quarta-feira, 18 de abril de 2012

Finais felizes

- Quer saber? Pois eu não acredito mais em finais felizes.
- Finais felizes? Como assim?
- Ah! Final feliz ora essa! Do tipo da Branca de Neve que depois que o príncipe apareceu eles "foram felizes para sempre"...
- Ah! Mas isso são contos, fantasias...
- Eu sei! Mas falando na vida real, eu não acredito.
- Ok! E qual o motivo de tanta desilusão?
- Não, meu bem! Não é desilusão não... É que, pensa comigo: como é que a gente sabe que é o final?
- Oi?
- Deixa pra lá! Você já assistiu aquele seriado novo?
- O que fala dessas fantasias que você está falando? Já!
- Ele mesmo! Então... Eu acho que é mais ou menos daquele jeito. Tirando, claro, a parte toda da fantasia.
- Como assim?
- É que eu acho que finais felizes existem sim, mas não aqui. É como se eles existissem mais em outra realidade, sabe?
- No mundo da fantasia?
- É! Lá mesmo! Mas aqui, no mundo real, não existe. Como se estivéssemos todos presos numa realidade sem finais felizes.
- Mais ou menos como no caso quando fomos expulsos do paraíso?
- É isso! Mais ou menos... Alguém deve ter feito alguma coisa e então os finais felizes foram extintos.
- Você não acha que podemos ser felizes? Isso pra mim é desilusão sim...
- Eu não disse que não poderemos ser felizes. Eu disse apenas que não poderemos ser felizes até o final, seja lá quando o final chegar.
- Desculpa! Estou confuso!
- Tudo bem! O que eu estou querendo dizer, basicamente, é que, não importa o quanto estejamos felizes em alguns momentos, esses momentos sempre acabarão.
- E no final não seremos felizes?
- Bom, depende, se você morrer antes de todos que você não gostaria de perder, então talvez o seu final seja feliz...
- Complexo tudo isso...
- Desculpe! É que andei assistindo muito seriado, sabe? Acabei envolvida com tanta fantasia...
- Mas, se no final do seriado os finais felizes voltarem, você volta a acreditar neles?
- Não! Porque eu acho que já me iludi demais... É talvez tenha um pouco de desilusão nisso tudo... Melhor aprender a aproveitar os momentos felizes, porque eles não irão durar até o fim...


Kari Mendonça
Mais ou menos inspirado em "Once upon a time".

sábado, 14 de abril de 2012

Você foi embora e nem se despediu

De todas as pessoas que poderiam ir embora sem fazer falta, você nunca será uma delas. Porque você era como uma irmã pra mim. E irmãs não vão embora. Não sem se despedir. E há dias que eu não paro de pensar no que posso ter feito para que você passasse a me ignorar. E não me venha dizer que a culpa é da vida... Porque nós sempre demos um jeito. Nos momentos mais difíceis e nos mais alegres. Ou nos momentos normais da vida, quando nos encontrávamos somente para conversar sobre as coisas, sobre a faculdade, os relacionamentos e nossas mães. 

E eu sei que você passou por tanta coisa... Eu também passei, lembra? E isso é uma coisa que sempre teremos em comum. É verdade que não é uma coisa boa, mas é para mostrar que eu entendo o que você sentiu. Quando todo mundo diz que aquilo é exagerado, eu sei que não é. E quando todos reclamam do seu choro, eu sei o quanto é difícil pará-lo. E eu sei o quando dói ver todos os seus planos jogados fora. E todo o seu amor desprezado. Mas o que eu não sei é porque você me afastou quando tudo aconteceu. 

E eu sinto tanto a sua falta. Porque tem tantas coisas acontecendo comigo. Algumas boas, com as quais daríamos várias risadas. Outras nem tão boas assim, mas com as quais você reclamaria comigo e diria que foi melhor assim. Queria deitar na cama com você, como sempre fazíamos, e conversar sobre tudo... Sobre o que aconteceu no último ano, o quanto eu mudei, o quanto você mudou e o quanto as nossas vidas mudaram... E eu queria curtir com você essa coisa de ser tia, sabe? Afinal, você é tanto tia quanto eu.

Não sei se algum dia você lerá esta carta, mas espero que você saiba que eu sempre vou amá-la como a uma irmã. E que nunca vou entender porque você foi embora sem sequer, se despedir...


Kari

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Meus apegos e amores

- Então vai ser assim? Sempre?
- Assim como?
- Que eu não vou mais poder me apegar a ninguém...
- Mas eu não disse isso...!
- É, mas primeiro eu me paguei a ele e você não o deixou ficar.
- Mas ei... Não foi ele quem foi embora, foi você.
- Eu sei, mas ainda assim ele poderia ter ficado e não ficou. E eu havia me apegado tanto...
- Mas você vai generalizar só por uma situação?
- Não! Também teve ela. Tão linda! Tão pequena! E eu me apeguei tanto!
- Mas foi pouco tempo que vocês passaram juntas, não foi?
- Foi. Mas desde quando tempo determina apego ou amor? Eu o amei desde a primeira vez que nos despedimos, e havíamos nos conhecido há tão poucos dias... Com ela foi o mesmo...
- Você e esses seus apegos e amores...
- E agora o que eu vou fazer? Sinto tanto a falta dela...
- Me explica isso...
- É que eu passei tanto tempo tão egoísta pensando somento em mim e nele e na minha saudade.... E aí ela chegou e me fez perceber que existe mais dessa vida. E me fez pensar nela, e nos horários dos remédios e na hora de dormir e na noite inteira em claro olhando se estava tudo bem... Não foram apenas 20 dias, foram 20 dias e vinte noites o tempo inteiro. E agora eu só sinto um vazio. Vazio dela. Para completar o vazio dele.
- Dele eu não posso falar. Mas sei que ela também a amava e você fez tudo o que pode. Você a amou como ninguém mais.
- Eu sei. E sei que fiz o melhor por ela. Mas quando fecho os olhos, vejo aquele olhar sapeca pronto para me atacar. E isso dói.
- Eu sei que dói, meu bem, mas ás vezes, as pessoas que amamos não foram feitas para estarem ao nosso lado. Algumas precisam seguir a vida, como ele. Outras precisam terminar o ciclo da vida, como ela.
- Eu sei... É que mesmo pequenina, ela me ocupou um espaço grande no coração.
- É... Eu também sei... Mas você não pode continuar chorando assim... Por mais que doa. Você precisa ser forte.
- Forte? Eu não sei se sei ser forte... É sempre todo mundo me dizendo para ser forte, para ser isso ou aquilo... Ah! Me deixa não ser forte durante o meu luto... Porque isso dói! E é tão difícil ser forte em meio a dor... Me deixa não ser forte hoje, só hoje, por favor.
- Ok! Hoje você pode chorar por ela e talvez por ele. Mas você precisa me prometer que vai levantar a cabeça, por ela e por você.
- Certo! Levantarei. Mas não hoje... Porque hoje a saudade ainda me dói. E a despedida ainda não me saiu da cabeça...

Kari Mendonça
(Dedicado a minha pequeninha, Sakira, que apesar do pouco tempo, foi muito amada e faz muita falta.)