é o encontro, encontro de almas, encontro de corações. Aff... vc me deixa assim, piegas... rs. Bjs !!!

Tay disse...

Despedidas sao sempre ruins,eu pelo menos nao gosto.Mais torço pra que seja a ultima das despedidas.
bj...e adorei o blog

Lusinha disse...

A saudade antecipa-se e faz-nos sentir assim mesmo.
Bjitos!