domingo, 31 de janeiro de 2010

Sobre o Casamento (Parte II)

Para entender melhor: Sobre o Casamento (Parte I)

Com todas as minhas regras e decisões formadas, comecei a procurar buffets. Algo mais complicado do que havia imaginado. Quando vou conversar sobre orçamentos, não peço apenas para o meu casamento e sim para o da minha irmã também. Ou seja, quem conversar bem comigo ganha “dois em um”. O que, acredito, deveria ser algo bom para quem trabalha com essas coisas. Mas eu posso estar errada. As pessoas não me tratam bem pensando nessa vantagem, elas apenas oferecem aquilo que querem e me acham na obrigação de aceitar tudo.

O casamento da minha irmã é algo mais comum, algo que todos oferecem. Comigo é um pouco diferente e é aí que complica. Na última semana fui ao primeiro buffet, onde fui muito bem tratada. Minha mãe não pode ir e fui sozinha. Quando lhe falei a minha ideia, ela disse que não tinha feito um casamento daquela forma, mas havia um aniversário de quinze anos com aquelas características. Amei a sugestão que ela me deu, com a ideia de várias “estações”. Cada uma com um tipo de coisa, bem diversificado.

Esta semana, tiramos uma tarde para visitar buffet. O primeiro do dia e segundo da lista, não me agradou. Rapidamente resolvemos o da minha irmã. O meu, não apenas por falta de datas, mas também por ela dizer que não faria como eu queria e sim poderia mudar isso e aquilo outro. Não gostei, pois se quero de um jeito, vai ser dele. Claro que estou aberta a modificações, mas nenhuma que muda a essência da coisa. Ela me deu algumas ideias com a intenção de mudar tudo. Não gostei. Gostei apenas de algumas coisas e guardei.

Peguei as ideias, juntei com o que queria e fiz uma mistura com algumas coisas. Fomos então ao terceiro buffet, dos quais, confesso, mais gostei. O lugar era agradável e sem muito luxo. Gostei também do atendimento. Mais uma vez resolvemos logo o da minha irmã e ela ficou muito empolgada quando falei das minhas ideias. Disse que nunca havia feito nada igual e seria um prazer fazer. Montou o cardápio todo comigo, com tudo o que eu queria. Claro que deu algumas ideias, mas em momento algum sugeriu que eu mudasse tudo. Consegui, finalmente, expressar tudo o que estava querendo. Marcamos de nos encontrar no sábado (ontem) e conversamos sobre como poderíamos ajeitar o orçamentos levando em conta que serão dois em um. Espero que dê tudo certo. Semana que vem conto como foi.

No quarto buffet que visitamos, confesso que não me senti bem. Foi o buffet mais de indicado e sempre muito elogiado, mas me decepcionei, confesso. Nem para o casamento da minha irmã conseguimos o que queríamos. Diferente dos outros, queria fazer um cardápio super reduzido e, para ficar como os outros buffets teríamos que escolher mais de um cardápio dobrando o preço. Quando falei as minhas vontades, a mulher me olhou, entregou um papel e disse: nós fazemos isso, você pode escolher entre esses. Naquele momento eu tive vontade de sair... É uma pena, pois perderam um ótimo “dois em um”.

A saga pelos buffets continua. Semana que vem eu conto como foi a conversa e se decidimos alguma coisa.



Kari Mendonça

8 comentários:

Leh disse...

Coloca o nome dos buffets que te atenderam mal que é pra fazer propaganda negativa deles rsrsr

Alexandre Fernandes disse...

É Verdade Kari. Algumas feridas, como a que você me contou são duras demais para serem esquecidas ou cicatrizadas. Mesmo eu acreditando que há sempre uma alternativa melhor que isso.

É uma dor da qual não conheço. Não gostaria de ter e não desejaria a ninguém. Por isso também não sei argumentar contigo.
Só posso nesse fato concordar que uma coisa assim, como perder um filho é muito marcante. Só Deus...

:)

Beijos

Marcus Vinícius da Silva disse...

Eu nunca me envolvi muito com isso, o máximo foi quando minha mãe esteve envolvida com buffet e coisarada pra minha 1ªComunhão (sim, eu fiz também), mas eu era criança demais para prestar atenção nesses detalhes.

Ah, não precisa se desculpar pelo comentário grande lá no blog, eu amo quando comentam bastante. Tipo, quando eu vejo "olha, tem x comentários pra mim" e eu vou olhar e todos são pequeninhos, dá uma decepção... Agora, quando tem uns bem criados como o teu, dá gosto de ver.
Quanto mais, melhor, ;)

E sobre o detalhe que tu escolheu pensando nele, hehehe, eu estou tentando não maliciar. Mas provavelmente é malícia, enfim, boa lua-de-mel pra vocês!

Beijão!

Kari disse...

Não Marquinhos, o detalhe que eu pensei pra ele não tem nada com a lua de mel... É na festa mesmo. Acabei de tentar justificar, mas tudo que tentei dizer pareceu malicioso. Mas enfim, sem malícias, eu escolhi algo que ele gosta de comer.

Beijão pra tu

Tay disse...

Escolha o q for melhor pra vc e q saia tudo exatamente do jeito q vc ker.
bjs e boa sorte nos outros buffet.

Dani Pedroza disse...

Adorei a ideia de contar sua odisseia no blog. A gente fica acompanhando como se fosse uma novela, a diferença é que não esperamos por um final feliz, mas por uma vida feliz. E isso é muito mais interessante. Sorte, querida !!!

Érica disse...

O povinho mais ou menos viu? Como trabalham com isso agem de maneira comercial sem nem respeitar o lindo e importante momento que representa para quem procura o serviço. Tenho certeza que tu vai conseguir o melhor e que vai ser lindo.

Beijos

*Lusinha* disse...

Acho um absurdo o buffet não se adaptar oa que o cliente quer. É você quem está pagando e ele quem está prestando o serviço... Ou estou errada? :p
Bjitos!