quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Bem-me-quer, malmequer...

Janeiro é o mês do meu aniversário e, geralmente, eu fico pra baixo. Quando o dia vai se aproximando, eu vou ficando pior. Nunca soube explicar o motivo, mas desde que me lembro é assim. Mas parece que 2017 realmente me ensinou a ver a vida diferente e eu quero mais é comemorar os meus 29 anos. É isso aí! 

Os trinta estão chegando e eu nem vi a crise dos 30 passar... Mas também... Já valeu as dos 22, dos 24, 25... e por aí vai... Chega de crise, meu bem! Agora é pegar a malinha cheia das coisas que Papai do Céu me ensinou, juntar todos os curativos e olhar pra frente. Já ouvi falar que os trinta é uma das melhores fases da vida, portanto, tenho um ano inteiro pra me preparar!

E por falar nas coisas que Papai do Céu me ensinou, esses 29 anos não teriam tanto significado se não fossem os "malmequeres" da vida. Porque quando a gente quer muito alguma coisa, a gente ora e pede para Deus abençoar e nos dar. E a gente ora todos os dias. E à noite! E às vezes a gente ora até cansar e não entende porque não recebe. Mas é que, às vezes, não é pra gente ter aquilo que queremos. E Papai do Céu sabe o que é melhor para nós. Então Ele não nos dá aquilo que pedimos. Ou, outras vezes, Ele simplesmente, nos tira. 

E a gente fica feito criança, sem entender, brincando com uma margarida de "bem-me-quer, malmequer", e quando o resultado sai "malmequer", a gente corre pra pegar outra e ver se o resultado vai ser diferente, mas nem sempre o é... Porque algumas vezes, o resultado precisa mesmo ser "malmequer", pra vida poder seguir um caminho diferente, quem sabe até pra te levar mais pra perto de Deus.

Poucos sabem, mas a minha tatuagem representa um "malmequer", e aos poucos que eu falei, sempre ouvi um, "mas ali cabe mais uma pétala para o resultado ser bem-me-quer". Acontece que eu não quero um resultado diferente, eu quero, na pele, lembrar sempre que a vontade de Deus é melhor do que a minha. Isso me ajudou muito enquanto orei por cura no ano passado. Ele não me curou, mas estou melhor. Sei que Ele tem um plano. Sei que Ele está fazendo o Seu melhor na minha vida, por isso não quero esquecer que, alguma vezes, preciso ouvir um "malmequer" para me colocar no meu lugar, para me fazer seguir orando e confiando. 

Isso me deixa mais forte. Acredito que, por isso, esse janeiro esteja sendo diferente... 



Kari Mendonça 


Nenhum comentário: