sábado, 14 de abril de 2012

Você foi embora e nem se despediu

De todas as pessoas que poderiam ir embora sem fazer falta, você nunca será uma delas. Porque você era como uma irmã pra mim. E irmãs não vão embora. Não sem se despedir. E há dias que eu não paro de pensar no que posso ter feito para que você passasse a me ignorar. E não me venha dizer que a culpa é da vida... Porque nós sempre demos um jeito. Nos momentos mais difíceis e nos mais alegres. Ou nos momentos normais da vida, quando nos encontrávamos somente para conversar sobre as coisas, sobre a faculdade, os relacionamentos e nossas mães. 

E eu sei que você passou por tanta coisa... Eu também passei, lembra? E isso é uma coisa que sempre teremos em comum. É verdade que não é uma coisa boa, mas é para mostrar que eu entendo o que você sentiu. Quando todo mundo diz que aquilo é exagerado, eu sei que não é. E quando todos reclamam do seu choro, eu sei o quanto é difícil pará-lo. E eu sei o quando dói ver todos os seus planos jogados fora. E todo o seu amor desprezado. Mas o que eu não sei é porque você me afastou quando tudo aconteceu. 

E eu sinto tanto a sua falta. Porque tem tantas coisas acontecendo comigo. Algumas boas, com as quais daríamos várias risadas. Outras nem tão boas assim, mas com as quais você reclamaria comigo e diria que foi melhor assim. Queria deitar na cama com você, como sempre fazíamos, e conversar sobre tudo... Sobre o que aconteceu no último ano, o quanto eu mudei, o quanto você mudou e o quanto as nossas vidas mudaram... E eu queria curtir com você essa coisa de ser tia, sabe? Afinal, você é tanto tia quanto eu.

Não sei se algum dia você lerá esta carta, mas espero que você saiba que eu sempre vou amá-la como a uma irmã. E que nunca vou entender porque você foi embora sem sequer, se despedir...


Kari

Um comentário:

Carol disse...

olá kari,

gostaria que você acessasse seu e mail e lesse o meu comentário sobre o post...como sempre você escrevendo muito bem e tocando onde deve ser tocado...

amo muito você,
beijo sem despedidas....carol